segunda-feira, 20 de agosto de 2012

O Irmão do Filho Pródigo

"Eis que há tanto tempo te sirvo, e nunca transgredi um mandamento teu; contudo nunca me deste um cabrito para eu me regozijar com meus amigos; vindo, este filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado." Lucas 15.29-30


"Quem ele pensa que é? Esse moleque insolente acha que pode chegar aqui depois de ter pego sua parte na herança e gastado tudo, pedindo perdão a esmo sem tomar uma bela de uma lição? Ele pecou contra Deus e contra o nosso pai, merece uma punição exemplar. Merece nem o perdão"

Talvez fossem esses os pensamentos que norteavam aquele jovem. O irmão mais velho do filho pródigo deve ter ficado extremamente bravo quando viu seu irmão novamente em sua casa, festejando! Casa que ele outrora abandonará atrás de alegrias efêmeras, trocando a própria família por uma vida dissoluta. 

"Ele se indignou e não queria entrar." Lucas 15.28

Ser o irmão mais velho tem lá suas 'vantagens', querendo ou não, este pode chegar mais tarde em casa, não precisa dar satisfações todas as vezes que for sair, já tem idade suficiente para cuidar da residência quando os pais estão fora e pode trabalhar, tendo assim seu próprio dinheiro sem depender inteiramente dos pais em muitos casos. Porém olhando bem, naquele instante, pareceu que a grama do seu irmão era mais verde. E ele não gostou disso!

"O pai, porém, disse ao seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, vesti-o, pondo-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés; trazei também e matai um novilho cevado. Comamos e nos regozijemo-nos..." Lucas 15.22-23

Uma sensação de impunidade pairava sobre a vida daquele jovem. E ele não conseguia entender aquele ato de misericórdia. E às vezes eu até o compreendo, pois também sou filho mais velho, e por muitas vezes vejo meu irmão mais novo transgredir e sair impune. E sei que isso não se detém à minha família somente, mas  a tantas outras por aí. Porém além do perdão, muitas vezes ainda 'ele' recebem um afago na cabeça. Isso é de deixar qualquer um totalmente estupefato!

Mas se eu for parar para pensar bem, relembrando tudo, verei que a mesma mão que passou sobre meu irmão, já passou por mim também. Ninguém é santo, ninguém é livre de erros. Somos todos maculados pelo pecado. E sem perceber, somos por muitas vezes ingratos e egoístas, pois somos perdoados igualmente  e constantemente, só que não queremos o pesar da correção de Deus sobre nossas vidas, mas ansiamos em ver isso na vida dos nossos próprios irmão.

"Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio?" Lucas 6.41

A bíblia nos conta a história de Jonas, que tentou furtivamente fugir da presença de Deus, recusando-se a cumprir o seu chamado.

Jonas, o profeta, recebeu a missão de ir pregar em Nínive, a capital da Assíria, uma cidade não judia. E ele não queria fazer isso, pois aquele povo era pagão, e sua fama era conhecida mundialmente pela crueldade e violência. E Jonas, como um bom judeu, gostava da misericórdia de Deus, mas queria que todos os seus inimigos fossem destruídos.

"O ódio causa divisões, mas o amor cobre as falhas." Provérbios 10.12 //A Mensagem

Ele, após pregar e ver todo aquele povo se render a Deus, ainda ansiava que eles fossem destruídos por causa dos seus muitos pecados. Mas Deus, com sua infinita misericórdia, se arrependeu do mal que tinha dito que lhes faria e não fez. (Jn 3.10)

"... e se converterão cada um de seu mal caminho e da violência que há nas suas mãos." Jonas 3.8

Jonas não curtiu a ideia, e ficou totalmente irado com isso, dizendo: "Ah SENHOR! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, e misericordioso, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e que te arrependes do mal. Peço-te, pois, ó Senhor, tira-me a vida, porque melhor me é morrer do que viver." Jonas 4.1-3

Assim como para Jonas, para o irmão do filho pródigo era uma total falta de respeito consigo e com Deus aquele perdão. Para Jonas, era preferível morrer a ver essa patifaria. Para o irmão, era preferível ficar fora de casa a participar daquela festa.

Hoje, talvez olhando por fora de toda essa situação, possamos pensar que os dois tenham pegado muito pesado não é verdade? Porém deixamos passar despercebidos que por muitas vezes, nós tomamos os papeis deles em muitas ocasiões, achando que aquele ou este perdão é imerecido, incorreto e injusto. Que na verdade, o perdão só é merecido para aqueles que estão sempre com Deus, ou com a família. E não para aqueles que estão fora desse 'circulo'.

Só que nos esquecemos totalmente que Deus é além de misericórdia, amor e justiça. E que como Jesus disse em Marcos 2.17, Ele não veio para àqueles que estão com Ele, mas para àqueles que o desconhecem, que estão doentes, que vivem fora desse 'circulo' de amor e perfeição que é Deus.

Aquele povo, e o filho pródigo teriam sua 'punição' pela parte de Deus. Mas para punir, é preciso perdoar. Pois sem o perdão, a punição vira vingança. E Deus não é vingança, mas justiça. Sua correção não é uma forma de arbitrariedade, mas de total amor. Pois quem ama, educa! 

"... não se aborreça com sua correção amorosa. Pois o eterno corrige o seus filhos porque os ama muito; como pai, só quer o bem de seus filhos." Provérbios 3.12 // A Mensagem

Não está a nós contidos dar o veredito dessa 'condenação', pois "Um só é Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e fazer perecer." Tiago 4.12. Como irmãos, devemos abraçar os nossos, e não ter inveja. Pois ele estava morte, e agora está vivo. Esteve perdido, e foi achado.

Não nos esqueçamos, pois, que também somos filhos pródigos, e que temos um Deus, um Pai que nos ama, que espera TODOS os Seus filhos de braços aberto, a fim de nos receber em uma grande festa, uma festa que é dada a todos aqueles que voltam para a Casa do Pai. Àqueles que perdoam, que pedem perdão e são perdoados, que esperam ansiosos voltar para casa, para a eternidade!

"Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu." (Lc 15.31) "... e não ei de ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há mais de cento e vinte mil pessoas...?" (Jn 4.11) "Porque todos estão mortos e agora reviveram, estavam perdidos e foram achados. Regozijamo-nos!" (Lc 15.24) [parafraseada]


Ronnedy Paiva
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário