segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Salvação, mediante a fé

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.”
                                                                                                  [Efésios 2:8]
Quem escreveu isso foi o Apóstolo Paulo, provavelmente em Roma. Paulo, um homem que corria a pregar o evangelho de Cristo, que declarou em Filipenses 1:21 que o seu Viver é Cristo, e o morrer é lucro, que era preso e apanhava constantemente, falou que somos salvos pela Graça de Deus, e não por tudo quanto fazemos. Ou seja, tudo o que Paulo fazia, era por amor, e não porque ele queria um "lugarzinho" no Paraíso... Será que temos feito o mesmo?
Talvez lendo Efésios 2:8 você pense que por ter um dia aceito a Cristo como seu Senhor e Salvador, não precise fazer mais nada, mas te digo, a aceitação é o primeiro de muitos passos nessa caminhada que um dia, nos levará a um lugar melhor...
Jesus fala em Mateus 22:39 que o segundo maior mandamento é: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. E ainda o apostolo Paulo nos diz em 1 Coríntios 13: 1-2 que: “Ainda que fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine. Ainda que tenha o dom de profecia e saiba todos os ministérios e todo o conhecimento, e tenha fé capaz de mover montanhas, mas não tiver amor, nada serei”
O amor é a essência de tudo, ainda mas para nós, que pregamos o evangelho de Deus, que nada mais fala sobre o amor de Deus, o Criador, para com as suas criaturas, feitos a imagem e semelhança dEle.
A nossa fé, não tem como ser medida, mas tem como ser mostrada. Deus pode, mas Ele quer que mostremos a sua presença através de nossas vidas. As pessoas conhecerão a Ele através de nosso testemunho diário, através de nossas obras, do nosso amor para com Ele e para com o nosso próximo.
Em Tiago 2: 18 diz: “Mas alguém dirá: ‘Você tem fé; eu tenho obras’. Mostre-me a sua fé sem obras, e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras.”

Entendeu? - É preciso amar, é preciso ajudar, é preciso ter fé, pois é mediante a ela que seremos salvos, porque é dom de Deus, é Ele quem nos capacita. Ele faz aquele que não tem nada, e move sobrenaturalmente a vida dele, fazendo um ninguém falar de Alguém, sem nada a oferecer, senão a sua própria vida.


Mas saiba, não é por merecimento que seremos salvos, isso é dom de Deus, porque se viesse de nós, nos  vangloriaríamos por fazer aquilo que, na verdade deveria ser a prioridade de todo cristão... Pregar o evangelho simples e imaculado que não precisa de palco ou microfone para ser entendido. O evangelho de Cristo, as boas novas do Salvador, que tem como base simplesmente o amor.



A quem enviarei, e quem há  de ir por nós?
-Então disse eu: 'Ei-me aqui, envia-me a mim'-
 

domingo, 23 de outubro de 2011

Ah, eu sou a luz do mundo

“Quem traz uma lâmpada para ser colocada debaixo de uma vasilha ou de uma cama?”
Marcos 4:21

Nos tempo de hoje, creio que está sendo mais aceitável uma pessoa se tornar homosexual do que "crente"...

Sabemos que no mundo teremos aflições, mas Deus fala para que tenhamos bom ânimo, pois Ele venceu o Mundo...

Ser cristão, é bem mais do que ir na igreja, ou andar com a biblía para cima e para baixo. Ser cristão é não se conformar com esse mundo, e dizer não quando todos dizem sim para o errado, é ajudar e desfalecido e amar o odiado.

Hoje vemos milhões e milhões de cristão, e muitos desses, apenas de fachada, pois quando é a hora de praticar aquilo que foi aprendido, não o faz. E me pergunto: Porque?

- Será que vão colocar apelido em mim, será que vão me excluir de certos assunto? ... - Sim, vai acontecer isso com você, porque você agora tem uma nova identidade, a de Cristo!

Lembro que quando comecei a ir na igreja, algumas pessoas zombarão de mim, com apelidos que não me maltratavam, mas que eu não gostava, e alguns amigos, mesmo sem querer, se afastaram de mim, porque meu mundo não era mais o mesmo que o deles. 

Mas hoje sei que foi a melhor escolha, e quando vejo algum colega meu que se converteu, fico muito feliz, mas vejo que ainda faltam muitos, e me pergunto o que eu tenho feito para mudar isso?

Será que temos sido luz em meio ao colégio, trabalho, na roda de amigos? Ou temos escondido está luz?

Eu sei que não é fácil falar que você é contra coisas que todos fazem na frente dos seus colegas, mas é o correto, e se deixar está luz brilhar dentro de você, todos verão. E sabe quem vão procurar quando estiverem com problema? - Sim, você! Por isso devemos estar preparados para sermos ombros fortes, para dar um conselho encima da palavra de Deus, tendo conhecimento e prática da boa e agrádavel palavra do Senhor.

Não basta você usar uma "camiseta cristã", é apenas uma peça de roupa. Você deve ser cristão no seu modo de agir, de tratar as pessoas, no modo de ver o mundo, e assim, todos iram ver que, mesmo sem falar uma palavra, você é diferente, que você é Geração Eleita, Sacerdócio Real, Nação Santa, Povo adquirido para anunciar as virtudes daquele que vos tirou das trevas e vos levou para a sua maravilhosa luz . (1 Pedro 2:9)

Po isso, quando puder, fale do amor de Cristo para o seu vizinho, para o seu amigo que está passando por um problema, deixe a luz brilhar, e indique o caminho certo, mas antes de tudo, esteja você também no caminho de luz.



"Ide, pregai o evangelho, se for necessário, use palavras."


domingo, 16 de outubro de 2011

Não coloque o SENHOR teu Deus em uma armadilha - Crentassos




Calma! Eu sei que Deus não pode cair em uma armadilha, ao menos em uma como a da figura acima. Mas, por incrível que pareça, Jesus adverte contra esta prática.

Não sou favorável à técnica de ficar desfilando palavras em grego e hebraico seja em pregações ou textos, exceto os acadêmicos claro; mas um texto em especial me chamou a atenção, e creio que o estudo correto de um termo grego neste texto nos ajudará a compreender melhor a verdade revelada por Deus em sua palavra.

O texto se encontra em Mateus 4:1-11, o conhecidíssimo texto sobre a tentação de Jesus.

Vamos nos deter um pouco no verso 7, onde Jesus dá uma dura no diabo dizendo que ele não deveria tentar a Deus. Pois bem, em português temos o mesmo termo apontando para tentar a Deus e a própria tentação de Jesus, mas, um exame um pouco mais detalhado deste trecho no original, nos permitirá um novo olhar sobre este texto.

O termo comum para tentação em grego é peirazo, que significa uma prova, um teste. Ou seja, Jesus estava passando por um teste. Entretanto, quando Jesus diz para o diabo não tentar a Deus ele não usa o termo peirazo, mas sim a palavra ekpeirazo, que significa não colocar em uma armadilha.

Antes de continuar no estudo deste texto, permita-me, caro leitor, mudar rapidamente de assunto. Recentemente eu vi a notícia que determinado grupo religioso vendia um martelo por R$ 1000,00 e prometia esmagar todos os problemas da vida de quem comprasse o tal produto.

Voltando ao embate Jesus versus diabo, vemos que ele pretendia que Jesus aplicasse um grande golpe publicitário. Ou seja, estando em Jerusalém, no principal ponto da cidade, e no lugar mais alto, todos veriam Jesus pulando lá de cima, enquanto os anjos viriam em seu socorro. BINGO! Seria aclamado na hora como uma espécie de "Jesus super star".

Sabemos que este não era o plano de Deus, e Jesus responde ao diabo dizendo que ele não deveria por Deus em uma armadilha, ou seja, obrigar Deus a fazer algo que não estava  nos planos originais.

Muito bem! Toda vez que alguém diz que determinado objeto, tal como um martelo ou toalha, pode resolver seus problemas em nome de Deus, ou marca um dia e horário específico para realizar curas e milagres, está pondo Deus em uma armadilha, pois, pode ser que nos planos originais de Deus, esta cura ou milagre não aconteça. Toda vez que alguém faz isso, e ainda se aproveita deste momento para fazer algum tipo de publicidade, se iguala do diabo, conforme lemos no trecho mencionado acima.

Ah sim, eu ia me esquecendo! O termo tentador, usado neste texto de Mateus, significa literalmente aquele que corrompe. Logo podemos dizer que todo aquele que faz este tipo de coisa é um verdadeiro diabo, pois além de colocar Deus numa armadilha, ainda corrompe a fé das pessoas desesperadas por uma solução instantânea dos seus problemas.





Texto do Alexandre Milhoranza no BLOG dos Crentassos.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Decidindo para a eternidade - Paulo Jonatas da Silva


O sábio teme, e desvia-se do mal, mas o tolo se encoleriza, e dá-se por seguro.
                                                                                              Proverbios 14:16

       Numa fase da minha vida eu lia o livro de Proverbios todos os dias. As lições de vida contidas nesta obra maravilhosa nos ajuda não só a alinhar os nossos passos, mas também nos confronta de uma forma incisiva, a uma revolução de mudança pessoal. A Palavra de Deus não só nos acrescenta fé, ela também produz em nós um estilo de vida que agrade ao Senhor para mantermos com Ele uma comunhão real e eterna.

       Todos os dias de nossas vidas nos deparamos com decisões que precisam ser tomadas. Na vida real nem sempre dispomos de muito tempo para decidir, e precisamos estar preparados sempre para responder a toda e qualquer tipo de situação. O interessante é que preparado ou não sempre haverá a necessidade de se tomar decisões, e nossas decisões sempre nos trarão uma consequência, seja ela boa ou ruim, teremos que assumi-la.

       Nossas decisões nos trouxeram até este momento, e o que decidirmos hoje determinará o nosso futuro.

       No versículo acima vemos que a postura de um homem sábio faz com que ele se desvie do mal e consequentemente ande por caminhos seguros no Senhor. A sabedoria está diretamente ligada ao temor do Senhor, e este temor nos projeta a fazer a vontade de Deus e não a nossa própria. Este temor não émedo, e sim um amor profundo e uma atitude de honra e submissão. Por exemplo: Quando amamos alguém de fato e de verdade, não queremos fazer nada que possa machucar a esta pessoa. Todo nosso tempo e energia nós dedicamos àquele relacionamento, e tudo que pudermos fazer para que a pessoa se sinta bem, nós faremos. Isto é o significado de amar e honrar, e este é o princípio que envolve o temor do Senhor.

       O sistema social da nossa nação hoje é um sistema corrompido. Todos os dias nós observamos inúmeras injustiças e todo tipo de abuso ao próximo. A maldade circula por todos os ambientes e setores do mundo, porém esta maldade não age por si só, é preciso que haja um receptor e um doador para que esta atitude se manifeste e se multiplique. Qualquer um de nós podemos ser propagadores desta maldade, basta fazermos as escolhas e decisões baseadas neste sistema corrompido. É simples fazer o mal. É fácil mentir, roubar, adulterar, fofocar, levantar falso testemunho contra outro, fornicar e etc. Tudo depende do nível de temor que temos em nós. Por causa da nossa natureza pecaminosa somos tendentes a fazer e a escolher o mal, e a unica forma de fazer e escolher o bem é temendo a Deus. “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria”.

        Se lembrarmos que a base do temor do Senhor é o amor e a honra então entenderemos também como viver neste temor como estilo de vida. É muito simples: Ninguém ama alguém que não conhece, para amar é necessário relacionamento, e para termos um relacionamento saudável precisamos de tempo. Então relacionamento e tempo devem nos basear numa vida devolcional intensa com Jesus para que possamos nos dar a conhecer e conhecê-lo, para então desfrutar da Sua maravilhosa vida em nós.

         Enquanto conhecemos ao Senhor vamos o amando mais, e este amor vai nos fazer decidir todas as coisas em nossas vidas baseados no que o agrada e o honra, pois o nosso desejo é estar em comunhão plena com Ele; E só aqueles que o honram são os que herdarão o Seu reino.

         Querido irmão e irmã, lembre-se que apenas devotados completamente a Jesus poderemos ter um coração que o conhece e o ama. Apenas desta foremos nossas escolhas baseadas naquilo que Ele quer, pois a Sua vontade é perfeita. E como bem sabemos Toda decisão atrai uma consequência, seja ela boa ou má.

         Desvie-se do mal, faça o bem, ame ao Senhor com toda sua vida, e antes de decidir algo avalie se esta decisão o agrada.


domingo, 2 de outubro de 2011

Ser ou não ser, eis a questão - Mateus Machado



Tenho lido bons livros, alguns clássicos cristãos outros “Best Sellers” seculares. Engraçado, não sei se já sabia o que os livros me diriam ou tenho cabeça muito fraca a respeito de leituras. Concordei com a maioria senão tudo o que foi escrito nos livros que li.

Em inglês, “to be or not to be, it’s the question”. Para quem tem o mínimo de noção em inglês, sabe que o verbo “to be” tão conhecido entre os estudantes, significa ao mesmo tempo os verbos ser e estar (levando em consideração o contexto da frase).

Meditando sobre isso, tenho notado que muitas vezes eu ESTOU cristão, e não SOU.

De imediato, é quase impossível notar uma diferença. Mas é basicamente isso:

Estou cristão, quando após um culto vou para minha casa e oro com meus pais, e conto a eles que o culto em que estive presente foi uma benção para mim. E no outro dia pela manhã, acordo de mau humor xingando-os por terem me acordado cedo.



Sou cristão, quando todos os dias, oro com a minha família. Participo de todas as programações da igreja, sem me importar quem estará lá comigo, e sem julgar qual pregação será uma benção para mim, estou lá para valorizar a presença de Deus.

É complicado. Ninguém gosta de ser algo por muito tempo. Como temos visto já há algum tempo, almejamos coisas melhores, cargos maiores, maior reconhecimento. Almejamos alimentar nosso ego.

Em um dos livros que tenho li, o autor define mágoa da seguinte forma: “Mágoa é toda palavra, atitude, ou situação que fere o nosso ego” (A cura das memórias – David A. Seamands).

Agora, pergunto-me o que seria o ego:

Necessidade de reconhecimento? Desejo incontrolável de alcançar maior cargo e função? Busca por algo que ainda não conheço, e me trará algum tipo de benefício?

Acredito que seja um pouco de tudo isso.

Confesso que não li nenhuma obra do autor Willian Shakespeare, o autor da frase que usei como título. Nem tão pouco conheço o contexto com que ela foi redigida em seu texto.

Quando penso em ser ou não ser um cristão, ao invés de imitar a Cristo que deveria ser o meu exemplo máximo (o nome do Cristianismo deriva de Jesus Cristo). Vivo achando que é melhor ser visto com qualidades, e características positivas, que ser considerado louco por amor ao evangelho.

Quero ser visto como um cristão pela igreja, e pessoas que estão em volta de mim, mas quando me interessar, deixarei um pouco de lado meus valores “religiosos” para alcançar uma oportunidade única de negócio, mesmo que isso signifique ir contra todos meus ensinamentos.

Costumo dizer que Deus é muito louco. Não sei, talvez seja irreverência ou falta de respeito para as pessoas que me vêem pronunciando essa frase, aliás, faço isso repetidas vezes. Mas acho muito engraçado, ou melhor, sem lógica, Deus nos pedir e orientar coisas que a nossa sociedade acharia um tanto ridículo. Abrir mão de uma carreira bem sucedida para evangelizar na Etiópia, por exemplo.

Penso que a bíblia seja o livro dos livros. Dela deriva todas as outras obras literárias, sejam elas confirmando pensamentos bíblicos ou usando-a contra si (pois ninguém escreve maldizendo algo, sem citar exemplos tirados do alvo da crítica). Todavia, penso que a “santa palavra de Deus” não merecia estar vivendo o que vive, pois ela nos orienta tanto a andar na contramão dos pensamentos e ideologias dessa sociedade, desistir de planos para esse mundo. E nós, que nos dizemos servos de Deus, independente da denominação ou igreja, não obedecemos.

Porque é coisa agradável que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, sofrendo injustamente. Porque que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas, se fazendo bem, sois afligidos e sofreis, isso é agradável a Deus. Porque para isto sois chamados, pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas”. – 1 Pedro 2:19-21.

Para citar, David A. Seamands, “toda verdade deriva de Deus, seja ela descoberta na bíblia ou nos tubos de ensaios dentro de um laboratório”.

Um filósofo chamado Friederich Nietzche, afirma, “quanto mais lemos, mais ignorantes tornamo-nos”, concordo e não concordo. Confesso que se  alguém tem algum pensamento semelhante com algo que escrevi, procuro ao máximo encontrar e tento citá-lo sempre que poder.

Uma das coisas que tenho notado, é que nós temos preguiça de pensar, fazer, decidir. E preguiça não é uma característica cristã. A pró-atividade, agir antes da cogitação de ajuda, é uma característica cristã.

Não vi Jesus, acredito n’Ele, e na Sua vida. Penso todo dia como espelhar-me n’Ele. E vejo que Ele em nenhum momento ficou em dúvida entre “ser ou não ser” ou entre “ser e estar”. Não se baseava somente nas leis (livro sagrado da época), mas era pró-ativo, agia conforme a orientação do Espírito de Deus. Não ligava para o reconhecimento, mas o tinha por esforço do trabalho, era uma conseqüência e não seu objetivo. “Aos olhos da sociedade da época, um louco. Aos meus olhos, um exemplo.”



Pai, eu não sei como dizer isso, mas muitas vezes fico tão preocupado com o que sua palavra diz, e se esta na bíblia certas coisas que me calo e não faço o que necessário. Tenho muitas vezes ficado em dúvida entre ser ou não ser um cristão, se estou um cristão ou se sou um. Tá difícil, parece que faço coisas com motivação errada. Que o que eu faço não é direcionado pelo Senhor. Não te entendo, e não entendo como foi tão simples para Jesus. Angustio-me perguntando se Jesus é algo impossível de ser imitado pelo menos em uma única característica que seja. Ensina-me a estar muito mais perto de Ti, pois hoje me sinto longe. Anseio o dia que te verei e escutarei tua voz sem nenhuma dúvida de que realmente é o Senhor. Eu te amo Deus. Muito obrigado por me ouvir novamente. Em nome de Jesus, amém. 
 
 
Texto do BLOG do Maradona =)