sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Os dons do Espírito Santo relatado por Paulo I: A palavra de sabedoria.

       Paulo  foi tremendamente usado por Deus na criação da Igreja primitiva. Ele contribuiu de vários modos, foi perseguido, foi martirizado, foi preso e até morto da pior forma que uma pessoa poderia morrer, sem nenhum respeito, sem dignidade, sem amor. Porém, Paulo fez tudo isso por um só intuito: “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21). Em uma de suas cartas, mais especificamente a de 1ª Coríntios, Paulo relata sobre os dons do Espírito Santo: o primeiro dom é o da palavra de sabedoria.
Devemos ter em mente, antes de qualquer coisa, algumas considerações importantes a respeito dos dons espirituais:
      DOM não é um talento. Talento é uma habilidade, uma aptidão natural das coisas e dom, é um presente do próprio Deus para aquela pessoa, é uma dádiva, virtude, um privilégio na qual a pessoa deve preservar da melhor maneira.
    
  A finalidade dos dons do Espírito Santo é construir a Igreja, o corpo de Cristo. O seu dom deve ser usado sempre para o crescimento do corpo de Cristo, porém, não deve ser limitado a ser usado no templo, você pode evangelizar através desse dom.

Todos os cristãos têm pelo menos um dom. Assim como no batismo de Jesus, onde o Espírito Santo em “forma corpórea como pomba desce até Jesus e ouvindo uma voz do céu: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo” (Lucas 3:22). Em Jesus, torna-se abri o céu e surgi um novo profeta, o Messias. A missão de Jesus é entregue ali.

Jesus ensinou sobre os dons bem antes de Coríntios.

“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém em sede venha a mim, e beba.
Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.
E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado por ainda Jesus não ter sido glorificado”

João 7:37-39
Portanto, quando recebemos esse dom, é como se rios de água viva saíssem de nós.

O Senhor coloca em nossas mãos o melhor. Jesus nos chama, nos entrega à vida das pessoas para abençoarmos através desses dons. Mt 25:14

Quando não sabemos qual é o nosso dom, a vida cristã fica monótona, pois o tempo passa e ninguém é abençoado por nós.

O dom da palavra de sabedoria “é a aplicação da verdade de Deus de forma prática para suprir uma necessidade material ou espiritual”. Em Tiago 3:13-18 há a o titulo da verdadeira sabedoria que vem do alto, a sabedoria divina.

“Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre em mansidão de sabedoria, mediante condigno proceder, as suas obras. Se, pelo contrário, tendes em vosso coração inveja amargurada e sentimento faccioso, nem vos glorieis disso, nem mintais contra a verdade. Esta não é a sabedoria que desce lá do alto; antes, é terrena, animal e demoníaca. Pois onde há inveja e sentimento faccioso, ai há confusão e toda espécie de cousas ruins. A sabedoria, porém, lá do alto, é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento. Ora, é em paz que se semeia o fruto da justiça, para os que promovem a paz.”


Portanto, a palavra de sabedoria é primeiramente um dom que vem do alto. Como  me referi antes, os dons é uma dádiva dada por Deus, é uma entrega divina para você e como todo dom, é sem dúvidas, o propósito de Deus para você. Entender esse presente de Deus para você faz com que você o saiba valorizar da melhor maneira e o desenvolva, usando para o crescimento do Reino de Deus.

“Toda boa dádiva e todo dom perfeito é lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação, ou sombra de mudança.”
                                    Tiago 1:17

    Em segundo lugar, esse dom é puro. Você não recebe o dom sujo, estragado, você não recebe para a corrupção, você o recebe com as características divinas, ou seja, a pureza que é o próprio Deus. Porém, o livre- arbítrio que foi dado a você é que faz o dom perder o seu verdadeiro sentido, o sentido do corpo de Cristo, e deixando de faze, não a sentido para usar.

Cheguai-vos a Deus e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração.”
                                        Tiago 4:8

    Em terceiro lugar, o dom é pacífico. Seria contraditório dizer que a palavra de sabedoria não fosse pacificadora, já que tem a finalidade de crescimento do corpo de Cristo e como o próprio Cristo havia essa característica, a essência do Espírito não seria diferente, já que são de natureza divina.
   
 “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.
                                        Mateus 5:9

    A palavra de sabedoria também é indulgente. A palavra indulgencia pode soar meio negativo para muitos por causa da venda de indulgencias no século XVI pela Igreja. Porém, a ideia em que Tiago relata, e a cortesia é uma das virtudes cristã. Portanto, o dom da palavra de sabedoria, não é difamador, nem criador de contendas.

“não difamem a ninguém; nem sejam altercadores, mas cordatos, dando provas de toda cortesia, para com todos os homens.”
                                        Tito 3:2

Em quarto lugar, o dom é pleno de misericórdia e de bons frutos. A misericórdia está explicita em toda a história do povo de Israel; e mesmo cheia de pecados, Deus os amou e usava sempre da sua Misericórdia. Em Deus há a misericórdia. E por Deus usar dessa misericórdia todos os dias também com a sua vida, o dom do Espírito relatado por Paulo, é pleno de misericórdia.

Sede misericordiosos como também é misericordioso vosso Pai.”
                                Lucas 6:36

Em quinto lugar, o dom é imparcial. A própria palavra já traz a ideia que o dom é neutro, que o dom não tem “partido”, é totalmente imparcial, não usa de pensamentos, e sim, através do Espírito Santo, dão a melhor direção para determinados problemas, DIREÇÃO. A aplicação das verdades espirituais em meio a conflitos e confusões, são de fato, o dom.

“não fizeste distinção entre vós mesmos”
                    Tiago 2:9ª
No dom não há fingimento. Não há mentira, não há falsidade, não há interesse, não há hipocrisia. O dom da palavra consiste a essência do Pai, que é o amor. DEUS É AMOR. No dom, consiste o amor. “Viver é amar” (John Stott).

“O amor seja sem hiprocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem.”
                                Romanos 12:9
                                                                                                                            Rennan Reichardt
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário