sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A oração de Jesus no Getsêmani fez diferença?

"E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres." Mateus 26:39

A Bíblia relata o sofrimento de Jesus no monte Getsêmani, onde, em grande agonia, orava intensamente a ponto de suar gotas de sangue, enquanto seus discípulos -Pedro, João e Tiago- dormiam. 


A oração é uma forma de nos conectarmos a Deus, de respondermos a Sua presença, de ouvir o Seu querer. Não apenas um modo de falarmos com Ele, mas também de ouvi-Lo. De tomar as coordenadas certas que vem dEle. Como um servo que vai perante o seu senhor receber o comando necessário, nós, em oração, como colaboradores do Reino dos Céus, nos apresentamos diante de Deus, nosso Pai, para receber Suas instruções, que darão um novo prumo a nossa vida, e para a vida dos demais. 

Quando oramos, nem sempre sairemos com as respostas das nossas preces, mas estaremos sempre prontos para enfrentar os desafios impostos para aquele dia. Jesus pediu a Deus que o livra-se da cruz, pois Ele temia o sofrimento porvir, mas Ele também disse que fosse feita a vontade dEle, e não a sua. 

"Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus." Hebreus 12:2b

Abrir mão de uma vontade não é fácil, ainda mais de uma vida, mas quando lá na frente olharmos para trás, veremos que o caminho da renuncia nos levou para um lugar imaginável. O de Jesus, o levou a destra do Pai. E a promessa se estende a nós também. "Negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me" [Mt 16.24] 

A pergunta é: Houve diferença para Jesus aquela oração no Getsêmani? Com certeza! "Jesus caminhou para a cruz com coragem". A orientação vinda dos céus não foi a que Ele talvez quisesse -um livramento miraculoso-, mas foi a melhor. E Ele foi encorajado, e caminhou intrepidamente para a vontade do Pai: a CRUZ!

As respostas de nossas perguntas não serão, por muitas vezes, a que queremos. Mas, quando as apresentamos diante de Deus, Ele, de uma forma sobrenatural, nos mostrará a Sua vontade sobre nós. E mesmo sem entender, se confiarmos firmemente que "Tudo é possível ao que crê", teremos em nossas mãos, não a resposta que queríamos ouvir, mas a solução que através de nós, pode vir a acontecer.

Haddon Robbson, sobre essa passagem [oração no Getsêmani] diz:
Onde foi que Jesus suou grandes gotas de sangue? Não no palácio de Pilatos, não a caminho de Gógota. Foi no jardim do Getsêmani. Lá ele "ofereceu orações e súplicas, em alta voz e com lágrimas, àquele que o podia salvar da morte" [Hb 5.7]. Houvesse eu estado lá e testemunhado essa luta, teria ficado apreensivo quanto ao futuro. "Se ele se mostra tão quebrantado quando está apenas orando", eu teria pensado, "que não fará quando enfrentar a crise real? Por que não consegue encarar a provação com a calma e confiança de seus três amigos que estão dormindo?". No entanto, na hora do teste, Jesus caminhou para a cruz com coragem, enquanto seus três amigos fugiram cada um para um lado.

Ronnedy Paiva
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário