quinta-feira, 2 de agosto de 2012

A prosperidade é para todos?

“No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem! 
Eu venci o mundo.”
João 16.33

As provações pelas quais passamos ou vamos passar são em sua maior parte consequências de estarmos vivendo num mundo dominado pelo inimigo. Sobre este assunto, o Senhor deixa registrado as seguintes palavras:

“Sabemos que somos de Deus, 
e que todo o mundo está no maligno.” 
1 João 5:19

Vivemos numa terra que não nos pertence, na verdade, estamos de passagem e ainda temos um fator que nos “complica” mais ainda: somos inimigos eternos do seu dominador. O que esperar de bom em tal situação? Nada!

São totalmente compreensíveis as dificuldades as quais o povo eleito está sujeito. Mas, mesmo em meio a esta longa guerra, que dura toda uma existência, somos capacitados continuamente pelo Eterno, para ficarmos em pé, imbatíveis.

“Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores,
 por aquele que nos amou.
Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, 
nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, 
nem o presente, nem o porvir,
Nem a altura, nem a profundidade, 
nem alguma outra criatura poderá
nos separar do amor de Deus, 
que está em Cristo Jesus nosso Senhor. “
Romanos 8:37-39

Nesse texto de Romanos, o Senhor nos assegura que estamos protegidos em relação aos ataques espirituais. Não há nada que possa destruir nossa comunhão com Ele.

Por outro lado, mesmo que a nossa comunhão com o Senhor seja perfeita, não estaremos isentos das provações e das muitas dificuldades que surgirão na caminhada.

Em sentido contrário às palavras do Senhor, encontramos diversas igrejas e ministérios, prometendo os céus aqui na terra; vendendo a ideia de uma vida repleta de sucessos e vitórias constantes nos empreendimentos terrenos e declaram para todos que o Senhor é obrigado a honrar estes ensinamentos que procedem do coração de homens.

É certo que o Senhor abençoa materialmente e cobre de honras a muitos, por serem fieis e santos na caminhada. No entanto, não podemos declarar que isto seja regra. Vejamos um exemplo:

O apóstolo Paulo foi um homem fiel, que viveu em santidade e justiça. Mas esta condição de vida, não lhe fez rico e bem sucedido materialmente. Na verdade, sua vida material foi um desastre total, pode-se afirmar que foi um homem extremamente mal sucedido.
Para alguns, a situação vivida pelo apóstolo seria evidência de pecado e falta de fidelidade ao Mestre. Os sofrimentos e inúmeras dificuldades são uma permissão do Senhor!
Paulo era Judeu, filho da Tribo de Benjamim ( Rm 11.1; Fp 3.5). Estudou com Gamaliel e era um Fariseu praticante (At 22.3). Tinha acesso às autoridades de seus dias ( At 22.5) e provavelmente, tinha um bom nível de vida.
Os problemas materiais iniciaram no momento em que conheceu Jesus, ficou cego!
Teve a vida totalmente desestruturada. Se olharmos atentamente, chegaremos a conclusão, que ela tornou-se uma calamidade.
Vejamos algumas dificuldades e sofrimentos com os quais o apóstolo conviveu momentaneamente ou por toda a vida em decorrência da escolha feita: servir a Jesus.

• Cegueira – Atos 9.18,19
• Açoites/Prisões – Atos 16.23
• Apedrejado – Atos 14.19
• Naufrágio – Atos 27.39-44
• Situações perigosas – Atos 9.23
• Picado por uma cobra – Atos 28.5
• Escarnecido / Zombado – Atos 17.32
• Espancado/Acorrentado – Atos 21.32-33
• Jurado de Morte / Perseguições – Atos 23.12,13
• Acusações diversas – Atos 24.5
• Julgado – Atos 26.6
• Espinho na carne – 2 Coríntios 12.7

Segundo algumas doutrinas atuais, Paulo não se enquadraria como um homem vitorioso. Ele não obteve prosperidade em sua vida, pelo contrário, foi pontilhada por dificuldades terríveis.

O apóstolo não tinha os seus olhos voltados para a terra, na verdade, era plenamente consciente de que não teria paz, deixando isto registrado em suas epístolas. Tomou posse da palavra que dá vida e conservou sua fé baseada em afirmações, como por exemplo:

"Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores 
adorarão o Pai em espírito e em verdade;
 porque o Pai procura a tais que assim o adorem.
Deus é Espírito, e importa que os que o adoram 
o adorem em espírito e em verdade." 
João 4:23-24

Era nesta realidade que Paulo colocava sua visão e fé. A única preocupação era obedecer exclusivamente a Deus e honrá-Lo. Não se importava com a idéia de possuir riquezas materiais em troca de sua fidelidade.

Você que tem passado por dificuldades ou não está entendendo porque aquele seu amigo que não é cristão esta se dando melhor que você, saiba que isso é previsto para a vida de um verdadeiro servo de Deus.
As dificuldades e provações têm duas origens principais:
Primeira: Procede do maligno, a fim de destruir os servos.
Segunda: Provém do próprio Senhor.

É certo que o Senhor honra a muitos com uma vida próspera e cheia de bens, no entanto, não devemos olhar a vida destes e exigir que a nossa seja semelhante. Com certeza muitos viverão uma vida modesta e na pobreza.

Os que permanecem fiéis, são coroados com promessas, como:

Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, 
nem a sua semente a mendigar o pão. 
Salmos 37:25

Não vos assemelheis, pois, a eles; 
porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, 
antes de vós lho pedirdes. 
Mateus 6:8

Devemos viver completamente dependentes do Senhor, sem maiores preocupações com os bens materiais. Preocupados sim, em serem santos e puros, para servi-lo integralmente, com todas as forças.

Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, 
e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, 
e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. 
Marcos 12:30


Este deve ser o nosso objetivo primordial: sermos ricos, riquíssimos espiritualmente e estarmos contentes com as demais coisas. É tempo de adorarmos o Senhor em Espírito e em verdade!


Carol Cruz
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário