segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Segunda-pós-tragédia Santa Maria/RS

Hoje era para ser uma segunda-feira normal, daquelas em que todos reclamam de ter que trabalhar ou então de estudar (se bem que estão todos de férias). Porém hoje é diferente. É um dia em que o Brasil está em Luto pelos falecidos da tragédia de Santa Maria/RS. 

Sabemos que todos os dias milhares de pessoas morrem, e que muitas mídias usam dessas notícias para se promover, porém o foco não é essa, de se promover, ou de "exclusivar um acontecimento". Mas como cristãos, como devemos proceder? 

Falando francamente, eu, estando tão longe da onde aconteceu essa fatalidade, posso "apenas" orar para que Deus console o coração dos familiares. 

É estranho, mas estou invadido de uma tristeza enorme; então imagino a família dessas pessoas, como estão nesse momento? Como ficaram? Devem estar procurar um motivo para sorrir, mas logo se lembram que a cama desse ente querido estará vazia hoje, amanhã, e sempre. Diante da morte começamos a pensar em nossa própria vida, da brevidade dela, e de como não sabemos quando ela acabará. Por isso devemos amar os nossos, pedir perdão, perdoar, e lutar ferozmente para que nossos sonhos se realizem. Oremos pelas famílias, e se de alguma forma você tiver oportunidade de contribuir com alguma ajuda, ajude, pois não sabemos o dia de amanha.

Fica uma publicação do Fabricio Cunha:

NUM DOMINGO CINZA...
Acordo mais tarde um pouco aos domingos. Foi assim hoje.
Abri a janela e vi o dia escuro, cinza e chuvoso.

Não imaginava que ele era a expressão do coração de nosso Pai e de outros tantos pais, mães, irmãos e amigos que derramavam suas lágrimas doídas por seus jovens, "adormecidos" em Santa Maria.

Liguei a TV e vi a notícia.
Parei, chocado, atônito com tamanha tragédia.

Corri para a internet e vi vídeos e fotos de jovens praticamente intactos, caídos sem vida, arrumados, deitados como quem dorme, mas dorme o sono profundo da morte.

Meu Deus. Que domingo triste.

Pais e mães e irmãos e amigos derramarão suas primeiras lágrimas de um lamento de alma que se extenderá para sempre em suas histórias e será lembrada na história de nosso país como a tragédia que silenciou num só dia as vozes 245 jovens.

Quando algúem morre sem "precisar" morrer, todos nós morremos um pouco.

245 jovens não voltaram para suas casas nessa noite, nem voltarão. 
245 cadeiras não serão ocupadas nas mesas do almoço de domingo.
245 camas ficarão vazias essa noite.
245 futuros.
245 sonhos.
245 amores.
245 filhos.
245 jovens é vida demais, que virou vida de menos.

E um sem número de pessoas chora, grita, pergunta, lamenta e silencia.

Senhor, misericórdia...



Foto: G1 


Ronnedy Paiva
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário