quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Perdoe!

Dias atrás estava refletindo na historia de José, um homem muito abençoado por Deus, amado pelo seu pai e odiado pelos seus irmãos. Lendo Gênesis 37 você terá noção das bênçãos que Deus tinha para José, e o porquê Jacó amava mais a José do que seus outros onze filhos, e isso geravam mais ciúmes nos irmãos de José.

José era um jovem que não tinha medo de proclamar a palavra de Deus e nem se envergonhava de falar de seus sonhos proféticos.

Os irmãos do José não suportavam mais o convívio com ele e tramaram contra sua vida.

Um dia José foi procurar seus irmãos, a mando de seu pai, e chegando perto eles resolveram matá-lo, porem um de seus irmãos teve piedade e não deixou que isso acontecesse, resolveram então jogá-lo em uma cisterna, sem água, e tirara sua túnica, um presente de jacó a José, eles sujaram esta túnica com sangue de animal, posteriormente diriam a seu pai que José foi atacado por animais. Seus irmãos avistaram mercadores ismaelistas e resolveram vender José como escravo por 20 siclos de prata.

Essa é a história triste de José, o que você faria se fosse ele? Odiaria seus malfeitores e viveria lamentando de sua situação atual?

Pois bem, ele não fez isso, enfrentou sua escravidão com vontade e não desanimou. Anos se passaram e José virou o segundo homem mais importante de Judá, tornou-se o governador.

A terra onde vivia seu pai e seus irmãos passava por épocas ruins e não tinham nem o que comer, eles então foram a Judá procurar ajuda, chegando lá José os reconheceu e por mais incrível que seja ele não os deixou de ajudá-los e mais uma vez provou a todos que tinha a presença de Deus em sua vida, mostrando a todos que rancor e ódio não provem dEle.

Eu particularmente gosto muito da história de José, um homem que jamais deixou de crer em Seu criador e sempre soube que Deus é justo e está conosco nas piores das tribulações.

Você é como José, sempre agradece a Deus pelas suas tribulações e ajuda a quem te fez mal? Reflita sobre suas atitudes!




Filipe Mendonça
Colunista

Nenhum comentário:

Postar um comentário