quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Traga a memória...

O carnaval acabou, mas parece que para muitos cristãos esse é um assunto que vai longe. Muita gente perguntando: "pode?", ou "não pode?". Muitas pessoas criando polêmicas, que vão muito além desses assuntos, e que variam tanto que me deixa estupefato. Gostei dessa palavra. Mas se você está aqui para saber se é correto ou não o 'Carnaval Gospel' -segundo a minha opinião-, eu não responderei.

***
Eu fico de cara com tantas pessoas que vivem para ver o erros dos outros, que se alegram com isso, não elogiam se quer uma vez algo que a igreja produz. É sempre desnecessário o que elas fazem... 

"As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não tem fim."

Sinceramente falando, se eu encontrasse a Cristo hoje (convertesse), e visse a vida desses irmãos, iria falar para Deus: "Deus, se é para eu ficar assim, prefiro voltar para o mundo".

Galera, vamos olhar parar e pensar antes de falar, de reclamar tanto! Nós sabemos que tem igrejas corruptas, que não fazem jus ao nome de Deus, e devemos sim combatê-las. Mas não devemos nos deter apenas a isso. O Evangelho de Cristo é mais do que derrubar falsos testemunhos. É ter comunhão, ajudar o próximo, amar, viver, se alegrar, dar bom testemunho.

Se você quer ser um cristão polêmico, perceba que ser polêmico não é ficar falando de igrejas, carnavais e outros assuntos mais. Ser polêmico é andar na contra mão de tudo, é abraçar um travesti, um mendigo, um "nada" enquanto todos passam reto.

Vamos trazer à memória aquilo que nos dá esperança, vamos buscar fontes que nos animem, vamos combater o ódio com amor, vamos ser LUZ em meio às trevas... Temos que parar de criticar e só falar mal, pois assim, apenas estamos afastando as pessoas da igreja, a onde há crescimento, comunhão, estamos discipulado negativamente as futuras gerações.

Lembremos como era antigamente, como nossos avós cultuam a Deus, em seus templos de madeira e com suas vozes roucas no louvor. Eles não precisavam de muito para ser felizes, só do essencial, a presença de Deus.

Então vamos buscar a presença do Pai, seja em um 'carnaval gospel', em uma igreja televisiva ou em qualquer outro lugar, pois é isso que importa... Estarmos conectado com Ele.

Traga a memória, aquilo que vos da esperança.


Ronnedy Paiva
Colunista

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Amar é um estilo de vida, e Deus é amor - Parte IV


Dá-se nos dias de hoje, na vida das pessoas, em seus ambientes sociais uma desconfiança impregnada no que diz respeito aos seus relacionamentos. Uma necessidade de valorização, demonstração do seu desempenho, das suas conquistas e de suas obras realizadas. Uma angústia dentro de suas almas ansiando serem atendidas e tratadas, de forma especial e única, uma angústia por sentir-se importante, desejado e com seus desejos completamente atendidos, seja por parte de seus familiares e amigos ,ou seja, por parte de Deus.

            Quero porque quero, Deus tem que realizar para eu testemunhar do poder dEle, Ele não é o todo poderoso?

            As pessoas invertem o papel, a graça ou benção que são concedidas incondicionalmente (não mediante a troca) por Deus, são tidas como uma mercadoria algo que tem preço, seja esse de “oração, jejum, santidade” e as praticas que deveriam ser de relacionamento se tornam meios para coisas que não saíram dessa terra.

Oração deixa de ser um momento de refrigério de Deus para você, onde você apresenta as súplicas diante do pai, para se tornar um momento monótono onde só há pedidos e não conversa entre um pai e filho.         

Jejum passa de um período de consagração total a Deus, dependência única e exclusiva dEle, para se tornar um sacrifício para criar no coração de Deus alguma compaixão e fazê-lO abençoar a sua vida.

E a santidade passa de um modo de expressar o nosso Deus no meio de um povo que precisa da real revelação dEle para ser algo religioso, um padrão que você alcança para ter subsídio para criticar outras vidas.

Deus sai de um lugar que é exclusivamente dEle e passa para uma espécie de mercado espiritual, “aqui tudo é bom e barato”, “dia do milagre” e etc.


“Depois disto foi Jesus com os seus discípulos para a terra da Judéia; e estava ali com eles, e batizava. Ora, João batizava também em Enom, junto a Salim, porque havia ali muitas águas; e vinham ali, e eram batizados. Porque ainda João não tinha sido lançado na prisão. Houve então uma questão entre os discípulos de João e os judeus acerca da purificação. E foram ter com João, e disseram-lhe: Rabi, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tu deste testemunho, ei-lo batizando, e todos vão ter com ele. João respondeu, e disse: O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu. Vós mesmos me sois testemunhas de que disse: Eu não sou o Cristo, mas sou enviado adiante dele. Aquele que tem a esposa é o esposo; mas o amigo do esposo, que lhe assiste e o ouve, alegra-se muito com a voz do esposo. Assim, pois, já este meu gozo está cumprido. É necessário que ele cresça e que eu diminua. Aquele que vem de cima é sobre todos; aquele que vem da terra é da terra e fala da terra. Aquele que vem do céu é sobre todos. E aquilo que ele viu e ouviu isso testifica; e ninguém aceita o seu testemunho. Aquele que aceitou o seu testemunho, esse confirmou que Deus é verdadeiro. Porque aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus; pois não lhe dá Deus o Espírito por medida. O Pai ama o Filho, e todas as coisas entregou nas suas mãos. Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”. João 3:22-36

A primeira lição é o material é comparado ao espiritual. “O homem não pode receber coisa alguma se não lhe for dada no céu”. Parem de olhar para as coisas da terra, as coisas que deseja, João Batista está afirmando um dos maiores problemas da igreja cristã moderna: as pessoas não desejam as coisas de Deus, desejam coisas terrenas. Não desejam dons espirituais, desejam bênçãos materiais. Não há dentro dos corações, a ardente expectativa de demonstrar o poder, a soberania, o amor de Deus, há sim, uma expectativa para que Deus abençoe a sua vida e o resto é problema particular de cada um que também crê em Deus. A benção é visível e palpável, desejável aos olhos. Deus não, Deus perde seu lugar nos corações, os sentimentos que outrora eram por um Senhor, agora são pelas coisas que Ele faz. Seu serviço é mais importante que a sua presença. Deus não é importante. 

A segunda lição é a verdadeira consciência de servidão humana e senhorio de Deus. Há um esquecimento da verdadeira identidade de Deus, uma inversão de papéis. Ele é o poderoso, digno de louvor e adoração, o Deus da salvação. Nós... Não somos nada. Devemos dar o verdadeiro louvor e adoração. Ser gatos pela salvação e amá-lO de todo coração e para todo sempre. Por tudo que Ele é em nossa história. A maior benção ou milagre que você poderia sonhar já está consumado. O milagre da salvação envolve um todo, envolve a humanidade. Está disponível a todos, é para ser espalhada por onde passar. Deus ama o homem incondicionalmente, mas Ele não nega a si mesmo e abrirá mão de seus planos para agradar um coração que está longe dEle, um coração que não tem por si só alegria em entrar na presença de seu criador, mas de barganhar com ele necessidades momentâneas, colocando em risco até a própria salvação. O desejo que deveria abundar em nós é a confiança de que Deus nos ama, luta as nossas batalhas, livra de todo mal e está nos esperando para uma vida em plenitude na sua presença. Ele é misericordioso, aleluia!

A terceira lição é convicção nas palavras que dirá. Do mesmo modo que Jesus fala das coisas do alto porque de lá veio, e de lá conhece, nós deveríamos falar da salvação. Deveríamos pregar aos mendigos, prostitutas, viciados, depressivos, a todos que anseiam. Fala com autoridade quem conhece o assunto. Quem conhece a salvação tem no seu peito o desejo e anseio de falar para todos o que conheceu, a fonte de águas vivas e purificadoras. Fala de um Deus de graça, misericórdia e amor, que amou o mundo com infinito amor e todos podem ser tratados por Deus. E não preocupação com o que falar, disse certo autor “a bíblia do não cristão, é a vida do cristão”, e o espírito santo falará no seu lugar.





Meu desejo, é que todos vocês que leram esse texto, tenham vontade de conhecer a salvação. Não digo doutrinas, regras ou padrões humanos para determinados comportamentos. Digo, Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas. Como foco único e para todo sempre de suas atitudes.




Que Deus abençoe vocês.




Mateus Machado
Colunista

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A Essência da Adoração

           A essência da adoração é a rendição. Na civilização competitiva de hoje, somos ensinados e nunca desistir ou ceder – logo não ouvimos falar muito em rendição. Se vencer é tudo, rendição é inconcebível. Preferimos contar sobre vitorias, sucessos, triunfos e conquistas, a falar de complacência, submissão, obediência e rendição. Mas render-se a Deus é a essência da adoração; é uma resposta natural ao maravilhoso amor e à misericórdia de Deus. Nós nos entregamos não por medo ou obrigação, mas por amor, porque Ele nos amou primeiro. 


            Durante os 11 primeiros capítulos do livro de Romanos Paulo explica a respeito da incrível graça de Deus para conosco, ele nos exorta a render nossa vida completamente a Deus em adoração, em Romanos 12 ele diz: Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a Ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus. A verdadeira adoração – agradar a Deus – acontece quando você se entrega totalmente a Ele. A adoração consiste exatamente em oferecer-se a Deus. 



            Mas existem 3 barreiras quem impedem a nossa total rendição a Deus: 
            1° Medo (Posso confiar em Deus?): você não irá se render a Deus, a menos que confie nEle, mas você não tem como confiar nEle até que conheça o melhor. O medo impede que nos rendamos, mas o amor lança fora todo medo. Quanto mais você se der conta do quanto Deus te ama, mais fácil será você se render. Como você pode saber que Deus te ama? Ele dá vários indícios: em Êxodo 24.17 Ele diz que te ama, em Apocalipse 21.23 você nunca sai da vista dEle, em Hebreus 1.3 Ele se preocupa com cada detalhe da sua vida, em João 1.14 Ele te da a capacidade de desfrutar todos os tipos de prazeres, em 1 Crônicas 16.34 Ele tem bons planos para sua vida, em Apocalipse 4.11 Ele te perdoa, em Romanos 3.23 Ele é carinhosamente paciente com você. Deus te ama infinitamente mais do que você pode imaginar. Mas a maior prova desse amor é o sacrifico de Jesus por você. Deus não é um cruel feitor de escravos ou um valentão que usa força bruta para forçá-lo a se submeter. Ele não tenta violar a nossa vontade, mas nos atrai delicadamente para si, de modo que nos ofereçamos a ele voluntariamente.
            2° Orgulho (Admitindo suas limitações): nunca queremos admitir que somos apenas criaturas e que não estamos no controle de coisa nenhuma. Uma das mais antigas tentações é essa: Sereis como Deus (Genesis 3.5). Esse desejo é a causa de tanto estresse em nossas vidas. A vida é uma luta, mas o que algumas pessoas não percebem, é que a nossa verdadeira luta é com Deus. E claro não temos e nunca vamos ter nenhuma chance de ganharmos dEle pois somos humanos! É quando tentamos ser Deus que acabamos mais parecidos com Satanás, o qual quis a mesma coisa. Queremos ter e fazer tudo, e ficamos deprimidos quando isso não acontece. Então, quando percebemos que Deus deu a outros características e coisas que não temos, reagimos com inveja, ciúmes e autopiedade.


            3° Falta de compreensão (O que significa rendição): Render-se a Deus significa se sacrificar, a fim de mudar o que precisa ser mudado para a honra e gloria dEle. A rendição se manifesta claramente na obediência e na confiança. Você não pode chamar Jesus de Senhor, quando se recusa a obedecer. Outro aspecto é que você sabe que se rendeu a Deus quando depende dele para resolver as coisas, em vez de insistir em manipular situações e pessoas. Você larga tudo e deixa Deus trabalhar. 

Para muitas pessoas, o mais difícil é entregar a Deus seu dinheiro. Elas pensam da seguinte maneira: “Quero viver para Deus, mas também preciso ganhar dinheiro para viver comodamente e me aposentar algum dia.” Aposentadoria não é o objetivo da sua vida, esse lugar já esta ocupado por Deus. Aquele eu verdadeiramente se rendeu a Deus diz: “Pai, se esse problema, dor, doença, ou circunstancia para a tua gloria e o cumprimento do teu propósito na minha vida ou na vida de outro alguém, por favor, não o afastes”. Esse nível de maturidade não é tão facilmente alcançado. Jesus, por exemplo, suou sangue de tanta angustia. Render-se é um trabalho árduo. No nosso caso, é uma intensa guerra contra nossa natureza egoísta.
            A benção da rendição: Muitas coisas acontecem quando você se rende totalmente a Deus. Em primeiro lugar, você sente paz: Jó 22:21. Em seguida, você se sente livre: Rm 6.17,18 e em terceiro lugar, você experimenta o poder de Deus na sua vida. Persistentes tentações e grandes problemas podem ser derrotados por Cristo quando estamos entregues a Ele. Pessoas entregues a Deus são exatamente aquelas usadas por Deus. Nada é mais poderoso do que um vida entregue nas mãos de Deus. (Tiago 4.7).


            A melhor forma de viver: Todo mundo, com o tempo, se rende a algo ou alguém. Se não for a Deus, você se renderá às opiniões ou expectativas dos outros, ao dinheiro, ao rancor, ao medo e ao orgulho próprio, luxuria ou ego. Você foi criado exclusivamente para adorar a Deus e, se fracassar nisso, criará outras coisas para as quais entregará sua vida. Stanley Jones disse: “Se você não se rende a Cristo, se rende ao caos!”.

            Render-se a Deus não é a melhor maneira de viver, é a única maneira de viver; nada mais funciona.  E depois você descobre que não pode cumprir os propósitos de Deus em sua vida enquanto estiver enfocando planos pessoais. Se Deus tiver que fazer uma profunda obra em sua vida, Ele vai começar por aqui. Entao entregue tudo a Deus: arrependimentos do passado, os problemas do presente, as ambições do futuro, seus medos,sonhos,fraquezas,costumes,mágoas e traumas. Ponha Jesus na direção da sua vida e tire as mãos do volante. Mas saiba que uma vez que tenha decidido entregar sua vida inteiramente nas mãos de Deus, essa decisão será testada, ou seja, você freqüentemente fará o oposto do que deseja.
Reflita: Que área da minha vida estou evitando entregar nas mãos de Deus?


Carol Cruz
Colunista

domingo, 26 de fevereiro de 2012

#Pastoral - O caminho do perdão

       Como é estreito e cheio de obstáculos o caminho do perdão e da reconciliação. São poucos os que se atrevem trilhá-lo. José entrou pelo caminho do perdão e resolveu percorrê-lo até o fim. Para tanto, precisou administrar em sua mente e coração algumas novas compreensões a respeito de sua história e dos acontecimentos que marcaram sua biografia. Precisou afirmar sua confiança na soberania de Deus, renunciar o rótulo óbvio de vítima dos fatos e assumir compromisso com a celebração do futuro, apesar das memórias tristes do passado. 


      Em primeiro lugar, o perdão é possível somente quando a alma ferida aceita e confessa a verdade da soberania de Deus. Compreende, antes de tudo, que não são as pessoas que decidem nossa vida, mas Deus. Por piores que sejam aqueles que cruzam nosso caminho, e por maldosos ou injustos que sejam, e mesmo que intentem prejudicar-nos, e ainda que consigam, não teriam qualquer poder sobre nós, não fosse a permissão de Deus. Na verdade, mais que permissão: a intenção de Deus em usar tal circunstância para nos abençoar e conduzir em Seus propósitos. José disse aos seus irmãos que não deveriam recriminar-se por terem-no vendido, uma vez que estava convicto de que fora Deus quem o enviara adiante deles para servir de livramento naqueles anos de fome. Estava ciente de sua importância num plano maior, cujos desdobramentos garantiriam a salvação da terra e a existência de um remanescente para a linhagem de Abraão, seu bisavô. Cria na soberania de Deus: “não foram vocês que me mandaram para cá, mas sim o próprio Deus” – afirmou. 


     Em segundo lugar, o perdão é possível somente quando a alma ferida renuncia todo e qualquer rótulo de vítima, por óbvio que pareça. Quem não sentenciaria os irmãos de José como os algozes dessa história? Quem não identificaria José como a vítima de toda essa sordidez? Qualquer um, menos o próprio José. Não via a si mesmo como vítima. Sua confiança na soberania de Deus conduziu-o a uma visão correta de si mesmo: “Deus me tornou ministro do Faraó; fez de mim administrador de todo o palácio e governador de todo o Egito. Voltem depressa a meu pai e digam-lhe: Assim diz o seu filho José: Deus me fez senhor de todo o Egito”. Por outro lado, as verdadeiras vítimas, numa perspectiva de fé, foram os irmãos de José. Não apenas por terem vendido o irmão caçula (e a própria alma), numa atitude movida por inveja e complexos de inferioridade, mas também por terem permanecido aprisionados pela culpa todos aqueles anos: “Certamente estamos sendo punidos pelo que fizemos ao nosso irmão. Vimos como ele estava angustiado, quando nos implorava por sua vida, mas não lhe demos ouvidos. Por isso, nos sobreveio esta angústia”. 


     Em terceiro lugar, o perdão é possível somente quando a alma ferida decide superar as marcas do passado em nome da alegria futura. Toda mágoa remonta o passado. Rancor é passado contínuo, feito presente, interminável. Contamina o presente e sacrifica o futuro, pois monopoliza pensamentos e emoções, enquanto impede que sejam lançadas novas sementes. Quem olha apenas para o passado sofre o presente e renuncia o futuro. Teme o futuro, prevendo-o como repetição, rememoração, reedição infinita do mesmo trauma. E o temor produz o que teme! José tinha marcas profundas em seu passado. Ao mesmo tempo, porém, uma vontade enorme de celebrar o futuro. Sabia que tempo perdido não pode ser recuperado, mas também que não precisa invadir ou comprometer o tempo que resta. Estava decidido a construir nova história, começar do “zero”, desfrutar o melhor de Deus: “contem a meu pai quanta honra me prestam no Egito e tudo o que vocês mesmos testemunharam. E tragam meu pai para cá, depressa”. 


      José percebeu que melhor que terminar de matar sua família em suas lembranças seria ressuscitá-la em seu coração. Fez isso. Depois de convidá-la para morar no Egito, abraçou e beijou todos os seus irmãos, chorando. Até o Faraó, tendo ouvido a respeito do que ocorrera na casa de José, decidiu entrar na festa: ofereceu o melhor do Egito para Jacó e seus filhos. Deus é maravilhoso, fiel e está no controle de tudo. O futuro a Ele pertence! Parabéns, José! Estamos todos felizes por você.


     Trecho do livro “Viver é Uma Arte: a história de José e outras crônicas”, do Pastor Marcelo Gomes, com lançamento marcado para abril de 2012.


Corpo Pastoral 1° Igreja Presbiteriana de Maringá
Pr. Marcelo Gomes

sábado, 25 de fevereiro de 2012

#Post do Leitor - É preciso Certeza ou Fé?

             A certeza é algo que gira em torno do que é material, do que se vive no presente. Fé é algo sobrenatural, sentimento que vem de dentro do nosso ser, é aquilo que acreditamos sem ver, nem saber as vezes do que se trata. O sentimento que a Fé gera em nosso interior é um misto de Alegria, Confiança e Paz, é a absoluta certeza de que Deus esta ali, e que ele vai agir, é algo pessoal, vem do nosso interior, não somente por aquilo que desejamos mas por aquilo que acreditamos e conhecemos de Deus.

Mas a Fé também significa saber esperar, e não apenas no tempo, mas com o coração, porque muitas vezes, acreditamos em algo, esperamos conforme o tempo, mas quando a resposta é "Não", desmoronamos, talvez seja porque não tenhamos tido a "pura Fé" naquilo que Deus nos disse através da sua palavra, mas sim uma certeza de que a resposta seria um "Sim" para aquilo que foi peticionado, enquanto o mais correto e bom seria um simples " Espere" ou um "Não".

            Ter Fé não significa acreditar em algo só porque ouviu alguem dizer que vai dar certo. Ter Fé significa confiar quando dizem que NÃO vai dar certo, é ter certeza do SIM que vem da voz do Senhor!

            Imaginem o povo do Egito, a fé que tinham em Deus, era acima de qualquer ordem dada pelo Faraó, estava além daquilo que o "Rei" poderia ordenar, porque estavam sendo governados pelo verdadeiro Rei, o Rei Jesus, então aquela fé que ardia dentro do coração de cada um naquela multidão foi capaz de abrir o mar. Incrível não!? Aquele povo não saiu da terra do Egito sabendo que o mar se abriria lá na frente, eles apenas confiaram, confiaram firmemente naquilo que não se podia enxergar.

"Moisés pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível"
Hebreus 11:27

           Quantas vezes saímos do "nosso Egito" e por medo, insegurança não conseguimos chegar até a beira do mar para vê-lo se abrir? A fé é a confiança sobre aquilo que não se pode ver e o fruto dessa confiança é a Paz gerada em nosso ser, é a tranquilidade desfrutada pela nossa alma e a calma que preenche o nosso coração.

           A certeza nas palavras ditas por homens, não passam de meras frases, tratando-se de um ser mutável a confiança gerada naquilo que se ouve ou vê é uma mera expectativa, e ter esperança em um ser humano definitivamente torna-se impossível cada dia mais. 



           Ter Fé em Deus é viver a verdade e confiar na concretização dos nossos sonhos, por mais que o mundo diga que não, é viver a plenitude e saber que o "mar" se abrirá lá na frente simplesmente pelo fato de ter existido fé em nosso coração.

"E Jesus lhe disse: Por causa de vossa pouca fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como o grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível".
Mateus 17:20



              Pensas que Deus está de "brincadeira" quando diz que sua Fé remove montanhas? Pois é, ele não está, na verdade ele está pronto para fazer o impossível acontecer nas nossas vidas, esperando apenas que tenhamos Fé na palavra e nos ensinamentos que ele deixou.

             Não há como saber o dia de amanhã, e muito menos saber se vai dar certo ou não, mas se confiarmos no Senhor e nas suas palavras poderemos assim ter certeza de que a vitória estará garantida lá na frente.

              A Fé nos salva, gera vida, faz milagres acontecer, alcança coisas impossíveis e transforma por completo o nosso interior, pois sabemos que em Cristo vivemos pela nossa Fé e não apenas por aquilo que os nossos olhos podem ver.






#Post do Leitor

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Descansar em Deus!

  A nossa cabeça vive cheia de coisas, decisões, pensamentos, ideias, medos. Tanta coisa que já não tem mais espaço. Nos sentimos cheios, inchados, carregados, temos a sensação de que vamos explodir. Queremos gritar, chorar, extravasar, espernear. Queremos nos livrar de tudo isso.


  Eu sei em quem podemos "DERRAMAR" tudo isso. Alguém que vai nos ouvir, vai nos permitir chorar, vai realmente nos ajudar. Podemos despejar tudo isso em Deus, abrir nosso coração e DESCANSAR Nele.

  Por que é tão difícil descansar em Deus?

  Quero ser ensinada a descansar Nele, quero confiar Nele de todo o coração, de forma que não me preocupe  com o dia de amanhã. De forma que ao colocar as "coisas" na MÃO Dele eu não tente pegar de volta, mas deixe que Ele cuide e faça o SEU MELHOR pra mim.

"Confiando em tua proteção
Vou me entregar em tuas mãos
SEI QUE CUIDARÁS DE MIM, SENHOR!
Ensina-me a descansar!"



Marianna Moreno
Outros

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Perdão!

O carnaval acabou. Várias pessoas voltaram para suas casas, para a comodidades dos seus lares e familiares, após terem festados durante longos quatro dias. Mas muito outros infelizmente não conseguiram fazer o mesmo. Nesta época do ano correm muitos acidentes automobilísticos, provocados pela desatenção ou pela combinação "álcool e direção".

Pessoas que eram amadas, que tinham uma vida, que compartilhavam conversas com seus amigos. Histórias interrompidas, e muitas vezes ida sem dizer um "adeus"...  Pessoas boas, mas que as vezes magoaram um ou outro, e no calor da discussão foram ditas palavras que não deveriam ser faladas, mas que agora não podem ser concertadas...

O carnaval é, por ser um feriado, um grande causador de mortes, mas sabemos que todos os dias pessoas morrem, e que eram especiais para muitos. E se elas são especiais, não deixe de demostrar isso a elas, não sejam orgulhosos a ponto de não elogiar uma pessoa que fez algo melhor do que você poderia ter fazer. Não deixe pra amanhã o que você pode fazer hoje. Ame, perdoe, e mostre que vale a pena viver cada segundo ao lado da pessoa que você ama, e não é só dizer "te amo", pois até papagaio diz. Mas demostre esse amor.

Deus te ama, e não há um dia que Ele não mostre isso para você. Pois somos todos pecadores, e não merecíamos estar vivos, mas cá estamos, desfrutando do amor dEle que nos constrange, e que nos mostra que o amor pode curar feridas, e o tempo pode refazer longas amizades, namoros, famílias.

Peça perdão para alguém que te magoou, mesmo que você esteja certo, faça isso, pois pedir desculpas não quer dizer que você esteja errado, mas que você preza mais pela amizade/amor do outro do que seu bobo orgulho.

Que Deus te abençoe!



Ronnedy Paiva
Colunista

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Deus ama os meninos maus.

Meio estranho e assustador o tema de hoje né!? Além de ser contraditório... Deus deveria amar os meninos bons, não os maus. É deveria! Mas Ele não ama somente aqueles que o amam também. O amor dEle é incondicional, é imutável, é imerecido, e é para todos! Mas infelizmente foi construído um muro em que parece que Deus não os ama.

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."

O versículo acima não diz que: "Porque Deus amou os Judeus de tal maneira...", ou, "Porque Deus amou àqueles que o amaram também de tal maneira...". Não! Deus fala que amou o mundo, sem distinção de cor, religião ou qualquer outro esteriótipo -de tal maneira-, que entregou seu Filho para morrer em nosso lugar. 

O amor do Pai não se restringe apenas as pessoas boas, ou que de certa forma, não fizeram atrocidades. Deus ama os brancos, os de cor, os ricos, os pobres e por mais que você não acredite, Deus ama os Judeus, os Pais de Santo, os Maçons, os Budistas, os Evangélicos, os Católicos, e os Ateus. Ele ama não porque cada um tem seu modo de cultua-lo. Mas Deus ama porque somos feitos a sua imagem e semelhança, porque somos seus filhos.

Parece ser meio desnecessário falar sobre isso, pois sabemos que Deus ama a todos... Mas e nós!? Será que ajudaríamos um ateu que após ter "zombado" de um grupo evangélico, estivesse apanhando dos mesmos?

É o que a palavra de Deus nos fala pelo menos. Deveríamos ajuda-lo, ou melhor, devemos ajuda-lo, pois querendo ou não, somos filhos do mesmo Pai. E pense comigo: Qual é a melhor forma de falar do amor dEle senão o ajudando, compreendendo, o amando?

"Conheceremos o amor nisto: que ele deu a vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos."


Sabemos que Deus ama os meninos bons, e os meninos maus também, e o que recebemos dEle, não vem através de nossas "bem feitorias", mas pela graça, que é de graça, e que é dada a nós pelo Seu infinito amor. Mesmo nós não merecendo!

"Os olhos do SENHOR estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons"

Deus ama a todos, e Ele quer que façamos isso também. Aceitando, compreendendo, amando, discipulando, perdoando os nossos irmãos, independentemente de qualquer coisa... Não rejeite as pessoas, pois Deus não rejeita você. De uma chance, perdoe, ensine, ame!

Deus te abençoe!


Ronnedy Paiva
Colunista

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Nada se compara.

"Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação" 

Batalhas, contendas, brigas, quem nunca as enfrentou? Quem nunca ouviu a expressão: "Tenho que matar um leão por dia"? É, talvez Daniel não soubesse deste ditado, e não matou os leões na cova em que estava, mas apenas confiou em Deus, e sua 'leve e momentânea tribulação' acabou, e de forma inesperada. Pois ele não foi devorado pelos famintos leões que ali estavam.

Cena do filme "O livro de Eli".

Paulo nos fala em 2 Coríntios que nada se compara com o que ainda está por vir, que nenhum deserto é maior que a promessa... Você pode não estar vendo o outro lado da margem do rio, mas Deus é poderoso, e já abriu uma vez mar para o seu povo, e já fez um homem caminhar sobre ele, e saiba, mesmo que você não veja, Ele pode ver o outro lado do rio...

Mesmo passando tribulações que pareciam não ter fim, continuou firme, e Deus o honrou. Assim como Noé, que durante anos ficou construindo uma arca que, a priori era uma piada, mas foi essa "piada" que salvou ele e a sua família do grande diluvio, que dizimou toda a terra.

E ainda teve tantos outros que passaram por tribulações, mas que o que estava por vir, superou tudo... E Deus quer isso para nós também. E Ele nos mostra através da vida destes homens que é possível sim. Que como eles, somos feitos de carne e osso, e temos o Consolador do nosso lado, que sussurra em nosso ouvido: "De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei." (Hb 13:5b)

"Pode até chover, e eu não ver o sol, mas além das nuvens, eu sei que ele está."

Por mais mais que você não veja solução, confie, pois sobre a cabeça de todos nós há uma promessa, e nenhum deserto, nenhum trauma ou qualquer outra coisa pode se comparar ao que está por vir.

Não fique com medo, não pare no meio do meio caminho, creia, confie, e veja que o deserto é lugar para crescimento, é o lugar onde nos preparamos para receber o melhor de Deus, e é lugar de adoração.

"Fortalecei as mãos frouxas e firmai os joelhos vacilantes.
Dizei aos desalentados de coração: Sede fortes, não temais. Eis o vosso Deus. A vingança vem, a retribuição de Deus; ele vem e nos salvará."


Ronnedy Paiva
Colunista

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Misericórdia

Em um conversa com amigos eu comecei a refletir e ver o quão Deus é misericordioso. Nós somos tão pecadores que por si só seriamos consumidos pelo inimigo e suas armadilhas.

Deus pensou em nós mandou seu FILHO para que morresse por nós, e seu sangue seria uma marca que Ele tem misericórdia de nós e nos perdoa a cada dia, e podemos viver e proclamar a bondade divina.

Comecei a pesquisar algumas coisas sobre fidelidade e achei essa passagem:

“As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade.” 
Lamentações 3:22-23

Creio que Deus quis nos dizer que Ele sempre vai nos perdoar, sempre vai mostrar que nos ama, pois um pai que ama seu filho, corrige mais não abandona sua cria, e Deus é assim conosco. Ele não quer deixar você só, e sim quer criar uma intimidade com você que de tal forma voce não cometa mais alguns pecados.

Ele sempre perdoa, mais quando o arrependimento é verdadeiro e de coração e não apenas um sentimento de remorcio, Deus é fiel e vai cumprir as promessas que Ele fez em sua vida, basta apenas voce deixar isso acontecer o mais rápido possível ou deixar acontecer no futuro, onde poderás desisviar seu caminho e sofrer nas mãos do inimigo.

Indico a visualização deste video. tremendo!



#ESTÁ NA HORA! PROCLAME O AMOR DE DEUS DO SEU JEITO!



Filipe Mendonça
Colunista

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Aé, viva o carnaval?

      
             O carnaval chegou, com suas milhares de comemorações, umas um pouco mais extravasadas que outras. É a representação evidente de um momento significativo da sociedade, o aproveitar o máximo e esquecer-se do “amanhã”. Aproveitar oportunidades e chances de se ter prazer e não importar-se com as conseqüências disso. Apenas o fato de afirmar-se com essas atitudes, já satisfaz o ego das pessoas.

        Pessoas têm buscado auto-afirmação, demonstrar suas qualidades e feitos, interessadas em admiração e valorização por parte dos outros. Não importando quão ridículo e inconveniente são as suas atitudes para buscar esse reconhecimento.                   

                    Esse é o carnaval.

                Mas, fique tranqüilo, é somente no carnaval que isso acontece, no seu dia-a-dia, isso nunca será real. As pessoas são convictas nelas mesmas. São seguras e firmadas em seus padrões e modo de pensar, nada faz a sua cabeça, são decididas.


         “Deveras resolvi todas estas coisas no meu coração, para claramente entender tudo isto: que os justos, e os sábios, e as suas obras estão nas mãos de Deus, e também que o homem não conhece nem o amor nem o ódio, tudo passa perante a sua face. Tudo sucede igualmente a todos; o mesmo sucede ao justo e ao ímpio, ao bom e ao puro, como ao impuro; assim ao que sacrifica como ao que não sacrifica; assim ao bom como ao pecador; ao que jura como ao que teme o juramento. Este é o mal que há entre tudo quanto se faz debaixo do sol: que a todos sucede o mesmo; que também o coração dos filhos os homens está cheio de maldade; que há vários desvarios no seu coração, na sua vida, e que depois se vão aos mortos”. Eclesiastes 9:1-3

             A primeira lição é, a certeza de um Deus vivo. O sábio começa demonstrando toda a sua confiança em Deus. Pouco lhe importa o reconhecimento, ele tem a firme certeza de um Deus que conhece as suas obras, conhece o seu coração, conhece a sua vida. Deus sabe das coisas que seu servo faz. Deus conhece tudo, sabe das atitudes que toma, Deus é presente. Não há mais uma batalha por reconhecimento, muitos lutam por ele, mas não quem conhece a Deus. Meu reconhecimento vem do Senhor que fez céus e terra, único digno de toda a adoração! O único Deus poderoso. Louvado seja o Senhor porque Ele sabe de todas as coisas e nada, absolutamente nada foge dos seus cuidados.

              A segunda lição é, o homem se preocupa com coisas supérfluas. O sábio afirma que o homem não enxerga sentimentos existente em sua frente. O homem precisa da certeza de ser amado, é uma carência existencial, uma necessidade para o bom andamento de sua personalidade. O homem precisa ser admirado. Pessoas precisam conhecer o seu trabalho. Pessoas querem demonstrar o que são capazes de fazer realizar, de demonstrar o resultado de seus esforços, mas não conseguem transmitir o que estão sentindo. Não querem abrir espaço para uma exposição verdadeira dos seus sentimentos e vontades. Para um conhecimento verdadeiro de si mesmas. Temem as ameaças externas. Mas elas esquecem que há um Deus, que conhece todas as coisas, tudo é fruto da sua criação, obra da sua mão. E Ele é infinito em amor e misericórdia e ama a cada vida do jeito que é. E por elas pagou um alto preço. Deus quer mais que relacionamento supérfluo sem entrega. Busca sinceridade, completa confiança nele, quer levá-lo a um nível novo de adoração, onde os relacionamentos são profundos, e as verdades são convictas em suas vidas. Deus te ama!

          A terceira lição é, tudo pela graça de Deus. Nada tem valor semelhante ou significativo comparado a graça de Deus. Deus não muda o seu jeito de julgar. O juízo do Senhor é o mesmo pro ímpio e não ímpio, cristão ou não, servo ou não. Deus não é uma variável inconstante. Ele é eterno, não está ligado ao tempo. É atento as nossas lutas e dificuldades e sabe que problema é problema, e para quem sofre com um, não há escala de medida para levar-se em consideração. Mas sabe que não pode diferenciar o tratamento de um para com o outro, não pode ir contra Si mesmo. Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre. Deus não faz acepção de pessoas, Ele ama igualmente a todos. E nos comprou com seu filho, para todo o sempre, Amém!


                Que nesse feriado prolongado, já iniciado, a gente dê um pouco mais de espaço para Deus. Para um verdadeiro relacionamento com o Pai. Que caminhemos segundo as suas vontades e desejos de seu coração. Um bom feriado.



Que Deus nos abençoe.




Mateus Machado
Colunista

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Rotina Enlouquecedora!

  Acordar cedo, tomar café, ir pra escola, estudar, almoçar, aulas de Inglês, arrumar a casa, trabalhar, tarefas, estudar para as provas, usar a internet, célula, ver o jogo de futebol, assistir um filme, ver os amigos, conversar, dormir, e, no outro dia, fazer tudo novamente.


  Todos os dias estamos inseridos numa rotina pesada, em que queremos fazer tudo e nada ao mesmo tempo. Temos tanto o que fazer, mas queríamos fazer nada. É uma rotina enlouquecedora. Cada vez com menos tempo. Já ouvi várias frases do tipo: “meu dia deveria ter 25h.”  E, toda vez que escuto este tipo de frase penso que se aumentasse uma hora ao nosso dia já o preencheríamos  e teríamos que aumentar mais 1 hora, porque continuaria faltando tempo.

  Com essa rotina intensa uma das conseqüências é estarmos sempre cansados, o tempo de sono é menor e ficamos cada vez mais desanimados. Está cada mais comum jovens e adolescentes cansados e desanimados com a vida, querendo por um fim nela.

  Outra conseqüência é que cada vez mais diminuímos o tempo para passar com Deus, o tempo separado para estar com Ele. E, infelizmente isso vem acontecendo comigo. Não me orgulho nada disso, pelo contrário, eu me envergonho. Acabo deixando para fazer o meu devocional antes de dormir, mas geralmente estou cansada e deixo para o outro dia. Estar na presença Dele deveria ser prioridade na minha vida, antes de me “meter” na minha rotina maluca deveria conversar com Ele, ouvi-Lo.

  Estes textos, acredito, que são mais para a minha própria reflexão e mudança de vida do que para atingir o coração de alguém. Mas, meu desejo é para que uma geração comprometida com o Pai e que permite que Ele molde nosso caráter e guie nossa vida, se levante e mude esta nação. E, para isso, precisamos lutar contra as duas conseqüências da nossa rotina.

  A primeira conseqüência, a do cansaço e desanimo, Deus nos ensina a como nos vermos “livres” de uma vida desanimada. Ele nos diz para darmos a nossa carga para que Ele a carregue e receberemos o seu fardo que é LEVE.

"Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.
Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas.
Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve".
Mateus 11:28-30

E a segunda conseqüência, que é o quanto estamos afastados do Pai, temos que nos voltar pra Ele e mantermos um RELACIONAMENTO de COMUNHÃO com Ele. Termos momento de oração e leitura da Palavra no nosso quarto secreto.

“Mas quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto, o recompensará.”
Mateus 6:6

  A Rotina não pode nos dominar e nem ser desculpa para tudo isso, temos que vencer a rotina e manter um REAL RELACIONAMENTO com o Pai. 


Marianna Moreno
Outros

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Não Tema!

Eu particularmente gosto muito da passagem de Josué, onde Deus o chama para a obra, e ele prontamente atende com toda segurança e consentimento que Deus estava com ele.

Josué era servo de Moisés, e com a morte de Moisés o povo de Israel precisava de um líder que os levasse para a terra Santa, a terra que Deus prometeu para esse povo, e algumas gerações partiram e não viram essa promessa de Deus, e com isso podemos ver que TUDO tem um tempo, e é no tempo que Ele quer para nós.

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Eclesiastes 3:1
Voltando a historia de Josué, Deus o escolheu para ser o novo líder, e ser aquele que chegaria a terra de Israel.

Como todo ser humano eu imagino que Josué ficou com aquele “pé atrás” e teve medo de assumir algo tão responsável, mais Deus deixa bem claro:

Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares. Josué 1:9

Eu acho que não tenho mais o que falar, o versículo por si só mostra que Deus está conosco por todo lugar, por onde quer que fomos, e ele reforça a Josué, “não temas”.

Quantos que não passaram por isso, tiveram medo de assumir a obra de Deus, tiveram aquele receio de deixar Ele nos guiar.



CHEGOU A HORA, NÃO TEMA!


Filipe Mendonça
Colunista

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Uma corrida

"Há alguns anos, nas Olimpíadas Especiais de Seattle, nove participantes, todos com deficiência mental ou física, alinharam-se para o inicio da corrida de 100 metros rasos. Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com a vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e ganhar. Todos, com exceção de um garoto, que tropeçou no asfalto, caiu rolando e começou a chorar. Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo e olharam para trás. Então eles viraram e voltaram. Todos eles. Uma das meninas, com Síndrome de Down, ajoelhou, deu um beijo no garoto e disse: "Pronto, agora vai sarar". E todos os nove competidores deram os abraços e andaram juntos até a linha de chegada. O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram muitos minutos. E as pessoas que estavam ali, naquele dia, continuaram repetindo essa história até hoje. Por que? Porque, lá no fundo, nós sabemos o que importa nessa vida é mais do que ganhar sozinho. O que importa é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique diminuir o passo e mudar o curso." (Flo Johnasen, Wolf News)

De arrepiar não? Para ilustrar melhor, gostaria de comentar uma parte do filme Cars (Carros), em que o carro de corrida Relâmpago McQueen freia bruscamente antes da linha de chegada na final da Copa Pistão, uma competição automobilística onde ele e mais dois competiam. Ele parou pois o veterano carro de corrida Rei sofreu um acidente, provocado pelo outro competidor, o Chick Hicks. E vendo as condições que ele estava, o Relâmpago McQueen voltou para ajuda-lo, empurrando pela traseira até a linha de chegada, deixando de ganhar em primeiro para ajudar seu amigo e conquistar assim o terceiro lugar.

***

Quantas vezes podemos falar: "Já desisti de algo para ajudar outra pessoa?" Será que realmente em uma corrida pararíamos para levantar outro competidor caído? "Ah Ronnedy, mas tem os paramédicos.Sim, sim, é verdade, mas e na corrida da vida, você pararia? Será que no correr do seu dia-a-dia você se daria ao luxo de perder um tempo precioso para simplesmente ajudar alguém? Ou então, será que você deixaria de tomar seu refrigerante em um dia de calor para pagar um salgado a uma criança?

Não estou te julgando, não me entenda mal. Apenas estou te desafiando a pensar um pouco mais nos outros... Não devemos nos lamentar, temos que por a "mão na obra", nos inspirando em Deus, que abriu mão do Seu filho unigênito para morrer por todos nós.

Este mesmo Deus que quando você não aguenta mais, te pega no colo, e diz: "Não desista, eu estou aqui, eu sempre estive aqui".

Não se esqueça, todos estamos propensos a cair, e 'volta  e meia' precisamos de uma "mãozinha" para levantar. E Deus usa eu e você para isso. Ele usa o seus filhos na terra para ajudar àqueles que caem, então não hesite, pois pode ser você o próximo a precisar de  uma ajuda.

Uma blusa nova você pode comprar a qualquer hora, mas aquela pessoa pode ter apenas mais uma noite de frio! Se você for abrir mão de algo, que seja por um bem maior.

"Ele da força ao cansado, e aumenta as forças ao que não tem nenhum vigor." 

Deus te abençoe!


Ronnedy Paiva
Colunista

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Eu abracei um homem de cueca - Garagem 720


Agora a noite surgiu na minha timeline essa foto, e a legenda: Grupo de cristãos foi à parada gay com cartazes dizendo “desculpe-nos pela forma como a igreja tratou vcs”.
Eu pensei CARAMBA, ELES ESTÃO FAZENDO ISSO CERTO! A gente tá cansado de ver grupos cristãos extremistas lá fora protestando contra tudo (tipo Michael Jackson, Madonna e gays) com insultos grotescos muitas vezes, e isso toma a mídia que ganha mais um argumento pra moldar o cristão fanático e intolerante. E é, a igreja é muitas vezes fanática e intolerante, acho que por isso eu fiquei tão feliz com essa notícia aqui.
Em junho de 2011 rolou mais uma Chicago Pride Parade (tipo uma parada gay da gringa), e um grupo de cristãos colou lá com camisetas escritas “I’m sorry” e cartazes  ”I’m sorry the way churches have treated you” (me desculpe pela forma como a igreja tem tratado vocês) e tiveram uma experiência de relacionamento com os participantes da parada, abraçaram geral, sorriram, fizeram algo muito mais “cristão” do que julgar e insultar. Nathan Albert (o gordinho abraçando o brother de cueca na foto) escreveu no seu blog sobre o trabalho realizado:
” Eu abracei um homem de cueca. E acho que Jesus faria o mesmo.
[...] nós queríamos ser uma voz cristã alternativa aos portestantes que estavam lá gritando “ódio” no megafone.
O que eu mais amei aquele dia foi quando as pessoas “entenderam”. Eu curti assistir a expressão das pessoas quando viam nossas camisetas, liam os cartazes e olhavam de volta pra gente. As respostas foram incríveis. Alguns nos mandavam beijos, outros vinham nos abraçar, outros gritavam OBRIGADO! Algumas garotas vieram e disseram que fomos a melhor coisa que elas viram durante o dia todo. Eu queria ter contado quantas pessoas me abraçaram. Um cara em particular disse suavemente: Bem, eu perdôo vocês.
Ver as pessoas reconhecendo nossas desculpas me fez chorar várias vezes. Aquilo era a personificação da reconciliação.
[...] infelizmente a maioria dos cristãos não pensariam nem se aquele cara dançando de cueca branca (foto) tem um nome. Bem, ele tem. Se chama Tristan. De qualquer forma, eu acho que Jesus o teria abraçado também. Isso é exatamente o que li nas escrituras: Jesus andando com pessoas que os religiosos fugiriam. Alguma relação entre aquela época e agora? Eu acho que sim.
Eu abracei um homem de cueca. Abracei forte. E tenho orgulho disso. “
Chega de pregar amor e praticar intolerância, chega de julgar julgar julgar antes de amar. Chega de se achar melhor. Passou da hora de sermos mais parecidos com Jesus.
Deixo aqui o meu abraço, esteja você vestido ou só de cuequinha branca ;)
- postado por Rods
“Enquanto as pessoas ficam presas no pequeno mundinho do preconceito usando a bíblia para perpetuá-lo um pequeno grupo de pessoas vivem  fazendo como está na palavra “amar como Jesus amou.” – Alberto Simizu