sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Falando... do jeito de Deus

O Eterno, o Senhor, me deu uma língua bem treinada,
Assim sei como animar os cansados.
Ele me acorda de manhã e abre meus ouvidos
para que eu ouça, como alguém pronto para receber ordens
Isaías 50:4 //A Mensagem

Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor, é o que diz Salmos 150:6. Tudo o que tem fôlego louva ao Senhor, mas a nós, criaturas humanas, foi dada a imensa honra de não só louvar ao Senhor com nosso fôlego mas também no nosso falar e com nosso agir no dia a dia.
Durante alguns dias tenho pensado: será que sabemos a importância e o peso das nossas palavras sobre as pessoas? Temos pensado antes de falar? Temos adorado à Deus através do nosso falar ?
Mas a pergunta que quero responder nesse post é: Como falar do jeito de Deus ?

1. Saiba a hora certa de falar
Até mesmo os ignorantes passam por sábios quando fecham a boca; 
quem sabe ficar calado passa-se por inteligente
Provérbios 17:28 //A Mensagem

Quantas vezes esquecemos de pensar antes de falar e passamos por tolos (aquele pensamento: devia ter ficado quieto)... Mas em Eclesiastes 5.2 diz: Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra; assim sejam poucas as tuas palavras. Antes de dizer qualquer coisa, temos que imaginar o efeito que essas palavras terão sobre quem vai ouvi-las, e acima de tudo, saber se aquele é o momento certo.
A palavra certa no tempo certo
é como a joia feita por encomenda
Provérbios 25.11 //A Mensagem

2. Fale com sabedoria
O que possui o conhecimento guarda as suas palavras, 
e o homem de entendimento é de precioso espírito. 
Provérbios 17:27

Não repasse informações que não edificam as pessoas (fofocas, boatos, etc), tome cuidado com o que você fala.  Fomos criados para edificar pessoas e não mata-las com nossas palavras ( Provérbios 12.18). 

O que anda tagarelando revela o segredo; 
não te intrometas com o que lisonjeia com os seus lábios. 
Provérbios 20:19

3. Fale com doçura
As palavras suaves são favos de mel, 
doces para a alma, e saúde para os ossos. 
Provérbios 16:24

O que pesa  não é o que você fala, e sim como você fala. Pese suas palavras antes de dize-las e tome cuidado com o tom e o  modo de falar com as pessoas.

O sábio de coração será chamado prudente, 
e a doçura dos lábios aumentará o ensino. 
Provérbios 16:21

4. Fale com prudencia
As palavras amáveis curam e ajudam,
mas as palavras maldosas ferem e destroem.
Provérbios 15.4 // A Mensagem

Quantas vezes nos arrependemos das palavras que proferimos? Em momentos de raiva por exemplo, queremos apenas machucar a outra pessoa e falamos o que vem à cabeça... Nossas palavras não podem ser tolas, ela devem ser ditas com equilíbrio e prudência. Quando estiver prestes a dizer alguma coisa que vai machucar alguém  lembre-se: 

O coração do justo medita no que há de responder, 
mas a boca dos ímpios jorra coisas más. 
Provérbios 15:28

5. Fale como Jesus
E percorria Jesus toda a Galiléia, 
ensinando nas suas sinagogas e pregando o evangelho do reino,
 e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. 
Mateus 4:23

Quando Jesus falava, o coracao das pessoas se aquietava, sua fala trazia vida, esperança para quem já não tinha mais, cada palavra dita era um balsamo. O que suas palavras tem causado nas pessoas ?

Não penseis que vim revogar a Lei ou os profetas; 
não vim para revogar, vim para cumprir.
Mateus 5.17

Te desafio a junto comigo, a partir de hoje começar a pensar no efeito que suas palavras tem sobre as pessoas. Vamos nos tornar mais parecidos com Jesus nesse quesito para que possamos adora-lo através do nosso simples falar.

A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, 
para que saibais como vos convém responder a cada um. 
Colossenses 4:6

Que Deus abençoe !



Carol Cruz
Colunista

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Os dons do Espírito Santo relatado por Paulo I: A palavra de sabedoria.

       Paulo  foi tremendamente usado por Deus na criação da Igreja primitiva. Ele contribuiu de vários modos, foi perseguido, foi martirizado, foi preso e até morto da pior forma que uma pessoa poderia morrer, sem nenhum respeito, sem dignidade, sem amor. Porém, Paulo fez tudo isso por um só intuito: “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21). Em uma de suas cartas, mais especificamente a de 1ª Coríntios, Paulo relata sobre os dons do Espírito Santo: o primeiro dom é o da palavra de sabedoria.
Devemos ter em mente, antes de qualquer coisa, algumas considerações importantes a respeito dos dons espirituais:
      DOM não é um talento. Talento é uma habilidade, uma aptidão natural das coisas e dom, é um presente do próprio Deus para aquela pessoa, é uma dádiva, virtude, um privilégio na qual a pessoa deve preservar da melhor maneira.
    
  A finalidade dos dons do Espírito Santo é construir a Igreja, o corpo de Cristo. O seu dom deve ser usado sempre para o crescimento do corpo de Cristo, porém, não deve ser limitado a ser usado no templo, você pode evangelizar através desse dom.

Todos os cristãos têm pelo menos um dom. Assim como no batismo de Jesus, onde o Espírito Santo em “forma corpórea como pomba desce até Jesus e ouvindo uma voz do céu: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo” (Lucas 3:22). Em Jesus, torna-se abri o céu e surgi um novo profeta, o Messias. A missão de Jesus é entregue ali.

Jesus ensinou sobre os dons bem antes de Coríntios.

“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém em sede venha a mim, e beba.
Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.
E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado por ainda Jesus não ter sido glorificado”

João 7:37-39
Portanto, quando recebemos esse dom, é como se rios de água viva saíssem de nós.

O Senhor coloca em nossas mãos o melhor. Jesus nos chama, nos entrega à vida das pessoas para abençoarmos através desses dons. Mt 25:14

Quando não sabemos qual é o nosso dom, a vida cristã fica monótona, pois o tempo passa e ninguém é abençoado por nós.

O dom da palavra de sabedoria “é a aplicação da verdade de Deus de forma prática para suprir uma necessidade material ou espiritual”. Em Tiago 3:13-18 há a o titulo da verdadeira sabedoria que vem do alto, a sabedoria divina.

“Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre em mansidão de sabedoria, mediante condigno proceder, as suas obras. Se, pelo contrário, tendes em vosso coração inveja amargurada e sentimento faccioso, nem vos glorieis disso, nem mintais contra a verdade. Esta não é a sabedoria que desce lá do alto; antes, é terrena, animal e demoníaca. Pois onde há inveja e sentimento faccioso, ai há confusão e toda espécie de cousas ruins. A sabedoria, porém, lá do alto, é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento. Ora, é em paz que se semeia o fruto da justiça, para os que promovem a paz.”


Portanto, a palavra de sabedoria é primeiramente um dom que vem do alto. Como  me referi antes, os dons é uma dádiva dada por Deus, é uma entrega divina para você e como todo dom, é sem dúvidas, o propósito de Deus para você. Entender esse presente de Deus para você faz com que você o saiba valorizar da melhor maneira e o desenvolva, usando para o crescimento do Reino de Deus.

“Toda boa dádiva e todo dom perfeito é lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação, ou sombra de mudança.”
                                    Tiago 1:17

    Em segundo lugar, esse dom é puro. Você não recebe o dom sujo, estragado, você não recebe para a corrupção, você o recebe com as características divinas, ou seja, a pureza que é o próprio Deus. Porém, o livre- arbítrio que foi dado a você é que faz o dom perder o seu verdadeiro sentido, o sentido do corpo de Cristo, e deixando de faze, não a sentido para usar.

Cheguai-vos a Deus e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração.”
                                        Tiago 4:8

    Em terceiro lugar, o dom é pacífico. Seria contraditório dizer que a palavra de sabedoria não fosse pacificadora, já que tem a finalidade de crescimento do corpo de Cristo e como o próprio Cristo havia essa característica, a essência do Espírito não seria diferente, já que são de natureza divina.
   
 “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.
                                        Mateus 5:9

    A palavra de sabedoria também é indulgente. A palavra indulgencia pode soar meio negativo para muitos por causa da venda de indulgencias no século XVI pela Igreja. Porém, a ideia em que Tiago relata, e a cortesia é uma das virtudes cristã. Portanto, o dom da palavra de sabedoria, não é difamador, nem criador de contendas.

“não difamem a ninguém; nem sejam altercadores, mas cordatos, dando provas de toda cortesia, para com todos os homens.”
                                        Tito 3:2

Em quarto lugar, o dom é pleno de misericórdia e de bons frutos. A misericórdia está explicita em toda a história do povo de Israel; e mesmo cheia de pecados, Deus os amou e usava sempre da sua Misericórdia. Em Deus há a misericórdia. E por Deus usar dessa misericórdia todos os dias também com a sua vida, o dom do Espírito relatado por Paulo, é pleno de misericórdia.

Sede misericordiosos como também é misericordioso vosso Pai.”
                                Lucas 6:36

Em quinto lugar, o dom é imparcial. A própria palavra já traz a ideia que o dom é neutro, que o dom não tem “partido”, é totalmente imparcial, não usa de pensamentos, e sim, através do Espírito Santo, dão a melhor direção para determinados problemas, DIREÇÃO. A aplicação das verdades espirituais em meio a conflitos e confusões, são de fato, o dom.

“não fizeste distinção entre vós mesmos”
                    Tiago 2:9ª
No dom não há fingimento. Não há mentira, não há falsidade, não há interesse, não há hipocrisia. O dom da palavra consiste a essência do Pai, que é o amor. DEUS É AMOR. No dom, consiste o amor. “Viver é amar” (John Stott).

“O amor seja sem hiprocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem.”
                                Romanos 12:9
                                                                                                                            Rennan Reichardt
Colunista

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Como estão suas amizades ?


Amizades são uma parte importante da nossa vida. Desde a criação, Deus mostrou a necessidade que temos do companheirismo na vida humana. Em famílias, igrejas e outros lugares que frequentamos criamos laços de amizade. Temos a necessidade de compartilhar nossa vida com outras pessoas, ninguém consegue viver sozinho, precisamos uns dos outros.

Instruções sobre amizades
A Bíblia nos orienta sobre a escolha e o tratamento dos nossos amigos. Amigos têm muita influência em nossas vidas: "O justo serve de guia para o seu companheiro, mas o caminho dos perversos os faz errar" (Provérbios 12:26). Por isso, a escolha de amigos é um assunto de grande importância: "Quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos insensatos se tornará mau" (Provérbios 13:20). No final das contas, nossas escolhas não envolvem apenas pessoas, mas decidem a nossa direção na vida e na eternidade. Tiago descreveu bem este fato quando perguntou: "Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus" (Tiago 4:4). O mesmo livro fala de um homem de grande fé que rejeitou os caminhos errados de outros homens e mostrou a sua lealdade ao Senhor. O resultado desta escolha de Abraão? "Foi chamado amigo de Deus" (Tiago 2:23). Devemos escolher bons amigos que nos ajudarão, especialmente na área espiritual.

É fácil escolher mal. Muitas pessoas que não buscam/amam a Deus e não respeitam sua palavra nos oferecem a sua amizade. Às vezes, podemos influencia-las pela nossa fé e o exemplo de uma vida reta. O próprio Jesus fez questão de ter contato com pecadores, oferecendo-lhes a palavra da salvação (Lucas 15:1; Mateus 9:10-13). O perigo vem quando não confessamos a nossa fé no meio de uma geração perversa (Marcos 8:38). Ao invés de conduzir outros a Cristo, deixamos as más influências nos corromperem.

Algumas pessoas tentam nos induzir a pecar contra Deus. "Filho meu, se os pecadores querem seduzir-te, não o consintas. Se disserem: Vem conosco, embosquemo-nos para derramar sangue, espreitemos, ainda que sem motivo, os inocentes; traguemo-los vivos, como o abismo, e inteiros, como os que descem à cova; acharemos toda sorte de bens preciosos, encheremos de despojos a nossa casa; lança a tua sorte entre nós; teremos uma só bolsa. Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; guarda das suas veredas os pés; porque os seus pés correm para o mal e se apressam a derramar sangue" (Provérbios 1:10-16).

Infelizmente, observamos a mesma tragédia espiritual na vida de muitas pessoas hoje. Quantos jovens são induzidos a usar drogas, ou até de se tornar traficantes, pela influência de "amigos"? Quantos se integram a gangues e acabam cometendo vários tipos de crime?

Querendo ou não algumas amizades precisam ser totalmente evitadas: "Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores" (Salmo 1:1). Quando outros querem nos conduzir ao erro, precisamos nos manter longe: "Foge da presença do homem insensato, porque nele não divisarás lábios de conhecimento. A sabedoria do prudente é entender o seu próprio caminho, mas a estultícia dos insensatos é enganadora. Os loucos zombam do pecado, mas entre os retos há boa vontade" (Provérbios 14:7-9).

Mas alguns dos amigos mais perigosos são aqueles que sempre concordam conosco, apoiando-nos mesmo nas coisas erradas. "Melhor é ouvir a repreensão do sábio do que ouvir a canção do insensato" (Eclesiastes 7:5). O amigo verdadeiro nos corrige, e a pessoa sábia procura ter amigos com coragem e convicção para repreendê-la quando for preciso. Por outro lado, o insensato evita pessoas que corrigem e criticam, procurando aprovação acima de sabedoria. "O escarnecedor não ama àquele que o repreende, nem se chegará para os sábios... O coração sábio procura o conhecimento, mas a boca dos insensatos se apascenta de estultícia" (Provérbios 15:12,14). Ninguém gosta de ser corrigido, mas todos nós precisamos de amigos que nos amam tanto que mostram os nossos erros: "Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto. Leais são as feridas feitas pelo que ama, porém os beijos de quem odeia são enganosos" (Provérbios 27:5-6).

Paulo mostrou aos coríntios que, mesmo entre pessoas religiosas, é necessário evitar influências negativas: "Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes" (1 Coríntios 15:33). No caso dos coríntios, alguns irmãos estavam espalhando doutrinas falsas. O fato de alguém participar de uma igreja ou se dizer cristão não é garantia de uma amizade saudável e edificante. Alguns aproveitam a amizade para induzir outros a aceitar doutrinas e religiões falsas. Moisés avisou sobre parentes e amigos que incentivam os servos de Deus a servir outros deuses e mandou que não concordassem, nem ouvissem, nem olhassem com piedade para aqueles falsos professores (Deuteronômio 13:6-8). Temos que julgar a árvore pelos frutos (Mateus 7:15-20), retendo o que é bom e nos abstendo de toda forma de mal (1 Tessalonicenses 5:21-22).

Uma vez que escolhemos bons amigos, devemos ser bons amigos! As Escrituras nos aconselham sobre as responsabilidades de companheiros fiéis. Amigos contam com a presença uns dos outros: 
"Mais vale o vizinho perto do que o irmão longe" (Provérbios 27:10). 
"O olhar de amigo alegra ao coração; as boas-novas fortalecem até os ossos" (Provérbios 15:30).
Por outro lado, não devemos abusar da amizade, causando aborrecimentos:
 "Não sejas frequente na casa do teu próximo, para que não se enfade de ti e te aborreça" (Provérbios 25:17).
Não devemos abandonar nem trair os nossos amigos (Provérbios 27:10).
Amigos verdadeiros não são interesseiros, mas aqueles companheiros fiéis que ficam nos bons tempos e nos maus: "Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão" (Provérbios 17:17).
A amizade verdadeira traz benefícios mútuos:
"Como o ferro com o ferro se afia, assim, o homem, ao seu amigo" (Provérbios 27:17).

De tudo que a Bíblia fala sobre amizades, devemos aproveitar algumas lições importantes. Entre elas:
- Escolher cuidadosamente os nossos amigos, evitando amizades que nos levariam ao pecado.
- Valorizar amigos que nos corrigem quando erramos.
- Cortar amizades que prejudicam a nossa vida espiritual, especialmente quando os "amigos" incentivam o pecado e participação em religiões falsas.
- Ser amigos fiéis e de confiança, especialmente nos momentos difíceis quando os amigos mais precisam de nós.
- Sempre manter nossa relação com Deus acima de qualquer amizade humana, confessando a nossa fé no meio de uma geração perversa.

Quando se trata de amizade, devemos valorizar qualidade, e não quantidade: 

"O homem que tem muitos amigos sai perdendo,
 mas há amigo mais chegado do que um irmã
o"
 (Provérbios 18:24).



Carol Cruz
Colunista

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

De todo CORAÇÃO, Alma, Entendimento e Força. [1/4]

"O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento." 
Marcos 12:29-30




Um escriba, chegando-se a Jesus, o questionou qual era o primeiro mandamento. Então, Jesus respondeu, com base nos mandamentos dado a Moisés, por Deus, ao povo de Israel em Deuteronômio 6:5, dizendo:  "Amarás, pois, o Senhor teu Deus com todo o teu CORAÇÃO,  e de toda a tua ALMA, e de todo o teu ENTENDIMENTO, e de todas as tuas FORÇAS; este é o primeiro mandamento" [Mc 12.30]. Mas, o que implica dizer amar a Deus com todo o teu CORAÇÃO, ALMA, ENTENDIMENTO E FORÇA?

Vamos fazer um estudo em cima desses quatro pontos deixados por Jesus ao escriba: Coração, Alma, Entendimento e Força. E vamos começar com o CORAÇÃO.

A Palavra de Deus fala em Jeremias 17:9 que: "Enganoso é o coração humano, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?". Mas em Provérbios 4:23 vem um pedido a nós, dizendo: "Sobre tudo, o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida". Que estranha dualidade. Ele é mal, mas devemos guarda-lo, porquê?

O coração é de onde provém o amor, o sentimento mais sublime e orgulhoso possível, do qual, se não houver real esquadrinhamento a luz da bíblia, será posto em lugares errados, como dinheiro, fama, status, e outras coisas que vem e vão. Isso por que o nosso coração é corrompido, maculado pelo pecado, herança herdada do pecado original de Adão no Éden. E quando nos movemos pelos sentimentos, facilmente somos enganados. "O amor é cego", dizem por aí. E é por isso que Deus pede que O amemos não só de todo nosso coração, mas com todo nosso entendimento também. Uma fé pensante é o que Ele quer.

E quando Deus fala para O amarmos de todo o nosso coração, Ele está requisitando para si, o primeiro lugar em nossa vida. Quando O colocamos como centro, alvo e meta, amando-O apesar das circunstâncias, dos "nãos" e do terror, dedicando a Ele o nosso melhor, confiando nEle apesar de, conseguiremos ver o Seu poderoso Senhorio sobre nós, a Sua vontade reinando e vencendo sempre. 

Pois diferentemente do que pensamos, o amor não é, de forma alguma, um sentimento fortalecido apenas quando tudo vai bem, mas quando tudo parece ir de mal a pior. É aí que o verdadeiro amor começa a brotar. Se ele estiver fundamentado sobre status, riqueza, beleza, ele logo perecerá Madre Tereza de Calcutá certa vez disse:

"Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba.
Não ame por admiração, pois um dia você pode decepcionar-se.
Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação"
Embora essa frase não possa ser atribuída a Deus, pois Ele é Perfeito em tudo, nós podemos tirar uma base dela. Quando amamos a Deus com tudo o que temos, ainda que passemos por momento difíceis -pois ser cristão não transforma ninguém em "super-herói", muito menos nos deixa  imunes aos problemas do mundo- veremos o cuidado soberano de Deus sobre nós, onde o nosso afeto por Ele aumenta cada vez mais e mais, mediante a sua Fidelidade imutável. Porém, quando colocamos o nosso coração em coisas, ou em nossas próprias forças, nosso próprio entendimento, nossos tênues recursos, iremos acabar com a 'cara no chão'. 

Jesus fez uma ótima analogia sobre o homem que constrói a sua casa sobre a rocha ou à areia, em uma parábola. Se pensarmos em nosso coração com uma casa, e está casa está construída sobre a rocha (Jesus), estando ela firmemente alicerçada, vento ou tempestade nenhuma poderá derruba-la. Mas, se ela estiver sobre a areia (coisas), ainda que a areia signifique vários 'bens', um vento mais forte leva tudo, deixando toda a construção em escombros. {Texto original em Mateus 7:24-27}

"Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração" Mateus 6:21

Por isso, Deus quer que O amemos de todo o nosso coração, renunciando as nossas vontades carnais, para receber as espirituais que vem direto do Trono de Deus. Pois mesmo sendo criados imagem e semelhança de Deus, outrora fomos corrompidos pelo pecado, e temos essa tendência para o mal. E Jesus deixa claro isso em um 'debate' que teve com alguns fariseus sobre a maldade humana. Ele disse:

"Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, morte, adultério, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmia." Mateus 15:18-19

Mas quando recebemos a Cristo como nosso Senhor e Salvador, não é mais o pecado que reina sobre nós, mas a Graça. E a requisição do mandamento de amar a Deus de todo o nosso coração é, ama-Lo com a nossa primazia, alicerçando-se nEle, movendo-se nEle, confiando nEle, sem deixar espaço, brecha nenhuma para o velho homem.

Esse é o amor que Ele quer. Um amor verdadeiro, que não está baseado em trocas, ou em temor, mas unicamente em amor. O sentimento que nos move, e que O moveu para a Cruz em nosso lugar. 

Esquadrinhe a sua vida, o seu coração, veja se o lugar de Deus é o que Ele realmente merece. Ele deve estar acima de tudo! Se você perceber algo de errado, corrija, deixe Deus reinar sobre todas as coisas, pois sobre tudo Ele é Rei. Dedique o seu melhor a Ele, sempre! 

Continuaremos na próxima semana. Com toda nossa ALMA. Que Deus te abençoe!


Ronnedy Paiva
Colunista

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A oração de Jesus no Getsêmani fez diferença?

"E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres." Mateus 26:39

A Bíblia relata o sofrimento de Jesus no monte Getsêmani, onde, em grande agonia, orava intensamente a ponto de suar gotas de sangue, enquanto seus discípulos -Pedro, João e Tiago- dormiam. 


A oração é uma forma de nos conectarmos a Deus, de respondermos a Sua presença, de ouvir o Seu querer. Não apenas um modo de falarmos com Ele, mas também de ouvi-Lo. De tomar as coordenadas certas que vem dEle. Como um servo que vai perante o seu senhor receber o comando necessário, nós, em oração, como colaboradores do Reino dos Céus, nos apresentamos diante de Deus, nosso Pai, para receber Suas instruções, que darão um novo prumo a nossa vida, e para a vida dos demais. 

Quando oramos, nem sempre sairemos com as respostas das nossas preces, mas estaremos sempre prontos para enfrentar os desafios impostos para aquele dia. Jesus pediu a Deus que o livra-se da cruz, pois Ele temia o sofrimento porvir, mas Ele também disse que fosse feita a vontade dEle, e não a sua. 

"Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus." Hebreus 12:2b

Abrir mão de uma vontade não é fácil, ainda mais de uma vida, mas quando lá na frente olharmos para trás, veremos que o caminho da renuncia nos levou para um lugar imaginável. O de Jesus, o levou a destra do Pai. E a promessa se estende a nós também. "Negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me" [Mt 16.24] 

A pergunta é: Houve diferença para Jesus aquela oração no Getsêmani? Com certeza! "Jesus caminhou para a cruz com coragem". A orientação vinda dos céus não foi a que Ele talvez quisesse -um livramento miraculoso-, mas foi a melhor. E Ele foi encorajado, e caminhou intrepidamente para a vontade do Pai: a CRUZ!

As respostas de nossas perguntas não serão, por muitas vezes, a que queremos. Mas, quando as apresentamos diante de Deus, Ele, de uma forma sobrenatural, nos mostrará a Sua vontade sobre nós. E mesmo sem entender, se confiarmos firmemente que "Tudo é possível ao que crê", teremos em nossas mãos, não a resposta que queríamos ouvir, mas a solução que através de nós, pode vir a acontecer.

Haddon Robbson, sobre essa passagem [oração no Getsêmani] diz:
Onde foi que Jesus suou grandes gotas de sangue? Não no palácio de Pilatos, não a caminho de Gógota. Foi no jardim do Getsêmani. Lá ele "ofereceu orações e súplicas, em alta voz e com lágrimas, àquele que o podia salvar da morte" [Hb 5.7]. Houvesse eu estado lá e testemunhado essa luta, teria ficado apreensivo quanto ao futuro. "Se ele se mostra tão quebrantado quando está apenas orando", eu teria pensado, "que não fará quando enfrentar a crise real? Por que não consegue encarar a provação com a calma e confiança de seus três amigos que estão dormindo?". No entanto, na hora do teste, Jesus caminhou para a cruz com coragem, enquanto seus três amigos fugiram cada um para um lado.

Ronnedy Paiva
Colunista

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Sobre nós, nosso jeito de ver as coisas e o Salmo 10


                O salmo dez nos faz refletir sobre o nosso jeito de pensar, de viver e de agir. Mostra-nos a nossa capacidade de afligir-se em meio a situações contrárias e injustas; mostra-nos que na pior das circunstâncias, voltamo-nos para Deus. Espero verdadeiramente que esse salmo fale ao seu coração, tanto quanto falou ao meu, e assim, aprendamos mais do Senhor.
           
            "Por que estás ao longe, SENHOR? Por que te escondes nos tempos de angústia? Os ímpios na sua arrogância perseguem furiosamente o pobre; sejam apanhados nas ciladas que maquinaram. Porque o ímpio gloria-se do desejo da sua alma; bendiz ao avarento, e renuncia ao SENHOR. Pela altivez do seu rosto o ímpio não busca a Deus; todas as suas cogitações são que não há Deus. Os seus caminhos atormentam sempre; os teus juízos estão longe da vista dele, em grande altura, e despreza aos seus inimigos. Diz em seu coração: Não serei abalado, porque nunca me verei na adversidade. A sua boca está cheia de imprecações, de enganos e de astúcia; debaixo da sua língua há malícia e maldade. Põe-se de emboscada nas aldeias; nos lugares ocultos mata o inocente; os seus olhos estão ocultamente fixos sobre o pobre. Arma ciladas no esconderijo, como o leão no seu covil; arma ciladas para roubar o pobre; rouba-o, prendendo-o na sua rede. Encolhe-se, abaixa-se, para que os pobres caiam em suas fortes garras. Diz em seu coração: Deus esqueceu-se, cobriu o seu rosto, e nunca isto verá. Levanta-te, SENHOR. O Deus, levanta a tua mão; não te esqueças dos humildes. Por que blasfema o ímpio de Deus? dizendo no seu coração: Tu não o esquadrinharás? Tu o viste, porque atentas para o trabalho e enfado, para o retribuir com tuas mãos; a ti o pobre se encomenda; tu és o auxílio do órfão. Quebra o braço do ímpio e malvado; busca a sua impiedade, até que nenhuma encontres. O SENHOR é Rei eterno; da sua terra perecerão os gentios. SENHOR, tu ouviste os desejos dos mansos; confortarás os seus corações; os teus ouvidos estarão abertos para eles; Para fazer justiça ao órfão e ao oprimido, a fim de que o homem da terra não prossiga mais em usar da violência". Salmos 10:1-18

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Coração puro e sincero... Você tem um ?


O Eterno ama quem tem um coração puro e sincero 
e considera amigo quem expressa a graça de Deus no falar.
Provérbios 22.11 //A Mensagem

A essência da pureza é justamente a ausência de duplicidade, de engano, de hipocrisia. É ser totalmente transparente sobre quem você é, como está e o que sente. É desmascarar-se, despir-se, expondo-se. Pureza vem do grego “aploteti” que literalmente quer dizer “singularidade” ou “sinceridade”.

Sinceridade é uma palavra originada de sincero. Por sua vez, diz-se ter origem num termo romano “sine cera” – “sem cera”. Conta-se que os romanos fabricavam alguns vasos de uma cera especial e algumas dessas peças ficavam tão límpidos e excelentes que transpareciam o seu interior. Pareciam “não ter cera”. Em outras palavras: o sincero, à semelhança do vaso, deixa ver através de suas palavras os nobres sentimentos de seu coração.

É assim que Deus quer que sejamos, que reconheçamos quem  realmente somos, que estamos longe do Senhor e que somos pecadores, ao fazer isso, Deus nos perdoará e seremos salvos. Deus quer nossa sinceridade. Somos imagem e semelhança do Senhor e quando nos olha Ele se reconhece em nós; por isso não sejamos falsos.

A primeira coisa que o Senhor quer é a sinceridade. Ele quer o amor! O Senhor não pede aquilo que ainda não nos tenha dado, Ele se doou por inteiro a nós, por isso quer que também nos doemos por inteiro a Ele. A maior prova de amor é a nossa entrega sincera. Por essa razão, Deus nos quer livrar das fantasias, das falsidades, das diversões que nos encaminham para a morte. No momento em que você aparenta ser falso para alguém, o seu coração fica vazio porque a sua verdade não está vindo à tona; e isso não nos traz felicidade, mas sim, vazio. 

A falsidade é uma idolatria, pois por dentro dela existe a morte, a qual não pode fazer nada em seu favor. Assim como o dinheiro, que quando não bem empregado não lhe faz bem, sendo só uma aparência de vida boa, fazendo-o trabalhar sem parar como uma idolatria pelo dinheiro. O caminho de Jesus começa difícil, mas no final é maravilhoso. O Senhor quer lhe dar um coração voltado para o alto. Amar a Deus é servir ao seu irmão.

Quando é sincero no íntimo do seu coração, Deus devolve a sua vida, devolvendo-lhe a sabedoria, que é o sabor da vida. Sabedoria é saber (conhecimento) saborear a vida! Mentira não é somente o que sai de nossa boca, mas, muitas vezes, vivemos de acordo com o que não acreditamos. Se sua vida estiver construída na falsidade, você não será feliz.

“Ó meu Deus, criai em mim um coração puro,
 e renovai-me o espírito de firmeza. 
De vossa face não me rejeiteis, e nem 
me priveis de vosso Santo Espírito” 
(Salmos 50, 13 e 14).

Deus lhe dá alegria e muda o seu coração, criando-lhe um coração novo. Se você aceitar a vontade dEle, irá colher o que tem de melhor do Senhor, por ser obediente. 

“Restituí-me a alegria da salvação, 
e sustentai-me com uma vontade generosa” 
(Salmos 50, 15).

Que o Senhor plante dentro de nós um coração desligado da falsidade, puro e sincero, determinado na verdade e com um espírito decidido e resoluto que não cambaleia diante da vida. Firme no propósito de estar na presença do Senhor.

E bem sei eu, Deus meu, que tu provas os corações, 
e que da sinceridade te agradas; [...] 
1 Crônicas 29:17



Carol Cruz
Colunista