quarta-feira, 31 de julho de 2013

Não somos os heróis

COLUNISTA NOVO - THALES ANDRADE|

“... e o meu pecado está sempre diante de mim.” Salmos 51: 3

  É simples acessar a internet, ligar a televisão ou um rádio, e ver o quanto o homem é importante (no meio religioso muito mais que no meio secular). A mídia é apenas uma das formas de transmissão de uma idéia, quando não colocamos a culpa nela, colocamos no mais frágil, nos que menos gostamos, no diabo, no cachorro, no cara da internet, mas nunca em nós mesmos. Nós, e apenas nós somos culpados por isso, não há como fugir da responsabilidade de que NÓS buscamos ser o centro da atenção, de que sempre tentamos ser o herói, os santos, os dignos, os perfeitos, os intelectuais, o exemplo, não importa o que façamos ou onde estamos, tentamos por nós mesmos ser quem não somos.

  Criamos músicas do tipo: Deus me fez forte, eu posso, sou campeão, sou vencedor, Deus fica feliz porque sou bom, piso na cabeça da serpente, quero benção, quero vida, preciso de um milagre, mostra-me Sua face, eu rejeito a dor, não vou chorar, etc. Enfim, músicas voltadas a nós, filmes do mesmo modo, livros também da mesma forma. Tudo, e nada menos que isso é o que queremos, obviamente, tudo o que é “agradável” a nós.

  Isso não é ser cristão, é ser humanista, é colocar o homem no centro, é dar importância a criatura ao invés do Criador, é nos colocarmos na louca e enganosa autoridade de dizer a Deus o que é certo e o que é errado. É dizer a Deus: “Eu faço, porque você não tem caráter!”

  Musicas do tipo “Deus me diz: você é tudo que sempre sonhei” é a pior mentira que se pode contar. Acha mesmo que Deus sonharia com um pecador que se recusa a ser curado? Um adorador de nós mesmos? Alguém que rejeita o próprio Deus? Pessoas que mentem por prazer?  Pessoas que não sabem e fazem questão de não saber o que é o amor? Deus desejaria isso?


  Paulo, aos Romanos, fala sobre a natureza do homem de forma objetiva:

“... Não há justo, nem um sequer. Não há quem entenda; não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, a uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer...” Romanos 3:10-12

  Deus nos criou para sermos bons, assim como Ele é, mas todo o dia escolhemos não ser, preferimos o que nos destrói, o que nos mata, o que alimenta nossa carne de forma nojenta. Se tivéssemos a eternidade para fazer tudo diferente, faríamos tudo exatamente do mesmo modo sujo. Essa sujeira está em nós, está escrito em 1 João 1:8: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós.” E um pouco mais adiante, em 1 João 1:10: “Se dissermos que não temos pecado, fazemos a Deus mentiroso e Sua palavra não está em nós.”

  Não somos capazes, nunca fomos e nunca seremos. Não merecemos nada melhor do que à morte e por fim o inferno. Não somos campeoes. Não somos vencedores. Não sabemos amar. Não sabemos viver dignamente. Não amamos nosso próximo. Não queremos a verdade. Não queremos paz. Não queremos vida. Ainda assim, somos capazes de julgar, julgar e julgar. Sempre atiramos a primeira pedra. E o pior, somos orgulhosos disso.

  Mas graças a Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos enviou seu filho amado, para ser o que não somos, fazer o que não fazemos, escolher o que nunca fomos capazes de escolher, e amar como nunca amamos. Graças a nosso Senhor Jesus Cristo, que nos atraiu a ele, e nele podemos ser o que não somos. Jesus quebrou nossa natureza, de forma que não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim. Não amo por mim mesmo, amo com o amor dele. Sou incapaz de ser santo, mas nele sou filho de Deus. O meu pecado está sempre diante de mim, mas Cristo está à frente de tudo. Quando ele ressuscitou, eu ressuscitei com ele. Ele me amou, e por isso eu o amo. Não há nada que parta de mim mesmo, tudo provém dele. Meus passos continuam sujos, mas Cristo é limpo, ele disse que nele eu encontraria descanso, e confio nele, não em mim. Cristo é suficiente não só para me limpar dos meus pecados, mas também para limpar o mundo inteiro. Não há nada que eu possa fazer, pois, tudo já foi feito. Deus já nos abençoou com todas as bênçãos celestiais em Cristo Jesus. Tudo está consumado.

  Que a vida de Cristo em nós não seja uma idéia, não seja uma energia positiva, uma boa sensação, uma marcha, uma religião, mas que seja a única coisa pela qual vivamos, e se for tirada de nós não existe vida. Que saibamos que Cristo morreu a dois mil anos atrás e ressuscitou no terceiro dia. A vida não tem sentido objetivo se isso de fato não aconteceu. Não existe razão para estarmos aqui. Nada me diferencia de um psicopata, pois tudo se torna relativo. Não existe ordem, não há porque amar. Se Cristo não ressuscitou, como diz Paulo, “comamos e bebamos porque amanha morreremos.”


 Thales Andrade
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário