quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O cristão, a igreja, a vida e o sagrado. - [Parte 2]

Ah a igreja!


Lembro de uma frase a respeito do Brasil: "Brasil, ame ou deixe-o!"

Não sei se essa frase foi publicada, se existe um autor conhecido para ela. Contudo a paráfrase para a Igreja é a mesma: "Igreja, ame ou deixe-a!"

Confesso que a amo. Sou suspeito. Sempre achei que a igreja deve ser um lugar de vida.

Desde criança tive minha vida dentro desse local. Chame de templo. Chamem-me de religioso. Chamem-me do que quiser. Amo o local onde fui criado. Onde passei a minha infância.


Confesso que hoje, me arrependo de ter passado parte da minha adolescência fora dela.

Quero primeiramente esclarecer aos pseudo teólogos que criticam a igreja, que metem o pau em todo mundo, que entendo que a igreja é sim o ser humano. Contudo, nenhuma reunião dita eclesiástica ocorre em lugar nenhum. E sempre tive respeito pelo local onde o nosso culto é realizado. O templo não é centro, mas também não é um local para ser profanado, como nenhum outro.

Acho engraçado o que ocorre hoje em dia. As pessoas entendem que o templo não deve ser "adorado" ou ser uma expressão de desejo por Deus, vivendo como vivem "lá fora", dentro dela. Contudo, as pessoas sentem e reconhecem que algo tem de ser diferente lá dentro.

Sem nunca ninguém ter lhes dito nada, meninas se sentem incomodadas com algumas roupas que vestem para ir ao culto, as próprias as consideram inapropriadas.

Rapazes, sem nunca terem sido repreendido por ninguém, sabem quem determinadas camisetas trazem mensagens que não combinam com o local.

Mas não quero defender costume, o que quero dizer é que o que eu não me sinto a vontade para usar num culto racional (sei que estou indo lá para estar em comunhão com os irmãos e adorar a Deus), não devo usar ou me comportar daquela forma em lugar nenhum.

A igreja e o mundo precisam saber que liberdade é muito diferente de libertinagem.

Liberdade é saber que independente de quem sou, posso expressar minha identidade na presença de quem for.

Por exemplo: O skatista continua skatista onde for, por questão de identidade e não por portar objetos, ou o culto ter um skate em cima do altar.

Libertinagem é saber quem o outro é, e querer que assuma uma identidade semelhante a minha.

Por exemplo: Digo que não me adapto à determinado local porque eles não tem uma dinâmica para a minha tribo, ou a minha tribo não admite coisas que poderiam ser diferentes em nós, os outros que mudem para nos agradar.

Liberdade é respeito ao ser. Libertinagem é a denúncia do orgulho dentro do ser.

Na igreja há liberdade para chegar quem quiser. Mas não deve haver libertinagem, não devo destruir sua identidade, sua vestimenta, seu modo de pensar. Nem você deve achar que a igreja é obrigada a mudar o seu método para te agradar. O nome do jogo é adaptação, serviço, tanto da igreja para a sua vida; quanto de você à igreja.

A igreja é corpo, ou seja, muitos são um, e um representa o todo.

Assim como meu rosto, numa foto, representa todo meu corpo, qualquer membro da igreja representa o corpo de Cristo, naquilo que faz. Logo, você e eu somos parte disso, juntos; e separados representamos isso, em todo o lugar que estivermos.

A igreja é a comunidade do amor.

Sou enfático no ame ou deixe-a, exatamente porque o amor é o único elo que te sustentará dentro dela.

Você pode reclamar da instituição, dos dogmas, dos líderes, dos preconceitos.

Mas não pode negar que por vários momentos, ou raros que tenham sido, você experimentou do amor pela sua vida.

Diz a bíblia, restarão a fé, esperança e amor, mas o maior é o amor.

Amor, mais forte que a morte. A igreja é a responsável pelo culto fúnebre; e a maioria dos presentes nos mesmos, são os companheiros da caminhada de fé.

Amor, fortalece nas fraquezas. A igreja é quem te ampara nas dificuldades, os amigos que Deus lhe proporcionou através dela, provavelmente são aqueles que te abraçarão com força, para que o choro seja também compartilhado.

Amor, amor, amor e mais nada. Se não for esse o elo, tenha duas certezas: não se trata de uma igreja; e não está em foco o reino de Deus.

Por favor, se não estiver disposto a amá-la, mesmo que isso lhe custe a vida, não fale nada dela. Deixe-a, existe gente que ainda a ama.

Esse foi o nosso segundo, dos quatro textos. E a minha oração é para que o Espírito Santo te faça encontrar uma comunidade de fé, gente que ame à Cristo assim como você, e saiba respeitar a sua identidade e formar em você o caráter do Pai.


Que Deus nos abençoe. Espero estar abençoando a sua vida.

Graça e paz.


Mateus Machado
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário