sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Levante-se.

Em dia subsequente dirigia-se Jesus a uma cidade chamada Naim, e iam com ele os seus discípulos e numerosa multidão. Como se aproximasse da porta da cidade, eis que saía o enterro do filho de uma viúva; e grande multidão da cidade ia com ela. Vendo-a, o Senhor se compadeceu dela e lhe disse: Não chores! Chegando-se, tocou o esquife e, parando os que o conduziam, disse: Jovem, eu te mando: Levanta-te. Sentou-se o que estivera morto e passou a falar; e Jesus o restituiu a sua mãe. Todos ficaram possuídos de temor, e glorificavam a Deus dizendo: Grande profeta se levantou entre nós, e: Deus visitou o seu povo.”

Lucas 7:11-16


Esse relato da ressurreição sobre o filho da viúva mostra o poder de Jesus sobre a morte. A morte para Cristo já era vencido antes mesmo dela ir para a sua morte, a morte de cruz. Lucas relata que havia duas numerosas multidões: uma que seguia Jesus e outra, que seguia para o enterro do filho da viúva. Entretanto, no meio do caminho ouve um fato inédito e que é relatado somente no Evangelho de Lucas que é característico a valorização das mulheres.

Viúva, uma mulher que já sofreu a perde de seu esposo uma vez. Então, essa viúva sabia como é a dor quanto perdemos um pessoa querida, imagine então, quando perdemos o nosso filho, não há relatado se era seu filho unigênito, o homem da casa, mais sabemos, que essa mulher estava sofrendo por causa disso, por causa dessa perda.

E Jesus ao deparar com ela teve compaixão. Jesus não deixou de observar aquela viúva que tinha perdido seu filho. A primeira atitude de Jesus foi em ir até ela e consola a vida dela: “Não chores!” (v. 13) mostrando que seus problemas haveriam de ser resolvidos. Moisés também participou da presença de Deus quando disse:

Certamente vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores, Conheço-lhe o sofrimento, por isso desci a fim de livrá-lo da mão dos egípcios.”                                                                                                                                             Êxodo 3:7-8ª
                O Evangelho chama a toda a gente, em particular aos jovens: Levantem-se dentre os mortos, e Cristo os iluminará. Quando Cristo lhe deu vida, viu-se que o jovem sentou. Temos a graça de Cristo, pois certo devemos mostra-la.

                Cada vez que Cristo dá vida espiritual, abre os lábios em oração e louvor. Quando as almas mortas são levantadas para a vida espiritual pelo poder divino do evangelho, devemos glorificar a Deus, e considerá-lo como uma visita de graça a seu povo. Procuremos ter um interesse tal em nosso Salvador compassivo, que possamos esperar com gozo a época em que a voz do Redentor chamará a todos os que estão nos sepulcros. Que sejamos chamados à ressurreição da vida, não à de condenação.


Rennan Reichardt
Colunista

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Aprendendo a falar a linguagem de Deus – Parte 1

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Tende fé em Deus;
Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte:
Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração,
mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito.
Marcos 11:22-23

         Você tem problemas? A resposta está bem debaixo do seu nariz. Pelo menos, em grande parte. Não podemos viver em vitoria sem saber do poder das palavras. Normalmente, quando temos montanhas em nossas vidas, falamos sobre elas; mas a Palavra de Deus nos ensina a fala para elas, como vemos nessa passagem de Marcos.

Você está Falando Sobre Suas Montanhas ou para Suas Montanhas ?

         Em Lucas 4, quando Jesus estava sendo tentado por Satanás no deserto, ele respondeu a cada tentação com a Palavra de Deus. Jesus, repetidamente, diz “Está escrito” e os versículos citados que vão de encontro com as mentiras e decepções do diabo se seguem.

         Temos uma tendência  em  “tentar” isso por um tempo mas quando vemos resultados rápido, paramos de falar a Palavra para os problemas e novamente começamos a falar nossos sentimento, que é provavelmente o que nos levou ao começo de tudo.

         Um entalhador martelar uma pedra 99 vezes sem que haja evidencia de que esteja acontecendo alguma coisa. Então, na 100° vez, ela pode partir-se em duas. Cada golpe estava enfraquecendo a pedra, sem que houvesse sinais que indicasse isso.

          A persistência é um elo vital para a vitória. Devemos saber em que cremos e dedicar-nos a conhecê-lo até ver  o resultado.

Obediência e perdão são tão importantes quanto fé e perseverança

Por isso vos digo que todas as coisas que pedirdes,
orando, crede receber, e tê-las-eis.
E, quando estiverdes orando, perdoai,
se tendes alguma coisa contra alguém,
para que vosso Pai, que está nos céus,
 vos perdoe as vossas ofensas.
Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai,
que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas.
Marcos 11:24-26

         A obediência é igualmente importante. Se uma pessoa pensa que pode viver em desobediência e ao mesmo tempo falar a Palavra de Deus para suas montanhas e ainda assim sair vitoriosa, ficará profundamente desapontada.

         Marcos 11.22-26 deve ser considerado como um todo. No versículo 22, Jesus. No versículo 23, ele ensina a liberar fé falando para as montanhas. No versículo 24, ele fala da oração e da importância de orar, crendo. No versículo 25, Jesus manda perdoar. E no versículo 26, ele afirma claramente que se não perdoarmos, também nosso Pai celestial não perdoará nossas ofensas.  Não há nenhum poder em falar a uma montanha se o coração estiver cheio de falta de perdão.

         Obediência é o tema central da Bíblia. Para muitos de nós, a vida está um caos por causa da desobediência. A desobediência pode ser resultado de ignorância e rebelião. A única maneira de sair do caos é arrepender-se e retornar à submissão e à obediência.

Não ignore os “Ses” e os “Mas”

E será que, se ouvires a voz do SENHOR teu Deus,
tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno,
o Senhor teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra.
E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão,
quando ouvires a voz do SENHOR teu Deus;
Deuteronômio 28:1-2

         Observe os “ses” nessa passagem. Com frequência, escolhemos ignorar os “ses’ e os “mas” na Bíblia. Considere, por exemplo, I Coríntios 1.9-10:

Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor.
Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer.

Deus é fiel e nos beneficiamos dessa fidelidade em honra-lo em obediências nos relacionamentos. A desobediência não muda a Deus. Ele é fiel apesar da desobediência. A obediência, no entanto, abre a porta para a benção, que já foi liberada por causa da bondade de Deus.

“Falar para nossas montanhas” não é um passe de mágica ou encantamento que usamos quando estamos com problema;ou quando queremos alguma coisa e continuamos com estilo de vida desobediente e carnal.
Crianças

E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais,
mas como a carnais, como a meninos em Cristo.
1 Coríntios 3:1

         Enquanto vivermos na carne devemos orar e esperar que Deus nos mostre misericórdia e não nos dê o que pedimos. Falamos muitas coisas que são da nossa vontade e não da vontade de Deus, simplesmente porque não conhecemos a diferença. Como “bebês em Cristo” simplesmente não sabemos como falar ainda, como Paulo diz nessa passagem:

        Assim como bebês naturais devem aprender a falar a língua dos mais velhos, assim os cristãos devem aprender a falar à maneira de Deus.


 Post baseado no livro Eu e minha boca grande- Joyce Meyer.

Carol Cruz
Colunista


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Igreja, como a ultima opção!?


Você já parou para pensar que, talvez, a igreja seja a ultima 'saída' para uma pessoa que pensa em por fim a sua vida? Que ao adentrar aquele lugar ele(a) anseia ser notado, fazer um amigo, ter um ombro a quem chorar, ou pelo menos ter a oportunidade de dizer o seu nome?

Diante desse fato, não muito distante da nossa realidade, como temos nos portado, tem sido indiferentes a presença dessas pessoas ou a temos notado? Como estamos, como cristãos, no quesito inclusão, seja de um jovem da classe média ou de um excluído social? 

Infelizmente no nosso cotidiano, por muitas vezes, passados despercebidos por esses indivíduos. Por muitas vezes o foco dos ministérios, ou das pessoas, tem sido tanto dentro da igreja que, aqueles que não congregam são esquecidos. A igreja virou uma reunião dominical tão normal, infelizmente, que a essência foi deixada de lado. Deus, e Deus é amor, e Amor salva. E não seria espantoso dizer que, talvez, a igreja não seja a ultima, nem a primeira, nem sequer qualquer opção de um suicida. Que ele nem tenha cogitado essa ideia. Pois para ele, é indiferente, porque nunca foram diferentes.

Não estou jogando um peso em cima de ninguém, muito menos culpando alguém por essas pessoas que se matam. Mas estou lhes chamando para a realidade. Isso é fato, as estatísticas dizem que a cada 100 mil habitantes, 32 se matam. Pode parecer insignificante, mas não estamos falando só de números, mas de pessoas. Por elas foram pago um alto preço, e cabe a nós, como enviados de Cristo manifestar isso. 

Não podemos nos fechar a essas pessoas. Pelo contrário, temos que ir em busca delas. A igreja somos nós, e devemos proclamar o evangelho, que é salvação, em todos os lugares e pessoas que formos.

Não podemos ficar estáticos dentro de um templo a espera de uma pessoa que pense se matar. Se for a vontade de Deus, ela irá, mas é muito mais provável que ela não vá a igreja antes disso, mas que, pode ser que vá à faculdade, por exemplo. Ou então ao trabalho, ou a praça, a padaria, em um monte de lugares onde você, como guiado do Espírito Santo, é colocado para fazer a diferença, e não ser indiferente. Onde uma vida pode ser salva apenas por ser notada por alguém. Alguém que é cheio do Espírito Santo, e sabe como amar.

Eu assisti a um filme esses dias que falou muito comigo, seria legal vocês verem também. Segue abaixo o trailer, e uma fala de uma das cenas:

"O que você faria por vinte dólares? Beijaria a boca de um cachorro, levaria sua mãe à uma festa? Fazemos coisas malucas por vinte dólares, mas o que faríamos por um centavo? Levaria sua mãe a uma festa, beijaria a boca de um cachorro? O engraçado é que nós tratamos as pessoas dessa forma. Algumas merecem a nossa atenção enquanto, simplesmente ignoramos outras como se não tivessem valor."


Que Deus nos abençoe e nos leve a essas pessoas!

Ronnedy Paiva
Colunista

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Terminando Bem

"Combati o bom combate, completei a carreira , guardei a fé" 2 Timóteo 4 :7

"Li uma história de humor , a respeito de um cão de caça. Ele começou a perseguir um veado, mas um raposo cruzou o seu caminho, e ele começou a persegui-lo. Após um momento, um coelho cruzou o seu caminho, e o cão de caça perseguiu o coelho. Mais tarde, todavia, um rato cruzou o seu caminho e ele seguiu o rato nun buraco. O cão que havia começado a sua caça na trilha de um magnífico veado, acabou por vigiar o buraco de um rato!

A maioria de nós , rirá deste cão de caça. Mas se pararmos para pensar , veremos que muitas vezes , também nos distraímos facilmente. Haverá tempos, nos quais até podemos ser desviados de seguir a Cristo. É tão fácil começar bem, mas depois correr atrás de coisas que cruzam o nosso caminho.

Devemos levar a sério as palavras do apóstolo Paulo. Ele falou a Timóteo para concentrar a sua atenção no propósito da sua vida e no seu ministério. Ele o motivou a falar aos outros sobre Cristo, e adverti-los a não se desviarem.

Os valores deste mundo podem facilmente nos influenciar, tentando-nos a desprezar a "sã  doutrina" e aceitar o que é falso. Assim , precisamos conhecer e proclamar a Palavra, perseverar através dos sofrimentos e guardar a fé .
Sim, com a ajuda de Deus , podemos manter os nossos olhos em Cristo, permanecer perto Dele e terminar bem"  
                            Fonte: Nosso Andar Diário

Esse texto me chamou muita a atenção pelo seguinte fato: através dele consegui entender o porque que Deus tem falado em santidade para a nossa geração.

Deus busca encontrar verdadeiros adoradores, ou seja, pessoas que busquem a Ele incansavelmente pelo simples fato de que : EXISTEM MUITAS PESSOAS QUE PRECISAM DELE. Por isso, que a cada dia que passa, Deus está levantando mais e mais pessoas. Pessoas que Ele escolheu, e que por Ele são capacitados.

Mas o que esse texto ressalta também  é a questão de sermos firmes no nosso alvo que é CRISTO.

"Você não pode voltar suas costas para Cristo, se os seus olhos estiverem fixos nele"

As lutas vão surgir, o inimigo vai se levantar de muitas maneiras diferentes, mas temos que perseverar. Pois Deus anseia por uma Geração Santa, afinal Ele nos escolheu por isso que Ele vai nos capacitar, para que assim possamos ser um verdadeiro exército de Cristo e combater o bom combate!



Deus abençoe!


                     Nathália Terra
                         Colunista

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Sobre nós, misericórdia, perdão e o Salmo 6.


            Um salmo que trata de uma verdade esquecida na vida da igreja. Um salmo que serve de alerta para a vida do cristão. Um salmo que mostra como ser uma pessoa mais agradável, feliz e conseqüentemente relevante na sua sociedade. Estudemos agora o salmo sexto.

            Senhor, não me castigues na tua ira nem me disciplines no teu furor. Misericórdia, Senhor, pois vou desfalecendo! Cura-me, Senhor, pois os meus ossos tremem: Todo o meu ser estremece. Até quando, Senhor, até quando? Volta-te, Senhor, e livra-me; salva-me por causa do teu amor leal. Quem morreu não se lembra de ti. Entre os mortos, quem te louvará? Estou exausto de tanto gemer. De tanto chorar inundo de noite a minha cama; de lágrimas encharco o meu leito. Os meus olhos se consomem de tristeza; fraquejam por causa de todos os meus adversários. Afastem-se de mim todos vocês que praticam o mal, porque o Senhor ouviu o meu choro. O Senhor ouviu a minha súplica; o Senhor aceitou a minha oração. Serão humilhados e aterrorizados todos os meus inimigos; frustrados, recuarão de repente  Salmos 6

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A Fé e a Faca

"A fé é cega faca amolada"

De forma incipiente, esse trecho da musica "Não perdi a minha fé" é uma ambiguidade. Em parte ela é falsa, e em parte verdadeira.  

* A parte falsa *

Primeiramente: A fé não é cega, mas é a plena convicção que Deus pode agir no natural e no sobrenatural em nosso favor.

Implicar que ela é cega, é tirar o fundamento da qual ela se originaliza: Deus, "o autor e consumador da Fé" (Hb 12.2)

A Fé é adquirida através do tempo, através de experiencias de intimidade com Deus. Apenas aqueles que confiam tem Fé. É meio redundante isso, mas a Fé tem um forte conectivo com "confiança", que por sua vez, é a esperança firme em alguém, em alguma coisa.

Quando dizemos que temos fé, estamos dizendo que apesar de tudo, confiamos que, se for da vontade de Deus, Ele pode agir no impossível para tornar possível algo em nosso favor.

"Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vem." Hebreus 11.1

Quando confessamos que temos Fé, intrinsecamente estamos afirmando que temos um relacionamento intimo com Deus. Pois a aquisição de Fé vem através do relacionamento. Nós confiamos em alguém porque a conhecemos. Por isso é loucura para o mundo isso, pois eles não tem um relacionamento com Deus, e assim afirmam que a nossa Fé é cega.

"Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe..." Hebreus 11.6

A nossa Fé é baseada em fatos, em acontecimentos em que vemos Deus agindo, e Ele age, tanto na Bíblia, como podemos ler, como também em nosso cotidiano, como podemos ver. A Fé vem dEle, depende dEle, e é para Ele. Com ela temos a firme convicção de que Deus é infinitamente poderoso para agir da forma que Ele quer, para com aqueles que nEle confiam. Uma Fé confiante que não é cega, mas que é adquirida através do tempo, de experiências que nos fornecem esperança, e esperança que não falha.

A parte verdadeira *

Se pensamos na Fé como uma faca, teremos maior exito. Uma faca que não é utilizada, que foi comprada e nunca foi usada, ela é totalmente cega, sem corte. Mas a partido do momento em que ela é amolada em algum ferro ou pedra, o seu corte fica afiado, pronto para o uso. Mas isso só é possível através do atrito.

"Sabendo que a tribulação produz a perseverança, e a perseverança a experiência, e a experiência a esperança; e a esperança não desaponta." Romanos 5.2-5

E pensando na Fé como uma Faca, uma faca que não é cega, mas que é afiada através de tribulações, que é amolada em experiências com Deus, o seu corte não será cego, mas afiado o bastante para ter convicção de que pode confiar plenamente em Deus, passando daquela situação que se encontra, com a Fé inabalável no Deus do impossível agindo em nosso favor.


A nossa Fé não é cega, mas é baseada em fatos, está fundamentada em Deus, em acontecimentos que Deus nos permite passar para ver Sua provisão. Para que cresçamos, nos desenvolvamos na medida que Ele quer, confinado sempre nEle, e não em nós. Por isso a nossa não deve estar naquilo que pode acontecer, mas nAquele que tudo por fazer.


Ronnedy Paiva
Colunista

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

O que dirige a sua vida?

“O homem sem propósitos é como um barco sem leme – um vira-lata, um nada, um ninguém.”
Thomas Carlyle
 
 Dando continuidade no post de quarta-feira, quero falar também sobre o livro “Uma vida com propósitos” de Rick Warren.
    
    A vida de todo indivíduo é dirigida por algo. A maioria dos dicionários define o verbo “dirigir” como “guiar, controlar, direcionar”. Se você está dirigindo um carro, batendo um prego ou rolando uma bola de golfe, estará naquele momento guiando, controlando e direcionando. Qual a força motriz que dirige sua vida?
        Neste exato momento, é possível que um problema, uma urgência ou o fim de um prazo determinado estejam dirigindo você. É possível que uma lembrança dolorosa, um temor ou uma crença inconsciente também o estejam dirigindo. Centenas de circunstancias, valores e emoções podem dirigir sua vida. Eis aqui cincos dos mais comuns.
         
 Somos dirigidos pela culpa. Algumas pessoas passam a vida inteira fugindo do remorso e ocultando a vergonha. Dirigidas pela culpa, são manipuladas pelas lembranças. Permitem que o passado controle o futuro e frequentemente punem a si mesmas, sabotando o próprio sucesso. Quando Caim pecou, sua culpa afastou-o da presença de Deus, que disse: “Você será um fugitivo errante pelo mundo” (Genesis 4:12).
Somos produtos de nosso passado, mas não precisamos ser prisioneiros dele. O propósito de Deus não é restringido pelo nosso passado. Ele tornou um assassino chamado Moisés num líder, e um covarde chamado Gideão num corajoso herói. E também pode fazer coisas maravilhosas na sua vida. Deus é especialista em dar às pessoas um novo começo. A Bíblia diz: “Como é feliz o homem que tem suas desobediências perdoadas e seus pecados cobertos!” (Salmos 32:1).
       
  Muitos são dirigidos pelo ressentimento e pala raiva. Algumas pessoas apegam-se a mágoas, sem jamais superá-las. Em vez de aliviar a dor por meio do perdão, revivem-na continuamente em pensamento. Quando dirigidas pelo ressentimento, “calam-se” e interiorizam a raiva, enquanto outras “se irritam” e agridem outros. Ambas as reações são nocivas e inúteis.
O ressentimento sempre machuca mais o ofendido que a pessoa que ofendeu, Enquanto o ofensor provavelmente já esqueceu o insulto e seguiu em frente, você continua angustiado em sua dor, perpetuando o que aconteceu.
           Aqueles que o magoaram no passado não poderão continuar a feri-lo, a menos que você se agarre à dor por meio do ressentimento. O que passou, passou!
       
   Muitos são dirigidos pelo medo.  Seus temores são provavelmente o resultam de experiências traumáticas e de expectativas ilusórias, do crescimento em um lar extremamente severo ou mesmo de predisposição genética. Independentemente do que tenha causado tal situação, pessoas dirigidas pelo medo com frequência perdem grandes oportunidades por terem medo de correr riscos. Em vez disso, elas se comportam de maneira cautelosa, evitando riscos e tentando manter a situação vigente.
O medo é a auto-imposição de um cárcere, que o impedirá de se tornar o que Deus pretende que você seja. Você tem de agir contra isso, com as armas da fé e do amor. A Bíblia diz: “No amor não há medo; ao contrário, o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor” (1Jo 4:12).

Muitos são dirigidos pelo materialismo. Seu desejo de adquirir se torna o único objetivo na vida. O impulso de sempre querer mais baseia-se no conceito errôneo de que ter mais me tornará mais feliz, mais importante e mais protegido. Mas os três pensamentos são falsos. Posses somente trazem felicidade temporária. Uma vez que as coisas não se modificam, acabamos nos entediando e então passamos a desejar modelos mais novos, maiores e melhores. Também é um mito a concepção de que, quanto mais
possuir, mais importante serei. Auto-estima e patrimônio não são a mesma coisa. Seu valor não é determinado pelas suas posses, e Deus deixa claro que as coisas mais valiosas da vida não são os bens!
O mito mais frequente a respeito do dinheiro é o que diz que, quanto mais dinheiro se tem, mais protegido se está. Isso não é verdade. Riquezas podem ser perdidas em um piscar de olhos, em virtude de uma enorme quantidade de fatores
incontroláveis. A verdadeira proteção só pode ser achada naquilo que nunca poderão tomar de você — seu relacionamento com Deus.

    Muitos são dirigidos pela necessidade de aprovação. Eles permitem que as expectativas dos pais, esposas, filhos, professores ou amigos controlem sua vida. Muitos adultos ainda tentam ganhar a aprovação de pais que nunca estão satisfeitos. Outros são dirigidos pela pressão social, sempre preocupados com o que os outros poderiam pensar. Infelizmente, os que seguem a multidão acabam normalmente perdidos nela. Não conheço todas as chaves do sucesso, mas uma chave para o fracasso é tentar agradar a todos. Ser controlado pelas opiniões dos outros é uma forma segura de deixar de lado os propósitos de Deus para sua vida. Jesus disse: “Ninguém pode servir a dois senhores”. (Mateus 6:14). Existem outras influências que podem dirigir sua vida,
mas todas levam ao mesmo impasse: potencial não aproveitado, estresse desnecessário e uma vida não realizada.


Rennan Reichardt
Colunista

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Você não é um acidente

Deus não joga dados.
Albert Einstein

Seu nascimento não foi um erro, e sua vida não é um acaso da natureza. Seus pais podem não tê-lo planejado, mas Deus certamente o fez. Ele não ficou nem um pouco surpreso com seu nascimento. Aliás, ele te aguardava.

Muito antes de ser concebido por seus pais, você foi concebido na mente de Deus. Ele pensou em você primeiro. Você não está respirando neste exato momento por acaso, sorte, destino ou coincidência. Você está vivo porque  Deus determinou cada pequeno detalhe de nosso corpo. Ele deliberadamente escolheu sua raça, a cor de sua pele, seu cabelo e todas as outras características. Ele fez seu corpo sob medida, exatamente do jeito que queria. Ele também determinou os talentos naturais que você possuiria e a singularidade de sua personalidade.

Uma vez que Deus o fez por um motivo, ele também decidiu o momento de seu nascimento e seu tempo de vida. Ele planejou os dias de sua vida antecipadamente, escolhendo o momento exato de seu nascimento e de sua morte.Deus também programou onde você nasceria e onde viveria para o propósito dele. Deus não deixou nenhum detalhe ao acaso. Ele planejou isso tudo para o propósito dele.  Nada em sua vida é casual — tudo foi feito em função de um propósito. E o mais incrível: Deus decidiu como você nasceria. Independentemente das circunstâncias de seu nascimento e de quem são seu pais, Deus tinha um plano ao criá-lo. Não importa se seus pais foram bons, ruins ou indiferentes. Deus sabia que esses dois indivíduos possuíam a constituição genética específica para criar você em especial, exatamente como ele tinha em mente. Eles tinham o DNA que Deus queria para formá-lo. Embora existam pais ilegítimos, não existem filhos ilegítimos. Muitos filhos não foram planejados pelos pais, mas não são um imprevisto para Deus. O propósito de Deus levou em conta o erro humano e até mesmo o pecado. Deus nunca faz nada por acaso, e ele nunca comete erros. Ele tem um motivo para tudo que criou. Todas as plantas e animais foram planejados por Deus, e cada pessoa foi idealizada com um propósito. O motivo para Deus tê-lo criado foi o amor que ele tem por você.

Deus já pensava em você antes de formar o mundo. Na verdade, você foi o motivo de Deus ter criado o mundo! Deus projetou o meio ambiente deste planeta para que pudéssemos viver nele. Nós somos o foco de seu amor e o elemento de maior valor em toda a sua criação.

Deus não age de forma aleatória; ele planejou tudo de forma extremamente precisa. Quanto mais os físicos, biólogos e outros cientistas aprendem sobre o universo, mais compreendemos quanto ele é adequado à nossa existência — feito sob medida com as exatas especificações que tornam a vida humana possível. O Dr. Michael Denton, um pesquisador da genética humana da Universidade de Otago, através de pesquisas concluiu : “Todas as evidências disponíveis nas ciências biológicas, apoiam a teoria básica de que o universo como um todo foi especialmente criado tendo a vida e a humanidade como principal objetivo e propósito; um conjunto no qual todas as facetas da realidade têm seu significado e explicação nesse fato fundamental”. 
Por que Deus fez tudo isso? Por que enfrentou todo o incômodo de criar um universo para nós? Porque Ele é um Deus de amor. Esse tipo de amor é difícil de compreender, mas é essencialmente confiável. Você foi criado para ser um alvo especial do amor de Deus! Deus o fez para poder amá-lo. Essa é uma verdade sobre a qual você precisa edificar sua vida.

A Bíblia nos diz que Deus é amor (I Coríntios 13). Ela não diz que Deus tem amor ou que Deus faz o amor, Ele é amor! Amor é a essência do caráter de Deus. Há um perfeito amor na irmandade da Trindade, então Deus não precisou criá-lo. Ele não estava só. Mas quis fazê-lo para expressar o seu amor.
Se não houvesse um Deus, seríamos todos “acidentes”, o resultado de um fato extraordinariamente aleatório no universo. Você poderia parar de ler este artigo agora, pois a vida não teria nenhum propósito, significado ou importância. Não haveria certo e errado, bem como nenhuma esperança além de seus anos aqui na terra.
Mas há um Deus que o fez por uma razão, e sua vida tem um profundo significado! Descobrimos esse significado e propósito somente quando tomamos a Deus como ponto de referência de nossa vida.

Termino  com o seguinte poema de Russell Kelfer :
Você é quem é por uma razão.
Você faz parte de um plano complexo.
Você é uma criação original, preciosa e perfeita,
denominada como notável homem ou mulher de Deus.
Você tem essa aparência por uma razão.
Nosso Deus não cometeu nenhum erro.
Ele o teceu no útero,
você é exatamente o que Ele quis fazer.
Os pais que você teve foram escolhidos por ele,
e, a despeito de seus sentimentos,
eles foram feitos sob medida
para os planos que Deus tem em mente,
e estão aprovados pelo Senhor.
Não, aquele trauma que você enfrentou não foi fácil.
E Deus chorou por aquilo o ter machucado tanto;
mas foi permitido para moldar seu coração
para que você crescesse à sua imagem.
Você é quem é por uma razão.
Você vem sendo moldado pela vara do Senhor.
Você é quem é, amado,
porque há um Deus!

Post baseado no livro "Uma vida com propósitos de Rick Warren"



Carol Cruz
Colunista


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Deus nos quer na ignorância?

A palavra ignorante significa: que ignora, desconhece; pessoa iletrada; estúpida, incipiente.¹

Ao professarmos nossa fé no Deus vivo, ouviremos por várias vezes, ou pela TV, ou internet, ou até entre amigos, que somos irracionais, cegos, ignorantes. Que se buscarmos entendimento, estudando a ciência e blá blá blá, veremos que Deus não existe. Que se O buscarmos, não O acharemos.

Será que se buscarmos mesmo, não O encontraremos como diz o livro do Profeta Jeremias?

"E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração." Jeremias 29.13

Será que a Bíblia nos quer na ignorância, como os incrédulos dizem que estamos, para que não vejamos que Deus não existe como eles afirmar ser? 

Não! Pelo contrário, somos exortados a buscar o conhecimento. A estudar a Palavra de Deus e coloca-lá em prática em todas as suas vertentes, para que então, vejamos a verdade existencial, que não somos meros espectadores do universo, obras do acaso. E a verdade é que Deus existe, e formos criados com um propósito, e devemos busca-lo, e isso vem através do conhecimento, da leitura da palavra. Ele quer que sejamos sábios.  Por isso a bíblia tem um livro inteiro que fala sobre a busca da sabedoria (Provérbios). Deus não quer que o Seu povo permaneça na escuridão, na pseudoluz do 'achismo', sem respostas adequadas dos porquês da vida. Antes, a bíblia nos fala que "Bem aventurado é o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento." Provérbios 3.13

***
"O meu povo foi destruído, porque lhe faltou conhecimento". Oséias 4.6

Somos destruídos quando ignoramos o conhecimento. E a Palavra de Deus é conhecimento vivo. Nela encontramos alívio e direção. O problema é que muitas vezes a lemos somente como um livro qualquer, e não como fonte de alimento. Buscamos a Deus apenas por mera obrigação cristã, ou pelas Suas bênçãos, e não pelo que Ele é. E não O encontramos porque não O buscamos verdadeiramente de coração.

O livro de Oséias 4, fala que os israelitas não eram fiéis, não amavam e não sabiam coisa alguma sobre Deus, e por isso xingavam, matavam, roubavam e se prostituam, porque lhes faltava o conhecimento. E por esse motivo Deus virou as costas para eles, pois O ignoravam, e transformavam a Sua glória em vergonha.

"[...] porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei." Oséias 4.6b

A busca pelo conhecimento é árdua e diária, e não deve ser superficial. A bíblia nos é apresentada como alimento, e nela devemos meditar. É ler, e compreender, estudar, e achar. Não é um livro qualquer a ser passado os olhos por cima apenas. É fonte de vida e conhecimento.

O cientista francês Louis Pasteur certa vez disse: "Um pouco de ciência nos afasta de Deus, Muito, nos aproxima." Um erro muito comum é achar que a ciência é 'ateu'. Que a física, a biologia e a química, de forma incipiente, desmentem a existência de Deus, e que são contra Ele. Leso engano, essas matérias, embora laicas, nos trazem conhecimento, e é nela que podemos ver parte de Deus em Sua amplitude e infinitude. Essas matérias nos apresentam o vasto conhecimento do Altíssimo. A perfeição da Criação. 

O Deus criador do mundo não quer filhos iletrados. Antes, Ele nos diz:

"Se clamares por conhecimento, e por inteligência alçares a tua voz [...] Então entenderás o temor do SENHOR, e acharás o conhecimento de Deus. Porque o SENHOR dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos." Provérbios 2.3, 5-7

Deus é conhecimento, e devemos busca-Lo com entendimento, com todo o nosso coração, para que sejamos chegados de Deus, e nos seja revelado à amplitude indefectível de Deus. 

"Quando você fala que não quer teologia e só quer Deus, você está dizendo que quer todos os benefícios de Deus, mas não quer conhecê-lo." Paul Washer

A busca pelo conhecimento deve ser incessante, e nela devemos nos aprofundar. Pois ao contrário do que muitos pensam, a Fé não é cega, mas é o plena convicção que Deus pode agir no natural e no sobrenatural em nosso favor. Isso, quando O buscamos de todo o nosso coração e de todo o nosso entendimento.

O conhecimento está aí, e devemos busca-lo. Seja na matemática, na física, na química e em tantas outras matérias. Se a conhecermos, veremos Deus nelas, e elas em Deus.

"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." 2 Timóteo 2.15

[1] Dicionário Aurélio.

Ronnedy Paiva
Colunista

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Frutos do Espírito?!

"Filho meu, atenta para as minhas palavras, ás minhas razões inclina o teu ouvido. Não as deixe apartar-se dos teus olhos, gurda-as no meio do teu coração. 
Porque são vida para os que as acham, e saúde, para o seu corpo." 
Provérbios 4:20-22

O que Salomão ressalta nesse texto é a importância da Bíblia em nossa vidas, esse livro para nós, cristãos, é o livro mais importante, mas, infelizmente isso não tem sido verdade na vida de alguns.

Por muitas vezes, lemos a Bíblia simplesmente por ler, não levamos ela a sério, não entendemos a importancia dela para as nossas vidas, afinal ela é o nosso alimento espiritual.

Ler a Bíblia deve ser um prazer para nós, deve ser aquele momento que você está ali colocando o seu coração diante de Deus, para ouvir a voz Dele, através da palavra.

E uma coisa muito interessante que eu vejo é que, quem lê a Bíblia verdadeiramente, como uma prova  de amor a Deus e a sua palavra, pratica isso normalmente sem perceber.

A vida de um cristão é vista através dos frutos de seu relacionamento com Deus, ou seja, se temos relacionamento com Deus (lendo a Bíblia e orando), é impossível que as nossas vidas continue sendo a mesma.

Por isso que é de suma importância que guardemos a palavra de Deus em nossos corações, para que assim, consigamos produzir frutos.

"Mas o fruto do Espírito é : amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra essas coisas não há lei." Gálatas 5: 22,23

Esse versículo nos mostra exemplos de frutos espirituais, como disse a pouco, tudo isso vem como 'consequência' do seu relacionamento com Deus . Portanto:

"Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito"  Gálatas 5:25


E eu quero desafiar você, sendo cristão ou não, a experimentar um pouco mais da palavra de Deus, pois eu tenho certeza que Ele irá transformar, e restaurar tudo aquilo que for preciso, para que então, muitos frutos do Espírito possam "surgir" na sua vida .

Deus abençoe!



                        Nathália Terra
                            Colunista

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Sobre nós, Oração e o Salmo 5



O salmo quinto é engraçado, é um salmo que fala de grandes verdades, de algumas situações contextualizadas e o mais incrível, fala da minha e sua vida. O salmo quinto é uma verdade cotidiana, texto passível de estudo repetido e não repetitivo.

"Dá ouvidos às minhas palavras, ó SENHOR, atende à minha meditação. Atende à voz do meu clamor, Rei meu e Deus meu, pois a ti orarei. Pela manhã ouvirás a minha voz, ó SENHOR; pela manhã apresentarei a ti a minha oração, e vigiarei. Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniqüidade, nem contigo habitará o mal. Os loucos não pararão à tua vista; odeias a todos os que praticam a maldade. Destruirás aqueles que falam a mentira; o SENHOR aborrecerá o homem sanguinário e fraudulento. Porém eu entrarei em tua casa pela grandeza da tua benignidade; e em teu temor me inclinarei para o teu santo templo. SENHOR, guia-me na tua justiça, por causa dos meus inimigos; endireita diante de mim o teu caminho. Porque não há retidão na boca deles; as suas entranhas são verdadeiras maldades, a sua garganta é um sepulcro aberto; lisonjeiam com a sua língua. Declara-os culpados, ó Deus; caiam por seus próprios conselhos; lança-os fora por causa da multidão de suas transgressões, pois se rebelaram contra ti. Porém alegrem-se todos os que confiam em ti; exultem eternamente, porquanto tu os defendes; e em ti se gloriem os que amam o teu nome. Pois tu, SENHOR, abençoarás ao justo; circundá-lo-ás da tua benevolência como de um escudo" Salmo 5

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

É preciso esvaziar-se

Uma das leis de Issac Newton é que: Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço. Ou seja, não da para colocar uma maça a onde já tem uma laranja. A não ser que essa laranja seja retirada.

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar a outro, ou se dedicar a um e desprezar o outro." Mateus 6.24

O caso é simples. Aquele que deseja agradar a Deus, deve se encher dEle, tirando aquilo que não é de Seu agrado, para que possa assim, experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Rm 12.2).

***

Durante a vida acumulando manias, hábitos, rotinas, jeitos que pegamos de pessoas e que às vezes sequer percebemos. São hábitos corriqueiros, que muitas vezes nem é percebido quando feito. Porém nem sempre esses hábitos nos fazem bem.


Com a aquisição dessas manias ao longo da vida, e diante de tantas 'rotinas', fica algo tão monótono viver  que quando percebe-se, nada mais satisfaz. Se está tão cheio de nada e a procurar da felicidade. Ainda que seja momentânea.

E a busca da sensação de prazer, muitas vezes nos afasta de cumprir a vontade de Deus, e de poder desfrutar do Seu melhor. É como um jovem que está com fome, ele sai em busca de algo para se saciar. Ele come torta, bolo, sorvete, pastel, e tantas outras guloseimas de uma vez e que parecem boas, mas que não dão o sentimento de "estou satisfeito." Ao final, ele realmente não se sente farto, mas entupido, pesado, inchado, e o pior, com dor de barriga. É como o sentimento de pecado.

Mas então lhe oferecem um belo prato com arroz, feijão, strogonoff e salada. Mas ele está tão cheio que se entrar mais alguma coisa, ele explode. Então para que ele possa desfrutar desse alimento que é bom, agradável e perfeito, embora simples a vista de seus olhos, ele tem que se esvaziar. Tem que deixar de comer aquilo que lhe parece bom, para se alimentar com aquilo que realmente é bom.

Assim também é na vida cristã. Para que possamos experimentar a boa e perfeita vontade de Deus, precisamos tê-lo como prioridade em nossas vidas. Devemos deixar de lado as nossas coisas para nos enchermos totalmente dEle. Não dando lugar para aquilo que parece bom. Mas nos abrindo totalmente para cumprir a Sua vontade.

"Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Porque, qualquer que quiser salvar a vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará." Lucas 9-23-24

A primeira instância parece até autoritarismo isso, ou então que perderemos a nossa liberdade, o nosso senso de fazer aquilo que nos da na telha. "Poxa, não posso nem fazer mais aquilo que quero?" É comum achar isso. O chamado que de Jesus para carregarmos a sua cruz é realmente de tirar o sono. Muitos, como o jovem rico da parábola, darão as costas ao Seu convite. Pois essa intimação não é atraente, pelo contrário, é assustadora e desafiadora. Ela é aceita apenas por amor.

O mundo, pelo pressuposto, nos transmite os prazeres como uma coisa agradável. Tudo parecendo belo, gostoso, mas que na verdade, traz uma bela dor de barriga no final. Nossas manias, nossos costumes, nossa rotina é algo nosso e que adquirimos ao longo da vida pelas nossas próprias forças. É nossa independência, nossa conquista. Mas se elas não têm Jesus no meio, estamos trilhando um caminho que nos levará para longe dEle. Para longe da Sua vontade e de nosso verdadeiro propósito!

Esvazia-se é deixar que Cristo habite em nossas vontades, em nossa rotina, em nossa vida, em tudo o que somos e desejamos ser. É abrir mão das nossas vontades, ainda que pareçam boas para nós. É deixar tudo nas mãos dEle. É sacrificar o bom que é nosso, para ter o melhor que é dEle; pois Deus tudo sabe. Ele é atemporal, e nada foge do seu entendimento. E se Ele nos fala para que a Sua vontade deva ser a nossa, é porque isso é o melhor coisa para as nossas vidas. Ainda que não saibamos a onde vai dar, a vontade de Deus é sempre a melhor que a nossa.

Há um tempo eu comecei a usar óculos. Antes, parecia que eu via tudo perfeito -segundo o meu entendimento-, eu até sabia que precisava de óculos, mas não tanto e também queria usa-lo. Entretanto, por força maior, tive que ir a um oculista, fazer os exames e encomendar as benditas lentes corretoras. E então percebi o quão necessário era que eu usasse aqueles óculos. E depois que comecei a usa-lo, percebi que eu era um 'cego'. "Como eu podia ver antes disso?" E agora, quando eu não estou de óculos, eu até consigo ver, mas até certa distância, depois começa a ficar embaçado. Eu achava que minha visão era perfeita, mas quando veio o que era perfeito, toda minha imperfeição foi embora.

A palavra que o Apostolo Paulo da em 1 Coríntios 13.10 e 12 expressa muito bem isso. Nos pensamos saber o que é melhor para nós. Mas o que é melhor para nós mesmos é esvaziar-se de nossas vontades, de nossa autoconfiança e depender totalmente de Deus. Porque Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14.6). E sobre Ele estão todas as coisas. Ele sabe de tudo.

"... Mas, quando o que é Completo chegar, tudo o que é incompleto em nós deixará de existir. [...] Hoje não vemos as coisas com clareza. Estamos como num nevoeiro, enxergando com dificuldade por entre a neblina. Mas isso não vai durar muito. O tempo vai melhorar, e o Sol vai parecer!" 1 Coríntios 13.10,12 

É como um pai que, sabendo que não é bom algo para o seu filho, alertá-lo-a disso, para que ele não faça. Para o filho isso pode até aparentar autoritarismos, pois ele não sabe das consequências que poderão o atingir. Ele pode achar idiotasse cumprir a vontade de seu pai, pois ele está  privando de certa forma a sua liberdade. Mas na verdade é o cuidado do pai sobre o seu filho. É o amor de não entregar a seu filho aquilo que ele já sabe que não é bom. É o amor que faz o pai dizer não, dizendo "cumpra o que eu digo", pois ele sabe o que faz.

Negar-se a si mesmo, tomar a sua cruz, esvazia-se de nós mesmos, diminuirmos para que Ele cresça, é depender totalmente do cuidado e do amor dAquele que é infinitamente mas e poderoso para cumprir a Sua vontade em nós. A vontade dEle é boa, agradável e perfeita.

Então que possamos deixar de procurar a satisfação em nossas próprias vontades. Que os prazeres mundanos não nos atraiam mais. E que sejamos totalmente cheio de Deus, para que a boa e perfeita vontade de dEle se compra em nossas vidas!

Que Deus nos abençoe!

"Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz." Filipenses 2.6-8

Ronnedy Paiva
Colunista