sábado, 4 de agosto de 2012

A tentação em torno do pecado: a de ser Deus.

Tentação é o movimento interior que nos instiga a fazer o mal[1]. È algo que começa dentro de nós antes de se tornar um fato. Ocorre através de pensamentos, tanto quanto de desejos violentos; desejos que não estão condicionados com a nossa moralidade.

Já o Pecado, é uma maldade, falha moral, transgressão ou desobediência. Este termo se refere a qualquer ação, pensamento ou atitude que não obedeça aos parâmetros estabelecidos por Deus.[2]
E quando falamos sobre a tentação em torno do pecado, o que podemos pensar então? Tão certo que tentação é movimento interior e o pecado é aquilo que de fato faz nós desobedecermos aos parâmetros estabelecidos por Deus.

A mais antiga tentação vem lá do Jardim do Éder, em Genesis. No principio da vida humana, ocorreu a mais antiga tentação, a de ser Deus. Essa tentação é a mesma tentação na qual Satanás caiu como um raio diante de Deus.

“Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!
E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.
Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.
E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo” 
                                                                                              Isaías 14:12-15

Tentar ser Deus não se limita a querer ter e ser como o Altíssimo, ela vai mais além disso. Quando deixamos de obedecer a Deus e caindo em pecado, deixando de consultar a Deus e com o nosso orgulho, achamos o que é certo aos nossos olhos, estamos tentando ser Deus. A vontade de Deus deve sempre falar mais alto, a obediência a sua Palavra e a ação do Espírito Santo que habita dentro de nós.

Quando mais obedecemos mais conseguimos a maior característica que podemos ter com Deus, o reconhecimento de sermos pessoas segundo o coração do Pai. Esse é o propósito em que devemos buscar, nos  entregar e não o ato de desobedecermos a Deus.

A Obediência nos aproxima daquilo que Deus tem para nós, nos aproxima da semelhança de Filhos de Deus. A manifestação da glória do Pai começa a resplandecer na sua vida, quando obedecemos a Deus deixando Ele resolver tudo, já que Ele é o “GRANDE EU SOU”. (Êxodo 3:14ª)



[1] Dicionário Aurélio
[2] A História

Rennan Reichardt
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário