segunda-feira, 11 de março de 2013

De todo Coração, Alma, ENTENDIMENTO e Força [3/4]

“Qual é o principal de todos os mandamentos¿  Respondeu Jesus: O principal é:  Ouve, ó Israel, o Senhor, teu Deus, é o único Senhor! Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, te toda a tua alma, de todo o teu entendimento, e de toda a tua força.” Marcos 12:28-30

Entendimento: Faculdade de conceber e entender; inteligência; razão.¹

Já lemos como amar a Deus com o nosso coração e com a nossa alma. Mas, como amar a Deus com o nosso entendimento, como a nossa mente?

Muitas crentes, infelizmente, ignoram o estudo das escrituras (exegese). Creem que a Teologia atrapalha a vida cristã. Admiram grandes homens de fé que, através de seus estudos ajudaram a igreja primitiva, e que ainda dão ‘luz’a pensamentos contemporâneos, mas não se esforçam um terço do que eles se esforçaram para aprender um pouco dEle. Querem a sua inteligência, mas não querem percorrer o caminho que eles trilharam para chegar até “ali”.

A leitura da Bíblia é deixada de lado, como se ela pudesse ser ignorada. Esquecem-se que a leitura é essencial para aprender mais do Senhor e crescer em entendimento. Não que um dia poderemos compreender Deus em exatidão, mas precisamos entender o que Ele falou, o que a Bíblia diz sobre nós, sobre o mundo, sobre Deus. E isso vem através da pesquisa, da leitura das  Sagradas Escrituras. Precisamos entender, mas não engessar Deus na Bíblia, como se o que Ele pode fazer está estritamente ali, condensando o poder de Deus em palavras. Deus é maior que a Bíblia. Mas ainda assim Ele é o Deus que inspirou homens para escrever aquilo que hoje, é Palavra de Deus escrita para nós, e que não deve ser ignorada.

E o problema disso tudo, é que tem se criados cristão superficiais, que oram superficialmente, leem a Palavra superficialmente, e adoram superficialmente. Crentes superficiais, com um modo de vida superficial, verdades superficiais, e respostas superficiais. E enquanto o mundo luta para encontrar certas respostas –como o sentido da vida; de onde viemos; para onde vamos-, os crentes se desviam para responde-las, ou pelo menos para tentar chegar a uma resposta coerênte, pela Palavra, que possam dar um norte a elas.

 
Certa vez ouvi falar que, antigamente, quando um pastor  ia pregar, e levava para o pulpito um esboço da pregação, é porque o Espirito Santo não estava mais com ele. Aquele estudo que estava anotado para não sair nenhuma heresia, ou para embasar o que ele estava falando, representava para muitos a perca do dom da pregação.

Hoje podemos rir disso, porém muitos fazem isso ainda, ou pelo menos ignoram o estudo. Vivem erroneamente pela Fé, achando que quando forem confrontados por um crente ou um não crente sobre a sua fé, descerá um conhecimento sobrenatural (não que isso não possa acontecer, mas creio que Deus abençoa com conhecimento dos céus aqueles que buscam isso) dos céus e poderá responderá tudo, com uma retórica perfeitaconvencendo assim os seus “oponentes”.

Oséias 4:6a fala: “O  meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento”. Este conhecimento do qual Deus fala, não é apenas conhece-lo de ouvir falar, mas de vê-lo, de participar do Seu sofrimento. De conhece-lo porque tem intimidade com o Pai, de conhece-lo, porque o ama. E amar é conhecer. Como um noivo quer conhecer o passado de sua noiva, Deus, como Noivo, quer que a Sua noiva o conheça também. Pois Ele já nos conhece desde antes do ventre da nossa mãe (Jr 1:5).

Seria estranhamente contraditório afirmar que ama sem conhecer. O(A) noivo(a) busca conhecer a(o) noiva(o), e não pode simplesmente ignorar o passado dela(e). E este ignorar que falo, não é de saber o que aconteceu no passado e deixar tudo bem, de não levar em conta o seus feitos. Mas de ignorar totalmente o que ela(e) é, de não querer saber; de basicamente conhecer a partir daquele momento, e assim viver; sem saber onde nasceu, nome dos pais, etc etc etc.

Amar a Deus com o nosso entendimento, é se aprofundar nEle. Buscar através da leitura uma revelação que só Ele pode dar, e Ele dá para aqueles que O buscam. Essa é uma promessa dEle para nós: que se O buscarmos de todo o nosso coração, O encontraremos. 

E embora hoje, como diz Paulo, vejamos como em um espelho, obscuramente; logo O veremos Face a Face. Agora, O conhecemos em parte, então O conheceremos também como Ele nos conhece (1 Co 13:12).

Que “conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR.” (Os 6:3a), pois o amor cresce em conhecimento, e o conhecimento nos da sabedoria, e a sabedoria está em Deus.

Ronnedy Paiva
Colunista

1. Mini Dicionário Luft 14º edição

sexta-feira, 8 de março de 2013

Os dons do Espírito Santo relatado por Paulo III: O dom da fé.


“Outro, no mesmo Espírito, a fé.”
1Corintios 12:9a (grifo meu)
Hoje estudaremos a respeito dos dons do Espírito Santo, o dom da fé. Atualmente fala-se de vários tipos de fé. Demonstram fé esperando algo em troca. Isso não é fé, isso é Teologia da Prosperidade. Pra quem não sabe Teologia da Prosperidade é crer (fé) que você sendo um verdadeiro cristão deve desfrutar de uma rica e excelente situação financeira. Fé não é isso. Você não deve fazer algo pra Deus esperando que Ele vá te retribuir dando O MELHOR pra você. Ele já te deu o direito da vida, Ele pago sua divida na cruz com Seu Filho. Isso é Fé.
Sobre isso, William Barclay em seu comentário sobre o livro de Hebreus contribui com sua definição sobre a confiança em Deus contra o mundo: “Se seguirmos as normas do mundo bem pode ser que obtenhamos folga, comodidade e prosperidade; se seguirmos as normas de Deus pode ser que soframos tribulação, perdas, desconfortos e impopularidade”. Porém, aquele que acredita em Deus, com toda a esperança que existe, é o que de fato rege toda a conduta do homem e é o que domina sua ação.
Essa conduta do homem e que é que domina a sua ação vem através da fé. E sobre isso, não tem como não falar de fé sem tratar a respeito de Hebreus 11. A centralidade desse capitulo foca-se na fé e o que é viver, respirar a fé. As definições a respeito de alguns exemplos históricos de fé que encontramos em Hebreus 11:
JUSTO ATRAVÉS DE SUAS OFERTAS (v.4): Pela fé, ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala.”
INTIMIDADE ATRAVÉS DE SUA VIDA (v. 5): Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado a Deus.”
O TEMOR QUE SALVA TODOS (v.7): Pela fé, Noé divinamente instruídos acerca de acontecimentos que ainda não serviam e sendo temente a Deus, aparelhou uma arca para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé.
A OBEDIÊNCIA NO IMPROVÁVEL (v.8): “Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia.”
A FÉ NO FIEL (v.11): “Pela fé, também, a própria Sara recebeu para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel àquele que lhe havia feito à promessa.”
O AMIGO DE DEUS (v. 23-30): “Pela fé, Moisés, apenas nascido, foi ocultado por seus pais, durante três meses, porque viram que a criança era formosa; também não ficaram amedrontados pelo decreto do rei.”
O DOM DE ACREDITAR EM DEUS (v. 32-34): “E que mais direi? Certamente, me faltará o tempo necessário para referir o que há a respeito de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas, os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões [...]”.
O que eles tiveram em comum foi a sua fé. E fé pode ser definida como crer, acreditar e confiar em Deus. Esses versículos acima mostraram sobre a fé que faz maravilhas, ou seja, crer que Deus vai cumprir suas promessas.
Agora é o momento que você me pergunta: Mas todo mundo que é cristão tem fé? Não necessariamente. Estamos falando de uma fé cristã, uma fé que crê nas promessas de Deus, e tem gente que até por ser tão inocente na sua espiritualidade, não confia em Deus. Escolhem acreditar em pessoas, e acabam venerando grandes lideres, pessoas públicas como o exemplo a ser seguido. O que ele diz é o caminho que deve seguir. Porém, conseguimos mudar isso. Você que é uma pessoa que age com total confiança em Deus, que sabe que somente em Deus pode vencer todas as barreiras, superar limites, sabe que deve sempre olhar para o alto e avançam enquanto outros param no caminho, você impacta essas pessoas que são inocentes e através disso, da o primeiro passo para as mesmas, criarem uma atitude de dependência em Deus através do Espírito Santo. A verdadeira fé é centrar na pessoa de Deus e em suas promessas, pedindo para Ele o necessário e crer que Ele proverá. Isso é um dom. O Espírito Santo que age dentro de você capacitando para viver na dependência e obediência de Deus. E a melhor parte, O Espírito Santo quer que tenhamos esse dom.
Acreditar em Deus é saber que mesmo na tribulação você será mais que vencedor com Ele.

Ora, a fé é a certeza de coisas se esperam, a convicção de fato que se não veem.”                        Hebreus 11:1
“De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.”                                                                                           Hebreus 11:6

Partes desse estudo:

quarta-feira, 6 de março de 2013

Perdão


Portanto , vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!

A TRINDADE, para nos salvar, tinha de perdoar-nos por nossas ofensas.

Ofensa é o peso emocional da falta. 

Um amigo rouba o outro. O roubo em si é um crime, entretanto, o fato, por ter sido levado a efeito por um amigo, tem uma conotação emocional que não pode ser indenizada, é a isso  que se chama de ofensa, pois, é de cunho emocional e só se resolve com perdão. 

Independente da questão financeira ter sido resolvida, se a pessoa prejudicada não perdoar o amigo (porque resta a questão emocional:  a pessoa, ao roubar, lesou ao amigo que nela confiava) não haverá forma de se reatar qualquer nível de comunhão.

Quando a humanidade rompeu com o DEUS, mais do que quebrar a lei, traiu ao CRIADOR, o que gerou uma ofensa que, por definição, não pode ser indenizada, só pode ser perdoada. 

E esse foi o primeiro ato divino: perdoou-nos por nossas ofensas.

Se a TRINDADE, primeiro, não tivesse nos perdoado por nossas ofensas, nada poderia ser feito em nosso favor. Portanto, se fossemos colocar tal gesto, como expresso por frases, diríamos que a primeira frase que o DEUS proferiu foi: haja perdão!

Porque disse: haja perdão! Disse: haja cruz! Porque disse: haja cruz! Valeu a pena dizer: haja luz!

Meditação: O primeiro movimento da TRINDADE em nosso favor, foi o de nos perdoar por termos traído Àquele que, por criação, nos permitiu o privilégio de nele existir. Sem esse perdão não haveria sentido em nos salvar. 

Oração: Grato PAI, por nos terdes perdoado pela ofensa que vos fizemos por nossa traição. E reconheço que toda a vez que peco, primeiro, vos ofendo, por vos atraiçoar, pois sois o DEUS de toda a criação, a quem tudo devo, e a quem jamais deveria desobedecer. Grato por esse perdão que providenciou a cruz e que sustenta a nossa comunhão.

TEXTO ORIGINALMENTE PUBLICADO EM: Ariovaldo Ramos, Blog