quinta-feira, 3 de maio de 2012

"- Pensando bem?! Vai dar merda!"



No fundo, no fundo todos sabem. A grande probabilidade, a maior chance, a maioria, tudo. Tudo encaminha para ela, a decepção ou para os problemas.

Não sei se não me entrego por medo de não dar certo, ou, se por nunca ter dado certo, já não consigo me arriscar. Confiar em Deus, aproveitar as oportunidades, experimentar um certo 'carpe diem' gospel, tendo a certeza de que nada foge dos planos de Seus planos. Não é tão atraente e legal quanto colher frutos de um treinamento, por exemplo, mas até legal confiar em Deus de vez em quando.

Confesso que luto por resultados. Sério, penso neles, oro por eles e obviamente me planejo e preparo para eles. Tenho vontade de um dia me surpreender com o quão positivo o resultado de um trabalho tão grande de preparação, logo as conseqüências devem adequar-se ao preparo.

Vejo-me, consequentemente, na mesma situação de Jonas, o profeta. Deus pede algo para ser feito, que existem tantas outras pessoas tão preparadas, senão mais do que ele (eu ou você) para realizar. Então:

- Pensamento? - 'Eu sei que vai dar merda'.

- Minha vontade? - 'Fazer muito mais do que me foi pedido ou proposto'.

- Minha atitude? - 'Esperar que outro faça'.



Não me condeno. Não te condeno. Somos  iguais. Temos o mesmo chamado, e a mesma função, o chamado a servir, com a função de amantes  (pessoas que amem à todo o custo e à  todas as pessoas).

Mas somos uma mistura de um passado frustrado e magoado e um futuro temeroso.

- O presente? 'É ansiedade'.

Ansiedade que não tem função positiva. Apenas existe, tira a paz, impede a entrega. Ansiedade que tapa meus olhos para Deus, e os abre as dificuldades. Ansiedade que fecha meu coração. Ansiedade que não permite crescimento. Ansiedade que gera morte.

- Uma solução? 'Oração'

Veja, a oração não é solução nela mesma. A solução através da mesma, se dá, pelo fato de ter alguém que nos ouve. Não pela minha atitude de orar. Mas a atitude de quem escolhe nos ouvir, e eu creio, que nos atende.

- Um pedido? 'Fé'

Fé do tamanho da nossa coragem de confiar à Deus todas as áreas da nossa vida, e em todas as circunstâncias dela. Uma fé do tamanho do grão de mostarda.

- E depois?



Talvez, depois de tudo, quando estivermos contra o mar, ele se abrirá. Quando estivermos dentro do mar, andares sobre as águas. Talvez curaremos alguns enfermos e libertaremos cativos. Ou talvez, como Jonas, salvaremos a vida de várias pessoas. Uma cidade, um estado, uma nação, um mundo. Talvez a gente consiga dar sentido a vida de várias pessoas que vagam por aí sem entender para onde vão. Se é que estão indo para algum lugar.



Acredito que a decisão é sua, aceitar o chamado da missão, ou achar que tudo isso vai dar merda.

Quero correr o risco, vamo aí?

Que Deus te abençoe,
Que você seja cheio do Espírito Santo

Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário