terça-feira, 20 de março de 2012

Só mais um Espírito?




            Acredito que dentro de cada ser humano há uma vontade de ser deus. Sim, acredito que grande parte dos problemas, dificuldades, pendências, crises e qualquer outra palavra referentes as frustrações humanas têm relação com isso. Vontades e vontades.

            Um querendo ser deus, para não depender de mais ninguém. Outro querendo se relacionar com os homens para que eles creiam na satisfação de uma única necessária dependência. É antagônico, surreal. O homem quer ver-se livre de todo tipo de auxílio exterior para alimentar o seu orgulho. Enquanto Deus se esvazia de sua glória para reconciliar-se com os homens.

            Na moral, Deus deita.


            Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão,temperança. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito. Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros”. Gálatas 5:16-26
           
            Em primeiro lugar, existe dentro de nós a vontade ser parecido com Deus, sem precisar de Deus. Mahatma Ghandi disse que o cristianismo seria perfeito se não fossem os cristãos. Embora um tanto quanto dura, essa afirmação não deixa de ser verdadeira. Jesus Cristo existiu, é um fato. Pessoas em seu nome realizaram grandes prodígios, alguns deles até confirmados pela ciência (quesito para beatificação dos santos), entretanto, há algo de errado. A vontade de imitar o seu salvador e referencial, já não existe. Não existe um referencial suficientemente convincente entre o cristianismo primitivo e o atual. A vontade de estar aproximando-se dia a dia de Deus através da intercessão do seu espírito, é esquecida pela vontade de estabelecer e transmitir confiança, superioridade e auto-afirmação. Vontades da carne. As conseqüências estão logo ali a cima.

            Em segundo lugar, as suas atitudes esclarecem o que enche sua vida. A sociedade atual é a “melhor do melhor do mundo” em tentar enganar a si mesma. Palavras que são vazias. Pensamentos que não são reais. Ideologias que nem mesmo existiram e muitas vezes nem são compatíveis com o seu modo de pensar, são defendidos. É uma espécie de “da boca pra fora”, com um “falta de entendimento de significado”.  Falar que é cristão é legal. Falar de Espírito Santo é legal. É romântico, é interessante, polêmico. Agora viver, presenciar, conhecer e experimentar uma vida na dependência e direção das coisas que pronunciamos já não é tão legal. As atitudes comprovam o discurso. A Igreja primitiva tinha consigo o desejo de fazer real o testemunho, para não escandalizar ninguém, para que os inimigos não tenham o que falar. Esse texto nos ensina que as atitudes vencem a hipocrisia. A fala deve ser condizente com o orador. O discurso com a vida de quem o faz. Para citar San Agostinho: “evangelize, se necessário use palavras”.

            E em terceiro lugar, o Espírito é tudo. Jesus disse: de que vale o homem ganhar o mundo todo e perder a sua alma? Paulo: a lei mata, mas o espírito vivifica. Gênesis diz: Deus soprou-lhes o espírito (algumas traduções trazem como fôlego) de vida. Não importa. O Espírito Santo é a nossa vida. A compreensão disso não está ligada a visão doutrinária ou teológica. Dependência do Espírito Santo é compreensão da verdadeira vida. A entrega de si mesmo numa cruz como Jesus o fez para que seja cheio dEle. Para encerrar, o apóstolo João disse: que o espírito traz a verdade e testifica da verdade.


Que você seja cheio do Espírito Santo!

Que Deus te abençoe

Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário