quarta-feira, 28 de março de 2012

Não envie, vá - Missão Caiuá/MS

Nesse final de semana (24/3 e 25/3) eu, o Ronnedy Paiva e alguns irmãos da nossa igreja estivemos em uma viagem missionária no Mato Grosso do Sul (Dourados), e eu gostaria de compartilhar como foram  esses momentos pra mim.   

Na primeira tribo já tivemos um choque de realidade, a maioria dos índios não possuía calçado, o “bebedouro” era um balde com uma caneca suja de barro, muitos não tinham bíblia, mas eles não se importam... Pra eles o que basta é estar na presença de Deus. Na hora de dar as doações ficamos quase sem o que fazer, eles se amontoaram em volta da gente, querendo receber nem que fosse uma camiseta, uma calça, uma saia. As crianças não se importavam que brinquedo estivesse quebrado, rasgado, faltando peça, eles só queriam algo com o que brincar.

Na aldeia que fomos sábado a noite a situação já era melhor, eles possuíam instrumentos musicais e microfones. Mas quando você acha que foi pra ajudar e ministrar para eles, eles é quem te ministram. Durante o louvor eles começam a cantar Agnus Dei e a igreja foi tomada pela unção de Deus que era praticamente palpável.

E na ultima aldeia que fomos ao domingo pela manha, fomos alertados antes de irmos que eles eram uma tribo mais fechada, pois um pastor que havia ido lá tentou exortar o cacique da tribo, e por isso eles estavam “fechados” para o evangelho. Quando chegamos, a surpresa: fomos realmente bem recebidos.  Fizemos um teatro (ladrão da alegria) e fomos ministrados sobre o tamanho do amor de Deus por nós. No final distribuímos bijuterias, roupas e pães. Conversamos e brincamos muito com as crianças e partimos.  

Primeiramente, diante de tudo isso, pude ver o quanto tenho que agradecer a Deus por tudo que tenho, pois acredito que não só eu mas muitos de nós ficamos bravos porque nossos pais não nos dão um sapato novo, uma roupa nova e esquecemos que muita gente não tem escolha, e usam aquilo que ganham.

Em Segundo lugar percebi que não importam as circunstancias, o que importa é que eu tenho um Deus que me ama apesar de todos meus pecados, erros, falhas, minha condição financeira, eu tenho um Deus que me ama apesar de TUDO ! E foi por isso que Ele soprou seu fôlego de vida em mim e foi por esse amor que Ele deu seu único filho por mim.

E pra finalizar um testemunho: eu não tinha ideia do que fazer no vestibular, até estava estudando pra prestar geografia na UEL, mas algo ainda me incomodava quanto a que curso prestar. E quando tocou Agnus Dei eu tive a certeza e como se já não bastasse ouvi claramente eu meu ouvido: TEOLOGIA, pensei: mas Deus não quero pregar na igreja, e a voz mais uma vez: VOCE NASCEU PRA MISSOES.  

Com tudo isso, se eu pudesse resumir esse fim de semana em um versículo, ele seria Provérbios 16.3: Confia ao Senhor as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos.

Nandejara tanderovasa!  (Deus abençoe em Guarani)



Carol Cruz
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário