quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Sobre nós, um pouquinho de espiritualidade sadia e o Salmo 19


"Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz. A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol, o qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho. A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor. A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e ilumina os olhos. O temor do Senhor é limpo, e permanece eternamente; os juízos do Senhor são verdadeiros e justos juntamente. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos. Também por eles é admoestado o teu servo; e em os guardar há grande recompensa. Quem pode entender os seus erros? Expurga-me tu dos que me são ocultos. Também da soberba guarda o teu servo, para que se não assenhoreie de mim. Então serei sincero, e ficarei limpo de grande transgressão. Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!" Salmos 19


Eu gosto dessa questão espiritual. De verdade, é algo que me chama atenção.

Acredito na espiritualidade, e acredito na razão. Não necessariamente opostos, mas acredito que são fatores de uma fé saudável.

Concordo com CS Lewis: Não somos seres carnais, vivendo experiências espirituais, mas seres espirituais tendo experiências carnais.

Mas também concordo com Leonardo Boff, que defende ser espiritual características de valores, princípios, ou de bem comum, como: generosidade, amor ao próximo, boas ações, etc.

Acho que existe um equilíbrio entre as coisas. Não gosto da teologia dos mundos espirituais. Não gosto da teologia que só pensa no homem.

Não gosto de saber os possíveis nomes de demônios e suas mandingas, mas também não quero anular a sua existência, a bíblia fala sobre tais seres, e suas ações no nosso mundo.

Enfim, gosto de pensar na vida. Gosto de refletir e meditar na palavra do Senhor, para que essa nos gere vida, nos gere pensamentos novos, nos gere novas atitudes, compreensões, ações e sinalização do reino de Deus na terra.

E nos deparamos agora, com um maravilhoso salmo (me desculpe, mas para mim todos os são).

Salmo que fala de Deus, espírito. Fala da natureza, matéria. E fala sobre o homem, sua criatura.

Salmo maravilhoso. Convido você, para meditar comigo, e que o Senhor nos guie através do seu Santo Espírito, pela sua misericórdia.

Como já pontuei, sem exageros. Somos gente que precisa aprender mais.

Existe um cântico antigo que diz: "preciso aprender um pouco aqui, preciso aprender um pouco ali, eu preciso aprender mais de Deus..." Esses somos nós. Precisamos aprender mais de Deus. Em Eclesiastes 3:11, diz que temos anseio pela eternidade, iria um pouco mais longe, temos anseio por vislumbres dessa eternidade aqui e agora, no tempo e na terra.

Nós precisamos aprender de Deus, e nessa ânsia de se conhecer, aprender, receber uma nova revelação, vemos heresias e ensinos não tão comprometidos assim com os ensinos de Deus na sua palavra.

O salmo 19, para mim, serve como uma denúncia, à uma espiritualidade somente contemplativa, e uma espiritualidade que não gera vida, transformação, mudança, transformação de mundo. Entre outras coisas.

Em primeiro lugar, o décimo nono salmo nos ensina que: melhor é aprender de Deus durante o cotidiano do que em fatos superespirituais.

Vou explicar. A crise hoje, em nós e naquilo que dizemos e ouvimos está tão acentuada, que crer numa intervenção de Deus de forma sobrenatural é quase impossível. A fé, hoje é algo tão pouco conversado e transmitido às crianças, que Deus se torna um presenteador, no máximo um velho bravo e rabugento, mas não alguém que pode intervir na história.

Tantas filosofias, ideias, preconceitos, falta de amor, caos. Tudo isso nos leva, muitas vezes se não sempre, a duvidar da manifestação de Deus, no meio do seu povo, para o seu povo e através do seu povo.

O salmo dezenove denuncia nossa crise fé no sobrenatural. Somos hoje gente que prefere ver técnicas psicológicas dentro da igreja, do que confiar no consolo do Espírito Santo de Deus. Prefirimos tomar remédios e antidepressivos à crer que o Senhor tem cuidado de nós, podemos lançar sobre Ele nossa ansiedade, e podemos crer que a oração gera uma paz que excede todo o entendimento humano.

O salmo ensina, desenvolva sua fé, numa perspectiva mais natural. Aprenda que espiritual é uma mãe que trabalha o dia inteiro, chega em casa e consegue abraçar, amar, e trazer harmonia para sua casa. Que o pai, mesmo depois de muito cansado pode beijar e abraçar seus filhos.

O que quero dizer, não é que sou contra intervenções médicas, ou que cristãos não ficam doente, não passam dificuldade. Mas o que defendo, é que hoje, num tempo onde a incredulidade reina, onde está na moda dizer-se ateu, cético, ou qualquer coisa do gênero, o remédio é aprender, que a vida em si só, traz muita espiritualidade.

Viver, naquilo que temos vivido. Compromissos, agendas, negócios, frustrações, decepções e dilemas, não seriam possíveis se não estivéssemos de alguma forma sendo cuidados.

Davi nos ensina, pare. Analise tudo o que você tem passado. Olhe para o céu. Olhe para sua casa. Olhe para seu serviço. Olhe para a faculdade. Olhe para esse tempo você tem tido. Tem certeza que nada disso é fruto do cuidado e da mão de Deus sobre você?

Uma coisa não podemos negar, colocar Deus em todas as situações nos causaria uma grande neurose. Tirá-lo de todas, nos causaria perda de esperança.

Em segundo lugar, o décimo nono salmo nos ensina que: se por um lado existe crise de fé, uma espiritualidade no mínimo esquisita, por outro lado temos a Palavra do Senhor.

Meu irmão. Nisso você há de concordar. Não temos em nossas mãos um livro de auto ajuda. Não temos conosco, um manual de instruções de Deus. Não temos em nossas mãos também uma orientação para o benefício pessoal. Temos em nossas mãos a Palavra de Deus.

E quero dizer que a bíblia é sim a palavra de Deus. Já confessei em outros textos, sou ortodoxo e bíblia é bíblia para mim de capa a capa! Sem essa de que contém, ou é. Para mim, é inerrante, totalmente inspirada da parte de Deus, para nos orientar aos seus caminhos.

Digo isso por algumas razões:

1 - A bíblia é divina, porque nos apresenta Deus.

A bíblia não está interessadas em saber quem você é. Com sinceridade, a mesma bíblia, a mesma mensagem que eu carrego, é a mensagem que carrega o presidente dos Estados Unidos. A mesma mensagem que tem o mendigo que é evangelizado com um novo testamento tem, o deputado corrupto que em época de eleição aparece mais vezes em sua igreja tem também. A bíblia mostra que Deus não faz acepção de pessoas, que não seremos julgados pelo que construímos ou possuímos, mas pelo amor e devoção ao Senhor, e obediência aos seus preceitos. A bíblia anuncia o criador de todas as coisas; o povo eleito de Deus para que Ele o governe; fala do pecado de gente que não quis saber de Deus; do sacrifício por parte de um ato voluntário do próprio Deus para redenção universal à todos aqueles que virem a crer; fala da ressurreição do filho de Deus e do seu retorno glorioso. A bíblia está preocupada com Deus e não com quem a lê.

2 - A bíblia é divina, porque nos apresenta a humanidade.

Como um livro pode não ser divino tendo tantas denúncias à nossa alma, à nossa queda? Como um livro pode não ser divino, falando com tanta propriedade sobre assuntos que perscrutam o nosso coração. Pecados, pensamentos, lábios lisonjeiros, planos maléficos, carências, peso de consciência, arrependimento. Como? Como a bíblia pode não ser divina se é por ela que conhecemos quem somos, todos os nossos erros perante um Deus três vezes santo, onipotente, oniscente e presente. A bíblia é divina, porque mostra que o homem sem Deus, haja visto os países que aderiram à bandeira "sem religião" e mataram milhares de milhares, e milhões de milhões (muito mais do que os mortos pelas cruzadas - aliás, as cruzadas foram consequência de uma época em que a bíblia não era lida por todas as pessoas, mas só por gente que tinha fome e sede de poder, mas isso é polêmico demais).

3 - A bíblia é divina, porque nos apresenta a redenção.

Que outro livro poderia ser mais espiritual ou sensacional que esse. Apresentando um Deus santo, todo-poderoso, único digno de louvor e adoração, que odeia o pecado, que é adorado por anjos, querubins e serafins, se sacrifica por amor à sua criação. Que livro é esse onde a sua divindade revelada se entrega por amor da sua criação, num ato voluntário, que não pode ser comprado, mas chama os seus por esse ato de amor. Que livro é esse? Que livro é esse que pode falar de alguém manso, humilde de coração, justo, bom, cura enfermos e doentes, liberta cativos, faz cegos enxergarem, e morre no lugar de gente corrupta, que abusa, que estupra, mata, rouba. Que livro é esse senão a palavra de Deus! A porção que o próprio Senhor nos trouxe do céu, para que nos transformasse de glória em glória em gente que ama a causa pela qual Ele luta.

Em nome de Jesus, aprenda a contemplar a Deus, e se relacionar com Ele, porque você tem em suas mãos a sua santa palavra. Porque esse livro já foi queimado, rasgado, motivo de vergonha. É motivo de perseguição em vários lugares do mundo. E traz alívio, alento e amor para sua alma abatida. Leia a bíblia e conheça o Deus que nela está revelada.

E por último.

O décimo nono salmo nos ensina que: contemplação de Deus, seja do modo que for, gera transformação de vida.

Engraçado gente que adora a Deus da mesma forma a tanto tempo. Gente que a sua vida não mudou em nada depois do evangelho. Que depois do contato com a palavra do Senhor, não teve sede de Deus, nem mudança de comportamentos. Gente que não experimentou do toque do espírito em todas as áreas da vida. Gente que nunca deixou de viver para que em seu lugar, estivesse vivendo Cristo.

Não quero ser juiz, mas há muito não vejo gente parecida com o Mestre. Há muito não vejo gente com sede do reino na terra, como o Mestre. Há muito não vejo gente preocupada com quem não tem gente que se preocupe por elas, como o Mestre.

Algo está errado. E a espiritualidade que eu acredito, que o salmo nos ensina é: espiritual mesmo é mudar a vida. A sua, a dos seus semelhantes e a de quem o Senhor colocar em seu caminho. Porque somos sal e luz, para lumiar e salgar, e não ser jogados pelos caminhos, como muitos dos crentes estão.


Que Deus nos abençoe.

Que o Senhor nos leve em temor, a praticar aquilo que acreditamos, a buscar a sua face para uma revelação sobrenatural e impactante.

E que a palavra arda novamente em nossos corações.

Para a glória de Deus, e a sinalização do seu reino. Agora e para sempre. Amém

Graça e paz.


Mateus Machado
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário