segunda-feira, 31 de março de 2014

A problemática da missão sem evangelização

   Primeiramente, gostaria de louvar a vida dos homens e das mulheres que tem doado suas vidas em trabalho altruísta e abnegado em lugares longínquos  e em países perseguidos. Minha oração é que Deus os abençoe, que as portas sejam abertas para a entrada do verdadeiro evangelho de Cristo, e para que Deus vos fortaleça. Obrigado pela obra de vocês!
"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura." (Marcos 16:15)
"Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento." (1 Coríntios 3:6)
    Lembro-me do primeiro projeto social que fizemos. Uma correria insana para conseguir todas as coisas a tempo, e outra para que tudo saísse da melhor forma possível. Apenas de relembrar o ocorrido, já me canso. Lembro-me também que após o evento ser finalizado, senti um alívio e uma satisfação com o trabalho executado, mesmo sabendo que ele não foi completo. Isso se deu pelo simples fato de que não foi ministrada a Palavra de Deus, não que nós não quiséssemos, mas não deu tempo mesmo. Eles comeram, ganharam presentes, brincaram, mas não ouviram dAquele que, tenho certeza, nos abençoou para levar esse projeto à eles. Por isso não foi completo.



    Embora tenha sido algo que foi pensado, a pregação àquelas pessoas não foi exposta, e ficou só nisso. As crianças voltaram satisfeitas, mas não ouviram o que nós queríamos falar. Sim, nós tínhamos algo a dizer, não era ir lá somente e fazer, como uma obrigação, um sentir 'fiz minha parte', não. O que desejávamos é anunciar as boas novas dEle. Porém não logramos exito nessa oportunidade. Muitos, ao ouvir isso, podem pensar: "ah, mas vocês alimentaram e deram uma manhã diferente a eles, isso já não é o bastante?" Respondo: não. A fome volta, a sede retorna, o frio vem duas vezes pior, mas somente as Palavras de Deus permanecem. Somente Ele tem a água que pode saciar toda a sede. 
   
    A problemática da missão sem evangelização é essa. A vida terrena é efêmera, e muitos tem suprido somente essa vida. A vida que é eterna, eles tem deixado em segundo plano. Para eles, pregar o evangelho é só fazer 'boas coisas', e ponto final. 

    Concordo que as pessoas não podem ser alimentadas com uma bíblia, ou com uma oração, muito menos com um abraço ou uma palavra de ânimo, e sei que fazer apenas isso é uma barbárie. Tiago 2:20 diz que "a fé sem obras é inútil", mas as obras sem Cristo, sem a Pregação, é vazia também. É só um encher a barriga, infelizmente, ou como o Apostolo Paulo fala: "ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria." (1 Co 13:3)



   Muito tem se pregado sobre ir para o 'campo' missionário, sobre dar dinheiro aos pobres e sobre a missão integral. Mas acabam por se esquecer, ou não dar valor, a pregação do evangelho, que vai muito além da satisfação física. Nós fomos tirados das trevas para a Sua maravilhosa Luz afim de pregarmos das Suas grandezas (1 Pe 2:9). O evangelho não é pão nem peixe, o evangelho é, como Tim Keller fala:

"O evangelho é o fato de que Jesus viveu a vida que você deveria ter vivido, e morreu no seu lugar a morte que você deveria ter morrido, para que Deus pudesse te receber não por aquilo que você fez e é, mas por aquilo que Ele fez e é."

    O evangelho é anunciar essa boa nova, de que Ele fez todo o trabalho necessário para que tenhamos acesso a Ele. Isso é suficiente. Porém uma frase - que não sei se é do Santo Agostinho ou Francisco de Assis - tem sido deturpada ou mal entendida no meio cristão, e ela tem sido usada para legitimar o que vem sendo dito nesse texto, ela fala: "Pregue o Evangelho em todo tempo. Se necessário, use palavras." Claro que o evangelho é algo que se vive, mas como as pessoas podem ver se o autor do ato é cristão, espirita ou de qualquer outra religião? Um evangelho sem Cristo, sem cruz, é só um ato de benevolência. A Palavra diz que "a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo" (Rm 10:17). É necessário entender em que contexto essa frase foi dia, e entender que, além do testemunho de vida, nossas palavras tem que serem ditas.

    Levar uma comida, uma roupa ou qualquer outra coisa que supra a necessidade física, é fácil. Difícil mesmo e pregar o evangelho. Muitos querem ir para a Africa, mas esquecem que tem uma Africa do lado da sua casa. Muitos querem ir para um pais perseguido pregar o evangelho, mas tem medo de falar de Deus em sua sala de aula ou no trabalho por medo de chacotas. Muitos querem ir e pregar o evangelho em seus atos, mas na sua casa não é o cristão que diz e fala ser.
"[...] prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino." (2 Timóteo 4:2)
    Uma coisa precisa ficar clara, Jesus não veio principalmente para curar células, mas para salvar vidas. A pessoa pode ser curada, mas e depois, o que acontece?* O ministério de Cristo era bem mais abrangente. Ele nos que dar algo eterno.

    C. S. Lewis sabiamente disse que: "se você está à procura de uma religião que o deixe confortável, definitivamente eu não lhe aconselharia o cristianismo". Não, não é fácil, mas é necessário. É necessário suprir as necessidades das pessoas a medida do possível, mas também é preciso, e muito mais necessário, pregar o evangelho de Cristo a toda criatura. Como Filipe fez com o Eunuco: 

"[...] o anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te, e vai para o lado do sul, ao caminho que desce de Jerusalém para Gaza, que está deserta. E levantou-se, e foi; e eis que um homem etíope, eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, o qual era superintendente de todos os seus tesouros, e tinha ido a Jerusalém para adoração, regressava e, assentado no seu carro, lia o profeta Isaías. E disse o Espírito a Filipe: Chega-te, e ajunta-te a esse carro. E, correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías, e disse: Entendes tu o que lês? E ele disse: Como poderei entender, se alguém não me ensinar? E rogou a Filipe que subisse e com ele se assentasse. E o lugar da Escritura que lia era este: Foi levado como a ovelha para o matadouro; e, como está mudo o cordeiro diante do que o tosquia, assim não abriu a sua boca. Na sua humilhação foi tirado o seu julgamento; E quem contará a sua geração? Porque a sua vida é tirada da terra. E, respondendo o eunuco a Filipe, disse: Rogo-te, de quem diz isto o profeta? De si mesmo, ou de algum outro? Então Filipe, abrindo a sua boca, e começando nesta Escritura, lhe anunciou a Jesus. E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou." (Atos 8:26-38)
    Filipe fez o que muita gente (ministérios) não faz. Claro que é mais fácil dar um pacote de bolachas e ir embora, do que anunciar o evangelho a um mendigo, e depois, fazer o acompanhamento deste. Mas que saibamos que essa vida passa, a terra passa, mas as Palavras dEle permanecem para sempre. Oro para que Deus nos de a intrepidez de Filipe, a sabedoria de Paulo, a liderança de Neemias, a coragem de Jeremias. Que Ele nos de o temor de Daniel, e um coração segundo o Seu como o de Davi, para que possamos anuncia-Lo, não só com obras, mas no caminho de casa ao trabalho, no intervalo do colégio/faculdade, no ponto de ônibus. Que tenhamos sabedoria para abandonar certas teologias que são bonitinhas, mas não passam disso, para viver o verdadeiro evangelho, o qual Cristo é o centro. "Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém." (Rm 11:36)
"Enquanto eles estavam falando ao povo, sobrevieram-lhes os sacerdotes, o capitão do templo e os saduceus, doendo-se muito de que eles ensinassem o povo, e anunciassem em Jesus a ressurreição dentre os mortos, deitaram mão neles, e os encerraram na prisão até o dia seguinte; pois era já tarde. Muitos, porém, dos que ouviram a palavra, creram, e se elevou o número dos homens a quase cinco mil." (Atos 4:1-4)

Ronnedy Paiva
Colunista

____________
* Essa frase é parafraseada de um livro que li e não lembro qual é (mals ae).

quarta-feira, 26 de março de 2014

Ainda...




Eu ainda me impressiono. Me impressiono com os sucessos, com os estigmas, com a falta de amor. Ainda me impressiono como a religião faz em nós, seres humanos, uma lavagem cerebral e não nos deixa entender que Cristo veio para pregar o amor, à Deus e ao próximo. Me impressiona o jovem que necessita de um abraço, ser considerado rebelde, porque seus responsáveis o xingam somente. Me impressiona o filho se sentir sozinho num lar, que tem no míximo outras cinco pessoas com ele.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Sobre os cansados e sobrecarregados, e os reclamões

Eu estou cansado de me cansar.

Sério. Estou cansado do cansaço.

Todo mundo se cansa. Todo mundo pensa em revoluções. Todo mundo quer mudança.

Todo mundo fala, mete a boca na internet. Todo mundo pensa de uma forma, mas na atitude, a hipocrisia vence.

Cansei de me cansar. Cansei das reclamações. Cansei dos reclamões. Cansei dos brigões. Cansei das polêmicas.





Sou polêmico. Aliás, acredito que esse seja um do espiritual, só não define ainda na minha tese se é proveniente do Espírito Santo, ou de outros espíritos aí.

quarta-feira, 12 de março de 2014

O cristão, a Igreja, a vida e o Sagrado. [Parte 3]

Ah a vida!


A vida é um mistério, curto mistério que nos faz acreditar que além daqui não exista nada. Que além do prazer do não exista vida.

Vida que nos faz pensar que as lutas são grandes demais; As alegrias, raras demais; As pessoas vazias demais.

Vida que nos faz crer em qualquer coisa, que nos traga benefício.

Vida que é como folha seca, que está aqui e logo é levada pelo vento.

Vida que é como vapor, que passa, as vezes, é notada, as vezes, nem percebida.

É difícil escrever sobre a vida. Acredito que o ministério de Cristo é o ministério da vida. Cristo não foi um homem, foi O homem. Se o primeiro Adão foi um protótipo que deu mau, Cristo foi o projeto terminado que deu bom.


quarta-feira, 5 de março de 2014

Meritocracia Cristã



   Por incrível que pareça, muitos cristãos defendem o mérito e a conquista como fatores que os levaram a melhores condições de vida. Frases de efeito como: “se você se esforçar você consegue” são entoadas constantemente por “cristãos vencedores” para estimular e justificar sua condição aos outros, esquecendo-se estes porém, que é estatisticamente remota a possibilidade de as pessoas sem praticamente nada conquistarem algo a mais. Isso comprova que a vida é extremamente mais difícil para uns que para outros e são exceções, pessoas que da miséria alcançam algo totalmente com as próprias mãos.