quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Sobre o natal, gente com gente e essa coisa de datas comemorativas.


Não quero ser mais um fariseu.

Não quero ser mais um, que ao olhar para o natal, falará que todos se equivocam com a troca de presentes, a ceia farta e abraços carinhosos.

Não quero ser mais um, que ao olhar para os gastos de fim de ano, colocará a culpa no sistema que vivemos, onde gastar é sinônimo de felicidade, quando o "verdadeiro" significado do natal é outro.

Acho imbecil essa história dos cristãos quererem se considerar mais especiais que os outros. Acho que as pessoas, nas suas variadas crenças devem se respeitar.

Aliás, o natal, é o nascimento de alguém que fez diferença no mundo, na história, para a humanidade. Cristão, que tal você nascer também? Nascer e sair dessa sua zona de conforto e mudar, o mundo, a história, a vida dos que precisam, para benefício da humanidade.

Como disse, para muitos natal é mais um feriado, sem significado, só um dia de folga.

Para outros, um dia superespiritual. Ainda existem aqueles que acreditam que o natal é crença dos outros.

Para mim, o Natal apresenta que nem tudo que a gente vê é realmente do jeito que é.

"Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Ele estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, estabelecido e mantido com justiça e retidão, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isso". Isaías 9:6-7

Primeiro, um menino que tem todo o governo. Alguém que acaba de nascer, mas é totalmente maravilhoso, sabe de todas as coisas, tem o domínio em suas mãos, mas na profecia revelada por Isaías, ainda é um menino. Meninos precisam crescer, tornar-se homens, para que suas vidas encontrem sentido e cumpram aquilo que desejam fazer.

Segundo, fala de um reino diferente. Antes dar graças porque em uma época do ano gente se preocupa com gente, do que manter-se da mesma forma de sempre, gente se desrespeitando, se atacando, não se amando. Pelo menos um dia que seja do ano, gente senta em volta da mesa e toma a ceia, todos juntos. Talvez, não a "santa ceita", mas para você, o que torna o pão e o vinho (ou suco de uva) santos? Não é o significado do corpo de Jesus.

Terceiro, fala de um ato de graça. O zelo do Senhor fará isto. Não é você que está fazendo nada, nessa época, a gente comemora aquilo que Deus faz para com os homens. Sem lhes cobrar nada, sem lhes dizer nada.

Então, por favor. Pare com esse papo de criticar a festa dos outros.

Pare por favor, de chamar de consumista os que gostam de dar presentes.

Pare por favor, e veja que muito mais do que você acredita, é um tempo onde a harmonia, união de famílias, troca de lembranças, afetos, deve ser comemorada.

E depois que acabarem as festas, depois que passar o fim de ano. Volte a falar de religião, de quem vai pro céu ou pro inferno. De quem é pagão ou diabólico. Aprenda a ser gente, que crê em Cristo. Porque hoje, os cristãos precisam com certeza aprender a ser mais gente.


Que Deus te abençoe nessa noite. Um feliz natal - com sentido, ou simplesmente pela comemoração da união. Uma boa festa. E aproveite da sua família.

Um grande abraço.

Mateus Machado
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário