quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Sobre o natal, gente com gente e essa coisa de datas comemorativas.


Não quero ser mais um fariseu.

Não quero ser mais um, que ao olhar para o natal, falará que todos se equivocam com a troca de presentes, a ceia farta e abraços carinhosos.

Não quero ser mais um, que ao olhar para os gastos de fim de ano, colocará a culpa no sistema que vivemos, onde gastar é sinônimo de felicidade, quando o "verdadeiro" significado do natal é outro.

Acho imbecil essa história dos cristãos quererem se considerar mais especiais que os outros. Acho que as pessoas, nas suas variadas crenças devem se respeitar.

Aliás, o natal, é o nascimento de alguém que fez diferença no mundo, na história, para a humanidade. Cristão, que tal você nascer também? Nascer e sair dessa sua zona de conforto e mudar, o mundo, a história, a vida dos que precisam, para benefício da humanidade.

Como disse, para muitos natal é mais um feriado, sem significado, só um dia de folga.

Para outros, um dia superespiritual. Ainda existem aqueles que acreditam que o natal é crença dos outros.

Para mim, o Natal apresenta que nem tudo que a gente vê é realmente do jeito que é.

"Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Ele estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, estabelecido e mantido com justiça e retidão, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isso". Isaías 9:6-7

Primeiro, um menino que tem todo o governo. Alguém que acaba de nascer, mas é totalmente maravilhoso, sabe de todas as coisas, tem o domínio em suas mãos, mas na profecia revelada por Isaías, ainda é um menino. Meninos precisam crescer, tornar-se homens, para que suas vidas encontrem sentido e cumpram aquilo que desejam fazer.

Segundo, fala de um reino diferente. Antes dar graças porque em uma época do ano gente se preocupa com gente, do que manter-se da mesma forma de sempre, gente se desrespeitando, se atacando, não se amando. Pelo menos um dia que seja do ano, gente senta em volta da mesa e toma a ceia, todos juntos. Talvez, não a "santa ceita", mas para você, o que torna o pão e o vinho (ou suco de uva) santos? Não é o significado do corpo de Jesus.

Terceiro, fala de um ato de graça. O zelo do Senhor fará isto. Não é você que está fazendo nada, nessa época, a gente comemora aquilo que Deus faz para com os homens. Sem lhes cobrar nada, sem lhes dizer nada.

Então, por favor. Pare com esse papo de criticar a festa dos outros.

Pare por favor, de chamar de consumista os que gostam de dar presentes.

Pare por favor, e veja que muito mais do que você acredita, é um tempo onde a harmonia, união de famílias, troca de lembranças, afetos, deve ser comemorada.

E depois que acabarem as festas, depois que passar o fim de ano. Volte a falar de religião, de quem vai pro céu ou pro inferno. De quem é pagão ou diabólico. Aprenda a ser gente, que crê em Cristo. Porque hoje, os cristãos precisam com certeza aprender a ser mais gente.


Que Deus te abençoe nessa noite. Um feliz natal - com sentido, ou simplesmente pela comemoração da união. Uma boa festa. E aproveite da sua família.

Um grande abraço.

Mateus Machado
Colunista

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Sobre Ele e ela. [Parte 7]




Ele ainda sonha que ela cresça. Ele ainda quer que ela se torne madura. Ele ainda quer ser o foco. Na verdade, ele deseja ser o foco novamente.  Ele está com o coração apertado.

Hoje, ela se volta contra ela mesma.

Ela se bate, se xinga, se ataca. Ela pensa que superestimando seus defeitos alcançará transformação. Ela pensa que pela força dos seus líderes alcançará a redenção. Ela ainda não aprendeu que precisa de Jesus, e "só" ele.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Sobre nós, algumas verdades do Reino de Deus, e o salmo 17



"Ouve, SENHOR, a justiça; atende ao meu clamor; dá ouvidos à minha oração, que não é feita com lábios enganosos. Saia a minha sentença de diante do teu rosto; atendam os teus olhos à razão. Provaste o meu coração; visitaste-me de noite; examinaste-me, e nada achaste; propus que a minha boca não transgredirá. Quanto ao trato dos homens, pela palavra dos teus lábios me guardei das veredas do destruidor. Dirige os meus passos nos teus caminhos, para que as minhas pegadas não vacilem. Eu te invoquei, ó Deus, pois me queres ouvir; inclina para mim os teus ouvidos, e escuta as minhas palavras. Faze maravilhosas as tuas beneficências, ó tu que livras aqueles que em ti confiam dos que se levantam contra a tua destra. Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas, Dos ímpios que me oprimem, dos meus inimigos mortais que me andam cercando. Na sua gordura se encerram, com a boca falam soberbamente. Têm-nos cercado agora nossos passos; e baixaram os seus olhos para a terra; Parecem-se com o leão que deseja arrebatar a sua presa, e com o leãozinho que se põe em esconderijos. Levanta-te, Senhor, detém-no, derriba-o, livra a minha alma do ímpio, com a tua espada; Dos homens com a tua mão, Senhor, dos homens do mundo, cuja porção está nesta vida, e cujo ventre enches do teu tesouro oculto. Estão fartos de filhos e dão os seus sobejos às suas crianças. Quanto a mim, contemplarei a tua face na justiça; eu me satisfarei da tua semelhança quando acordar." Salmos 17:1-15

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Sobre Ele e ela. [Parte 6]

Para mim não há separação.

Não há divisão.






Podem ocorrer problemas. Podem ocorrer entraves. Podem ocorrer dificuldades. Podem ocorrer discussões. Tudo isso, não só pode como deve. Não existe visão, opinião e planejamento que não precise de um renovo; que não precise de um ânimo novo; que não precise de uma forma de abordar, um lugar novo à agir.

Não existe opinião fixa? Não existe fundamentos sólidos e inalteráveis?

Isso também é mentira. Existem fundamentos, princípios e valores que não se negociam. Não é tudo relativo. Não é tudo subjetivo. Não é tudo do jeito que você pensa. Não é tudo incerto. Não é cada um por si e Deus por todos.