segunda-feira, 9 de julho de 2012

Cura interior

Lembro-me de certa vez em um ensaio de teatro em que participava uma pergunta que nos foi lançada: "O que vocês esperam do ministério?". Na verdade não me lembro bem da pergunta, apenas de uma resposta: "Que as pessoas perguntem umas as outras como foi a sua semana, ou como estão, como uma família mesmo."


"Como está a sua vida? Você está bem? Está realmente bem?". Você queria ouvir isso de alguma pessoa? Seus coração está dolorido e em busca de uma alma caridosa que se ponha ao seu lado para que você possa partilhar desse momento de angustia e talvez ouvir um "estarei orando por você", ou "tamo junto"?

E você, tem se disposto a ouvir as mais sórdidas confissões humanas sem colocar o seu "achismo" em pauta? Simplesmente ouvindo o seu irmão e dando um apoio? Tentando sanar as duvidas, guiado pelo Espirito Santo de Deus e não pela sua pseudo-intelectualidade, gerando assim uma cura interior?

Uma cura interior tão clara em "O Homem de la Mancha" que seria impossível não contar.

Trata-se da história de Aldonsa e Dom Quixote... Aldonsa, um prostituta abandonada pela mãe após uma gravidez indesejável encontra Dom Quixote. Um cavaleiro que vê atrás de um mulher de vários homens, uma dama, chamando-a inclusive pelo seu nome latino, Dulcineia, que significa "minha pequena doçura".

Dom Quixote se apaixona pela bela donzela, a qual diz que "a reflexão racional só pode exaltar, não comparar" a sua beleza. E então começa uma árdua batalha de restauração da verdadeira Dulcineia... Uma cura interior.

Aldonsa já não tem mais esperança em si mesma, e em um ato de loucura e fúria xinga Dom Quixote, em uma tentativa inútil de tentar afasta-lo, declarando "não passo de uma prostituta". Mas Dom Quixote, Jesus Cristo, começa a se apresentar diante dos olhos dela dizendo: 

"O passado já se foi e não mais existe. Todos tropeçamos a caminho da maturidade. Todos procuramos o amor nos braços errados, a felicidade nos lugares errados. Mais em meio a tudo isso você tornou-se real. Você tem um caminho de compaixão imensa pelo dilaceramento dos outros. Você é totalmente incapaz de hipocrisia, e eu estou profundamente apaixonado por você."

 E Aldonsa diz: "Deste dia em diante meu nome não é mais Aldonsa. Eu sou Dulcineia".


"Assim que, se alguém está em Cristo, nova Criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." 2 Coríntios 5.17

Mas em uma trágica ironia da vida, Dom Quixote adoece, e fica em semicoma. E Aldonsa, agora Dulcineia, ajoelha-se ao lado de sua cama e fala com ele. Uma cura interior começa a instaurar-se em Dom Quixote. Um cavaleiro cansado, exausto por ter amado demais começa a ser restaurado pelas palavras de sua amada.

Ela ficou ao seu lado ansiando ouvir a sua voz, implorando que ele acordasse, para novamente dizer: "Dulcineia". E as palavras dela, como também sua voz, fizeram ressurgir o velho cavaleiro. E ele caí da cama, renascido, renovado, curado. Nasce outra vez pelo toque amoroso de afirmação de Dulcineia.


Jesus não vê o 'eu' pecador, injusto. O 'eu' egoísta e charlatão. Ele vê a Sua criação. Um coração contrito em busca da cura. Uma criança que parou de crescer pela falta de alguém crendo nela. Ele vê nosso interior. E se estivermos dispostos a nos abrimos, Ele entrará em nossa vida, fará morada em nós, e restaurará aquilo que outrora estava tombado, dando vigor ao fraco, e ânimo ao abatido. Curando!

Será que após sermos tocados por Jesus, conseguiremos continuar os mesmos? A pergunta não é se podemos curar. A pergunta, a única, é: deixaremos que o poder curador de Jesus ressurreto flua por intermédio de nós para alcançarmos e tocarmos outras pessoas, de modo que elas possam sonhar, e lutar, e resistir, correndo para onde nem os corajosos ousam ir?

"Como o ferro afia o ferro, um amigo afia o outro." Provérbios 27.17 //A Mensagem

Não se feche as pessoas. Ouça, e por intermédio do Espirito Santo que trabalha em nós, use suas palavras para dar ânimo, para reestruturar o abatido, para mostrar que antes você também estava na mesma situação, mas que existe alguém que vê muito além das falhas humanas, e que está disposto a perdoar e sarar quem estiver disposto a recebe-Lo. 

Um simples "estou aqui, pode falar", pode salvar uma vida. 


Post baseado no capitulo "cura" do livro "O anseio furioso de Deus"



Ronnedy Paiva
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário