quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Sobre o nós, porquê se alegrar em Deus e o Salmo 9


            "Senhor, quero dar-te graças de todo o coração e falar de todas as tuas maravilhas. Em ti quero alegrar-me e exultar, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo. Quando os meus inimigos contigo se defrontam, tropeçam e são destruídos. Pois defendeste o meu direito e a minha causa; em teu trono te assentaste, julgando com justiça. Repreendeste as nações e destruíste os ímpios; para todo o sempre apagaste o nome deles. O inimigo foi totalmente arrasado, para sempre; desarraigaste as suas cidades; já não há quem delas se lembre. O Senhor reina para sempre; estabeleceu o seu trono para julgar. Ele mesmo julga o mundo com justiça; governa os povos com retidão. O Senhor é refúgio para os oprimidos, uma torre segura na hora da adversidade. Os que conhecem o teu nome confiam em ti, pois tu, Senhor, jamais abandonas os que te buscam. Cantem louvores ao Senhor, que reina em Sião; proclamem entre as nações os seus feitos. Aquele que pede contas do sangue derramado não esquece; ele não ignora o clamor dos oprimidos. Misericórdia, Senhor! Vê o sofrimento que me causam os que me odeiam. Salva-me das portas da morte, para que, junto às portas da cidade de Sião, eu cante louvores a ti e ali exulte em tua salvação. Caíram as nações na cova que abriram; os seus pés ficaram presos no laço que esconderam. O Senhor é conhecido pela justiça que executa; os ímpios caem em suas próprias armadilhas. Interlúdio. Voltem os ímpios ao pó, todas as nações que se esquecem de Deus! Mas os pobres nunca serão esquecidos, nem se frustrará a esperança dos  necessitados. Levanta-te, Senhor! Não permitas que o mortal triunfe! Julgadas sejam as nações na tua presença. Infunde-lhes terror, Senhor; saibam as nações que não passam de seres humanos" Salmos 9:1-20


            Esse salmo nos convida a alegria, que hoje, pode ser o nosso maior desafio.

            "Alegre-se no Senhor". Talvez você esteja cansado de ouvir essa frase. Talvez até ela já não tenha mais sentido. Provavelmente, eu também me sinta assim, pessoas geralmente usam essa expressão: alegre-se no Senhor. Mas gostaria de dividir o motivo dessa alegria com você em alguns outros pontos para que você volte a entender o porquê é possível se alegrar em Deus.

            Primeiro, nós podemos nos alegrar no Senhor pelos seus feitos. Comentei algo sobre quão admirável se torna um autor de um livro conforme a sua obra, ou quão respeitado o mesmo vira, de acordo com o sucesso e características de sua obra. Alguns, chegam a ser eternizados e tornam-se referência para toda uma espécie, por terem criado algo bom, ou relativamente edificante em determinado momento.

            Dadas as devidas diferenças, com Deus deveria ser a mesma coisa. Assim como um autor não perde o brilho por ter escrito muito mais coisas ruins, porém, um clássico seu, tornou-se referencial, mesmo que único. Deus não pode ser colocado de lado da sua vida, pois em dado momento, mesmo que atual, não deseja intervir na sua história. Ele é o criador de todas as coisas: Onipotente, Onisciente, Onipresente, isso não está ligado à você assumir ou não, está ligado com o que Ele é. Um bom jogador de futebol não se torna desprezível pelo fato de alguns torcedores, mesmo que minoria, não admirarem seu trabalho; seu trabalho é admirado pelo que ele é como jogador; com Deus, o trabalho dEle é avaliado como Ele é enquanto Deus. Ou seja, os feitos demonstram a grandeza do artista, não retirando do mesmo: a glória, honra e louvor pelo que fez, faz e fará, de acordo com sua vontade. 

            Nós não devemos nos lembrar do passado, no que diz respeito às coisas negativas, como diz Rick Warren, no maravilhoso livro: "Uma vida com propósitos" - O que passou, passou! Nada mudará o passado. Você apenas machuca a si mesmo com sua amargura. Para o seu próprio bem, aprenda com o passado, e em seguida, se afaste dele.

            Concordo em gênero e grau com Warren, mas acredito que em dados momentos, devemos lembrar o que Deus fizera por nós, não para glória nossa, ou nem mesmo para tentar convencer ninguém do quanto sofremos. Mas nos lembramos desses momentos para glória dEle, assim como fazemos ao elogiar um criador de uma bela obra; aprenda a agradecer ao Artista que começou uma boa obra em você, Ele é fiel para completá-la.

            A segunda lição é que podemos nos alegrar em Deus porque os nossos inimigos são problema dEle. Outra frase que os mais novos convertidos e os ancestrais de Cristo já diziam, provavelmente, é: "Deus luta suas lutas".

            Essa é uma das principais coisas que você deve se lembrar: Nada foge do controle de Deus. Quero ser mais específico, nem quando um cabelo seu cai, não foi sem o consentimento dEle. Não estou dizendo que Deus quer que você sofra, ou passe aquilo que você está passando, porém, muita coisa se aprende nos momentos de dificuldade e dificuldade difere de sofrimento. É possível se passar por dificuldades cheio da certeza de que aquilo lhe fará bem em tempo oportuno, em melhores palavras: Deus está no controle de tudo e vai te fazer aprender muito nessa situação. Porém, é possível também passar pelas lutas pensando que aquilo é um fim em si mesmo, que você está sem esperança.

            Tudo é uma questão de como observar, quando observar da 'ótica de Deus' você verá a dificuldade como um momento para que você alcance maiores evoluções ou níveis de maturidade. Se continuar à olhar do seu jeito, você talvez alcance uma neurose ou crise nervosa. Aprenda que lutas são um degrau para minar a sua resistência, com o fim desse degrau em um lugar mais alto no pódio.

            O terceiro motivo para alegrarmos em Deus é porque o divino prevalece. Aqui talvez seja o mais complicado de todos os pontos para conseguirmos nos alegrar em Deus, mas também é o que mais te trará paz, caso consiga compreendê-lo de forma completa.

            Talvez por nossa ansiedade, finitude, medo, ansiedade e outras tantas características humanas, temos a sensação de que podemos fazer algo para que melhoremos a situação. Estão por aí os jejuns, correntes de oração, tardes de milagres e campanhas derivadas. Não estou dizendo que Deus não é poderoso para usar esses métodos para que algo mude em sua vida e talvez você inicie um compromisso com DEUS e não com CAMPANHAS, INSTITUIÇÕES, etc. Estou dizendo que o Senhor pode fazer aquilo que bem entende, sem você nem perceber. Aquela expressão à maré está para o 'seu' lado pode se fazer real, de acordo com a vontade de Deus. Mas se ela não acontecer, você parará de se alegrar em Deus?

            O salmista encerra o texto de forma especial, "Não permitas que o mortal triunfe! Julgadas sejam as nações na tua presença. Infunde-lhes terror, Senhor; saibam as nações que não passam de seres humanos", ou seja, o clamor do salmista, Davi, deve ser o nosso hoje. Como Cristo orou: "Não a minha, mas a Tua vontade, oh Deus". Como no "Pai Nosso": Seja feita a Tua vontade, assim na terra como nos céus. O salmo encerra nos chamando para a realidade, porque a alegria se torna delírio se não for real. A alegria vira bobeira se não for no contexto certo. A alegria se transforma em fim, e não num jeito de viver.

            Quero convidar você, a reler o Salmo que comentei. Quero convidar você, tentar notar as mesmas coisas que notei no salmo que comentei. Quero convidar você a orar sobre as coisas que comentei. Quero convidar você se alegrar nAquele que nos fortalece.



            A graça e a Paz.


Mateus Machado
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário