quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

O cristão, a igreja, a vida e o sagrado. - [Parte 1]

O Cristão;

Ah se nós soubéssemos lidar com as áreas da nossa vida de forma coerente.

Ah, se nós fôssemos equilibrados.

Comecei a imaginar, como hoje é confortável ser cristão. Sim confortável.

Onde vivemos, pouco há de perseguição. A vida que levamos, considera tudo normal e relativo. Tudo pode, quando a gente acha que pode; e ao mesmo tempo, tudo é grave, quando a gente acha que é grave.

Sabe aquela coisa sem regra nenhuma.


Aprendi numa aula de filosofia, no meu primeiro ano de faculdade, assumir que algo é verdade pra si, trará consequências para isso, trará compromisso com aquela verdade.

Hoje, no cristianismo, compromisso é piada.

Assimilamos de forma equivocada, aquilo que é entendido por graça.

Entendemos por graça a falta de compromisso. Como diriam os antigos, adjetivos e reconhecimento como homem e/ou mulher de palavra não tem mais valor.

Assim, conseguimos viver premeditando os pecados.

Não são poucos os cristãos que conseguem assumir para si, pecam contando com a misericórdia e graça de Deus.

Não conseguem agir, como defende Ed René Kivitz, em seu livro: "Talmidim", que pecado é algo que nos pega de surpresa.

Não pensamos em pecar; não planejamos pecar. Pecar na verdade nos pega de surpresa e nos faz sentir mal com Deus, porque assumimos um compromisso com Deus de viver para Ele, nEle, santificados pelo sangue e pelos méritos da obra da cruz.

Se isso for cristianismo eu não quero ser cristão.

Se existe outro nome para quem não se enquadra nisso, gostaria de ser reconhecido, no final da minha vida dessa forma.

Hoje, dentro da igreja, lugar onde deveríamos ser encorajados à vida para Deus, e não ao conformismo com o mundo, não temos mais exemplos, inspirações de vida.

Sinto-me envergonhado, mas a última pessoa que me impulsiona a querer levar a uma vida com Deus, que tive contato, tem mais de 90 anos de idade, e mesmo assim, acredito que sou um dos poucos que realmente notam essa pessoa, e a enxergam como alguém usada por Deus.

Hoje, a igreja está tão conformada, que números são sinal de sucesso e devoção sinal de religiosidade.

Cristo mudou o mundo com doze homens apaixonador e crentes nele. Doze que oravam, jejuavam e se preocupavam em obedecer a Deus. Cristo não mudou o mundo com multidões. A vida com Deus no quarto secreto ainda é mais importante para sua fé, do que as reuniões de "poder" que você tem em grupo.

Esse é só o primeiro dos 4 textos que pretendo escrever, falo sobre o cristão e a comunidade deles reunidos. Um cristão sozinho deve representar Jesus na terra. Dois ou três reunidos em nome do Senhor são Igreja; e a Igreja é responsável pela manifestação do reino de Deus, da forma que Ele gostaria que fosse, com os valores do Deus que ela conhece; seja Ele Jeová, ou qualquer outro por aí.

Que Deus nos abençoe nessa caminhada. E que o Pai, o Filho e o Espírito Santo nos guie. E nos ajude. Em nome de Jesus.


Graça e paz.


Mateus Machado
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário