terça-feira, 27 de março de 2012

Vai valer a pena?


Às vezes eu penso em ser mais impulsivo.

É, viver como se não tivesse amanhã. Aproveitar o último minuto com as pessoas que me fazem bem, nos últimos momentos diários em que estou com elas. Saber aprender a valorizar mais a vida pelos momentos simples. Olhar para um mendigo e conseguir esperar nele um futuro grande homem. Olhar para um recém nascido e entender que ele mal sabe do mundo mal em que está entrando.

Acho que preciso mais de Deus. Um pouco mais de oração, mais de palavra. Mais do que vale a pena de verdade. Entende a sensação de vazio mesmo quando você faz as coisas que deveriam te completar? Que você espera que elas te completem?

Sei lá, acho que a minha esperança está no lugar errado. Ou está no lugar certo, e era essa sensação de angústia que Paulo relatava (2 Coríntios 12:8-9), uma busca por algo que o aliviasse, na certeza de que nada era pra ele, e tudo era pra Deus.

Esperar uma resposta é complicado. Ouvir parece tão difícil. São milhares de coisas, compromissos, imprevistos, previstos, correria, mais atividades, ativismo, fanatismo, Jesus Cristo. Tudo parece pesar. A graça parece ser julgo. O julgo, fardo. E o fardo está pesado.

Não sei se caminho olhando para o alvo que é Cristo, cumprindo a carreira que me foi proposta. Ou sei lá, acho que muito de bíblia atrapalha na compreensão de Deus. Jesus agradeceu ao Pai por não revelar seus mistérios aos grandes, mas aos pequeninos. E ae, o que fazer?

Caminhar, crescer, continuar, lutar, evangelizar, acontecer. Ou parar, repensar, olhar para trás e ponderar benefícios a malefícios. Lembrar de quem é digno de Cristo (não olhar para trás) e ter sempre no coração o desejo de anunciar para todos, mendigos, velhos, velhas, crianças, adultos, drogados, alcoólatras, loucos, de que Deus os ama incondicionalmente.

Dizer: “Eis me aqui, envia-me a mim”, ou: “Pai! se possível afasta de mim esse cálice”. Ter como prazer Jesus Cristo vivendo a sua vida. Ou deixar Jesus Cristo de lado um pouquinho para viver um pouco de prazer na vida.

Como o Apóstolo Paulo disse, não me preocupo com esse corpo carnal, esse passa. Preocupo-me se, em primeiro lugar, terei um corpo espiritual e se é ele que importa mesmo.

Mario Quintana, disse que “A resposta certa, não importa nada; o essencial é que as perguntas estejam certas”. Como cristão, posso afirmar duas coisas somente, a primeira é que não vivemos de respostas, vivemos de Deus. E a segunda certeza que tenho é que existe um Senhor. E esse, só pode ser Jesus Cristo. Por meio dele que vivemos, não segundo leis e teologias, mas segundo o seu espírito que habita em nós.

Que Deus abençoe você. Seja cheio do Espírito Santo, e uma boa semana. E não se esqueça se há algum valor em nós, é o E. Santo. 

Texto em homenagem.

Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário