terça-feira, 10 de julho de 2012

"Menos fala, mais confiança" - Jesus


            Não sei se gosto de pensar em Deus. De verdade. Conversando com alguém por esses tempos cheguei a conclusão. Também não se gosto de analisar aspectos corriqueiros de dentro de uma Igreja.

            Pensar sobre Deus não se trata de algo muito legal, pois se limita o ilimitável, entende? Você corre atrás de respostas, argumentos, textos, base, direção, posição, teologia, visão, pensamentos, que por mais reais, convictos, bíblicos e ‘corretos’ em sua opinião, não expressarão a grandeza de Deus.

            Acredito que era esse o aspecto defendido por Kant, quando disse: “De Deus não se pensa, nem se fala”.

            A segunda afirmativa, de análise corriqueira da vida de uma igreja, também não é um aspecto muito bom de debate. Lembro-me de quando recém convertido, e completamente mergulhado no primeiro amor de Deus, pensava sobre como o olhar tem-se voltado para a Igreja e não para Cristo. Lembro-me que achava desnecessário, como o é, algum tipo de análise ou identificação de problemas que não resulte em oração.

            Uma das verdades mais esquecidas, principalmente com as novas gerações que vem se renovando, é o ato de pensar antes de falar, não o acontece. De certa forma, o maior dos pecadores nessa área, é quem vos escreve esse texto.
           
            É uma junção, de perceber a falta de ‘justiça’ ou coerência numa forma particular de pensar, e criticá-la por isso.

            Agora pense comigo, pode o ‘dedão do pé’, virar e dizer à ‘cabeça’ que o ‘braço direito’ não atende as necessidades do corpo de forma plena? (1 Coríntios 12)

            E nós, podemos dizer que algo, ou alguém está equivocado quanto as suas reais obrigações dentro da igreja, diante de Deus? Orar para que Cristo ‘mude’ algo que nunca saiu do controle Dele?

            A questão não é desleixo, falta de oração por sua comunidade de fé ou orações por outras que não ‘estão’ pregando a Cristo corretamente.


            Como Paulo, o apóstolo, disse: “Aqueles pregam a Cristo por ambição egoísta, sem sinceridade, pensando que me podem causar sofrimento enquanto estou preso. Mas, que importa? O importante é que de qualquer forma, seja por motivos falsos ou verdadeiros, Cristo está sendo pregado, e por isso me alegro” (Filipenses 1:17-18).


E mais um, “Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos. Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros. Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai  (Filipenses 2:3-11).


Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês” (1 Pedro 5:7).




Que Deus te abençoe, 
que você seja cheio do Espírito Santo.

Mateus Machado
Colunista

2 comentários:

  1. Que lindo! Que Cristo te cubra com o sangue Dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, que Deus nos abençoe né não? :) hahaha Abraço mano.

      Excluir