sábado, 2 de junho de 2012

I - GRAÇA COMO JUSTIFICAÇÃO

O tema é GRAÇA. Falar sobre Graça tem um peso grande porque na Bíblia encontramos várias maneira que é referido Graça. Temos uma compreensão do Antigo Testamento e temos também, a do Novo Testamento. Não menosprezando o Antigo Testamento, mais irei focar nosso estudo para o Novo Testamento, especialmente as epistolas paulinas.
Nas epistolas paulinas é encontrado e empregado o termo charis (graça no grego) 100 vezes, onde são apresentados 155 vezes em todo o Novo Testamento.

Charis: Graça; graciosidade, amabilidade; favor; graças; gratidão (Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento).

“Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas;
Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos [e sobre todos] os que crêem; porque não há diferença.

Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;

Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.

Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;

Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.

Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé.

Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei.
É porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios, certamente,
Visto que Deus é um só, que justifica pela fé o circunciso, e por meio da fé o incircunciso.
Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.” 
                                                                                           Romanos 3:21-31


Não houve distinção de pessoa. Todos pecaram e todos careceram da glória de Deus. Isso é tratado com clareza no texto acima, onde, o pecado é definido como “a transgressão da lei”. O caráter de Deus é uma expressão a Sua lei e por isso, refere-se o texto ao pecado sem lei (v. 21) onde não há exceção de pessoas (v.23).

O eixo do texto é encontrado no versículo 24 que quando é tratado “justificados gratuitamente por sua graça” é declarado através da fé em Cristo Jesus, que o pecador que confia em Cristo recebe o dom divino da justiça, ou seja, graça como perdão pelo juiz divino e atribuindo ao pecador, a justiça de Cristo. O ser humano pecador é justificado mediante a graça de Deus, como dádiva por meio da redenção que há em Cristo Jesus (v. 24).

O Amor do Pai que mediante Jesus Cristo purificou, lavou, a alma da humanidade e nos torna justos aos Teus olhos, sendo um ato livre da parte de Deus e acolhido por todos nós pela fé (v. 28).

Olha o tamanho a grandeza de Deus e de sua misericórdia! Ele nos purifica, “a quem Deus propôs no seu sangue” (v. 25a); Ele nos perdoa, “deixando impunes os pecados anteriormente cometidos” (v. 25d)  e nos salva através da Sua Graça, pois, “para ele mesmo ser justo e o justificado daquele que tem fé em Jesus” (v. 26); ele pode me declarar justo por confia em Cristo e perdoador dos meus pecados. Deus é sem dúvida, MAIS QUE PALAVRAS!

Quero deixar para você essa canção e quero chamar a sua atenção para a letra dessa canção: Grace – Michael W. Smith.




            Que Deus continue te abençoando...


                                                                                                                                          
Rennan Reichardt
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário