quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Sobre Ele e ela [Parte 3]



Eu ainda não aprendi a viver assim.

Lugar onde ninguém se cumprimenta. Ninguém se olha. Não se abraçam para não gerar expectativas. Não se beijam por temer os olhares julgadores.

Pessoas tem sido afastadas por pensamentos, por imaginação e não pela realidade. 

Aprendi com o tempo que se nos mantivéssemos exclusivamente nos acontecimentos e não em nosso modo de pensar, muitos dos problemas teriam sido evitados.

Se fossemos capazes de viver sem se importar tanto com a opinião dos outros, como seríamos?

Se você agisse como quando está sozinho, na frente de todos, como será que eles te olhariam.

Se a autenticidade não fosse hoje tão banalizada, do que seria chamado?

O que é para você hoje, aquilo que diz crer?

O que crê é vivenciado no dia a dia?

O que você crê é aquilo que você diz? 

E o que você tem a me dizer sobre esse Deus?

Não sou do tipo de falar de experiências. Acredito na subjetividade delas, e na importância delas para que cada indivíduo busque as suas. Deus certamente não falará com você da mesma forma que falou comigo. Deus não usará você, exatamente da mesma forma que usou a mim. Deus é criativo demais para querer as mesmas coisas.

Falando em hábitos e costumes. O que era aquilo que você fazia de todo o coração, e hoje parece ser vazio de significado? O que é a oração que hoje, fala tão pouco do Pai maravilhoso que está nos céus, e tanto das suas dificuldades, da necessidade dEle intervir.

Não sei. Acho que sou careta. Quando oro, ou melhor, quando fico consciente da sua presença, aprendo que Ele quer mais da minha vida, e menos das minhas palavras. Mais do meu coração e menos das minhas idéias. Deus é algo que extrapola nosso vocabulário, mas é Deus para ser amado.

Não há nada que o AMOR, em sua forma literal, deseje mais, do que ser amado de verdade, por suas criaturas.

Que o Senhor, de amor e misericórdia, derrame do seu perdão sobre nós. E que esse não seja mais um texto que você leu. Que te leve à uma profunda reflexão. Ele ainda quer mais dela.

"Amados, amemo-nos uns aos outros, pois o amor procede de Deus. Aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, visto que Deus assim nos amou, nós também devemos amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor está aperfeiçoado em nós". 1 Jo 4:7-12



A graça e a paz.


Mateus Machado
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário