terça-feira, 19 de junho de 2012

-"Que o jogo comece..."


            Já teve a sensação de um fim. Sensação de que tudo que lhe fosse proposto para vida, já passara. A sensação de que um fim pode se achegar, um resultado de plantio pode chegar, seja esse positivo ou negativo.
           
            Acredito que esse sentimento seja normal. O estado de alma abatida, a vontade de se esquivar dos problemas, ter uma ‘nova história’, um ‘novo tempo’, um ‘novo caminho’.

Deve-se sim buscar a felicidade e o bem estar, não à qualquer custo, mas uma busca consciente e progressiva em direção e sob a companhia da determinação com alvo pré determinado.



A questão agora, não está mais fundamentada no saber ou não de onde se chegar, ou para onde ir, a questão é muito mais a motivação. Motivos certos te levam por caminhos certos, a objetivos certos, com companhias certas e os resultados são certos. Motivos errados, por sua vez, levam por caminhos errados, objetivos errados, e conseqüentemente o resultado será errado.

Veja, o resultado certo ou errado, não é uma avaliação da felicidade que o sujeito obtém, mas o fruto que o seu trabalho dá. Como Ed René Kivitz, “felicidade não é um estado final da vida, mas o caminho para caminhar nesta”, nas minhas palavras, felicidade é a motivação que você tem para acordar de manhã e “dizer bom dia até pro sol” – Projota.

Podem-se ocorrer duas variações dessa motivação, a primeira, a sua perca, e a segunda, sua renovação.


Muitos usam a expressão “primeiro amor” para um novo cristão. Um fogo em seu peito, uma vontade de ser útil, trabalhar, servir, pregar, orar, estar perto de Deus.

Em minha opinião, a não existe um primeiro amor, segundo ou terceiro, existe um único amor, por Cristo Jesus, e ponto final. A diferenciação se dá na padronização que é feita.


Mudança de dependência do Espírito para palavras bem articuladas, com uma teologia que nem mesmo o orador a compreende e a vive. O perdão se torna relativo, e a mudança de atitudes também é sempre comparada com a atitude de terceiros e não tem mais a ver com relacionamento pessoal e íntimo com Deus. Muda-se de agrado a Deus, para como adaptar-se aos homens, pessoas sendo salvas passam a ser lucro, e não a necessidade.

A segunda possível alteração é o não conhecimento de Deus. É uma interdependência, pois só há gente que não conhece a Deus, porque quem O conhece não se preocupa com o necessário, fundamental e indispensável, o conhecimento de Cristo entre todas as nações.

Em suma, missões não é apenas um ministério, é prioridade. Jesus não é uma pregação ultrapassada, é a única pregação de evangelho verdadeiro. O caminho, a verdade e a vida está disponível para todos. Ou seja, a felicidade, motivação ou um motivo para acordar e dizer “bom dia até pro sol”, é Cristo Jesus, nosso Senhor.

"O problema é quando você aprende as 'coisa', mas não põe em prática, morô?" - Projota.



Que Deus te abençoe, que você seja cheio do Espírito Santo.

Mateus Machado
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário