domingo, 25 de setembro de 2011

Mergulhando nas dimensões do Reino de Deus. - Paulo Jonatas da Silva


Nem dirão: Ei-lo aqui, ou: Ei-lo ali; porque eis que o reino de Deus está entre vós.
                                                                                           Lucas 17:21

      Sempre que estudo sobre o Reino de Deus me maravilho com a forma simples e viva que os evangelhos relatam os ensinamentos de Jesus sobre este profundo e vasto tema. É simplesmente fascinante o fato de que Jesus não só fala do Reino, mas também o manifesta e nos eleva a viver em suas dimensões, para que possamos viver como Ele vive, e consequentemente viver o que Ele vive.
      O Reino de Deus vai além das palavras, ele é a própria manifestação do Seu poder e amor. É o lugar que o Pai escolheu para que Seus filhos habitassem e reinassem juntamente com Ele. É o lugar mais cheio de paz e justiça. É o lugar onde o Pai preparou para que habitássemos por toda eternidade.
      Para entender o que o Pai preparou para nós em Seu Reino, precisamos olhar através de Sua perspectiva, manifesta em Cristo e através Dele para nossas vidas, Seus eleitos e amados.
      Quero te convidar, nesta série, a mergulhar em algumas partes desta enorme e profunda dimensão, que é o Reino de Deus. Portanto estarei em cada estudo englobando um tema específico da magnitude do Reino do nosso Pai.

S A L V A Ç Ã O:
      A palavra Salvação, ou o seu próprio siginificado, está ligado diretamente à vida de JESUS. Seu nome profetiza sua MISSÃO e DESTINO na terra.
      O nome Yehoshua (hebraico) e Yeshua (hebraico-aramaico), siginificam portanto no original: "o Senhor vai salvar/salva/salvou". Esta é a manifestação do grande amor do PAI por nós, é a expressão do Seu desejo em não perpetuar o pecado, porém, eternizar àqueles que com um propósito foram criados. E o propósito principal da vida do ser-humano é viver em comunhão plena com Deus de eternidade em eternidade.
    
      E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Mt. 24:37

      A idéia da palavra salvação gira em torno de livramento, de socorro; alguém que vem para livrar outro do perigo. Este era o contexto que o povo de Deus se baseava. Havia uma promessa da parte do Eterno, de que Ele enviaria o Seu Ungido para livrar o povo do cativeiro da escravidão.  

      O povo Judeu vivia com a expectativa na vinda do MESSIAS. O seu próprio siginificado é dimenção do poder para libertar – “Aquele que recebeu a Unção” – Estamos aqui nos referindo a alguém que viria com um propósito específico, e junto com este propósito, veio também toda capacitação necessária para o seu cumprimento. O Messias – Jesus, O Cristo – Era o próprio enviado de Deus para o resgate da humanidade.

      Por causa da opressão que o povo Judeu vivia, eles aguardavam um Messias revolucionário, que viesse preparar um exército armado para lutar contra o império romano que tanto os oprimia. O interessante é que os Judeus tinha uma perspectiva e Deus tinha outra. Eles criam que seus problemas baseavam-se em seus opressores, e Deus, em Cristo estava afirmando que seus problemas baseavam-se no desvio aos mandamentos e à rejeição ao governo soberano de Deus. Daí o motivo pelo qual muitos não creram no verdadeiro Messias quando Ele veio. Suas características não correspondiam ao que eles julgavam ser a solução para os seus problemas.
      Jesus não veio suprir as expectativas do homem, mas veio suprir o homem com Suas expectativas divinas. O homem sempre terá uma visão limitada da sua própria situação, por isso a dependência de Deus nos tornará seguros em nossos caminhos, pois Sua visão é ampla e apurada.
     
      Não podemos embasar a obra redentora e salvadora de Deus a parâmetros pequenos e infundados, tais como: uma vida abastada de bens materiais e prosperidade financeira. Cito este ponto devido à realidade que vivemos hoje em nossa sociedade que se denomina cristã. Estamos diante de momentos difíceis, já profetizados, e dentre os acontecimentos estamos clamando por uma intervenção Divina, porém como o momento que precedia a vinda de Jesus a terra, estamos como os judeus, apenas clamando por aquilo que achamos ser a solução dos nossos problemas. Não estou dizendo que em Cristo não podemos viver financeiramente supridos, pelo contrário, Nele podemos todas as coisas e temos tudo o que precisamos (Ef. 1:3), o problema é quando fazemos disso nossa meta de vida. As bençãos provinientes da salvação é apenas a consequência da própria salvação.

Entendendo a profundidade do sacrifício.

      Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. Lc. 19:10

      Se avaliarmos bem este versículo, veremos o significado e a profundidade do sacrifício de Jesus por um outro prisma. Podemos mergulhar no propósito e não na consequência. A consequência sempre haverá mediante a execução do propósito.

      Jesus veio buscar e salvar o que se havia perdido: Se entende que, o que está perdido um dia já pertencia a algo, alguém ou a algum lugar. As palavras buscar e salvar nos arremete a uma posição anteriormente segura e suprida em todas as esferas. Não entenderemos o sacrifício de Jesus se não entendermos a nossa origem (Gn 2 e 3). Viemos de Deus e carregamos em nós o seu DNA. Nele fomos formados e guardados. Costumo dizer que nossas vidas não começou no momento que fomos formados no ventre, nem terminará no dia que dermos o último suspiro. Viemos de Deus e Ele é o nosso destino. Ef. 1:4 é um dos vários textos na palavra que nos afirma isto. Fomos eleitos em Deus antes mesmo da fundação do mundo. Isto quer dizer, no momento em que Deus sonhou e planejou em sua mente a nossa própria vida, passamos a existir. Não me preocupa a idéia de como tenha sido esta existência, apenas me  alegro com o fato de poder fazer parte dos sonhos maravilhosos de Deus Pai.

      Rm. 8:17 nos revela que somos herdeiros de Deus, pelo fato de sermos feitura Sua, e somos co-herdeiros com Cristo, pelo pocesso da redenção que nos faz, NELE, novamente filhos. Daí uma dupla herança; ambas legítimas. Porém a primeira herança, que é por parte de Deus Pai, só pode ser herdada através da segunda herança em Cristo. Isto devido à raiz da humanidade em Adão que pecou e rejeitou o direito de ser filho e herdeiro de Deus. Deus Pai não privou o homem de sua herança por que simplesmente desejou isto. Ele teve que permitir que o homem vivesse daquilo que ele mesmo escolheu. Sempre seremos os únicos responsáveis por nossas escolhas. É como se o homem tivesse em suas mãos seu certificado de nascimento e na idade adulta olhasse e simplesmente resolvesse rasgar aquele documento. A verdade é que Ele nunca deixaria de ser o que foi criado para ser, porém as suas escolhas poderiam levá-lo a ser escravo, mesmo tendo uma linhagem real. Não que Deus o quizesse assim, mas porque o próprio homem assim escolheu.

      Pense comigo. O homem tinha uma vida de verdade. Toda provisão que alguém precisava ele tinha. Era herdeiro de tudo e recebeu o privilégio de reinar sobre a terra, estabelecendo o reino de Deus sobre ela. Ele tinha comunhão direta com o próprio Deus, onde no fim do dia haviam momentos de intensa adoração ao camiharem e conversarem com o PAI. Este lugar seguro e suprido foi tirado do homem, baseado simplesmente em suas esoclhas. A semente do pecado entrou no homem e corrompeu de uma vez a genética da humanidade. O pecado mudou o curso da história e das gerações. Em Mt. 6:24 a Palavra declara que não podemos servir a dois senhores, e como o império das trevas já estava estabelecido, consequentemente o homem saiu da esfera de benção e entrou em uma outra esfera, a do governo do inferno. Baseado no versículo, o homem deixou de servir a Deus e passou a ser escravo de satanás. Como na analogia que agora pouco demonstrei, Adão recebera um outro certificado, este com base em uma cultura escravagista trazendo sobre ele toda sorte de maldição e desgraça.

      Se Deus amou tanto o homem, porque que Ele não resolveu isto inicialmente? Esta pode ser a pergunta de milhares de pessoas na face da terra hoje. Temos que entender que Deus é tudo e antes de tudo e todos. Ele é soberano e tudo foi criado por Ele e por sua Palavra veio a existir. Eu sou o Alfa e o Omega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-PoderosoAp. 1:8

      O homem foi criado por Deus, e não Deus criado pelo homem. Se lermos o capítulo 2 e 3 de Génesis veremos que Deus cria o homem e entrega-lhe a autoridade sobre todas as coisas na face da terra. Adão recebeu autonomia para governar a terra, porém você também observará que Deus estabeleceu ordenanças, diretrizes que o ajudariam a viver a plenitude dos céus na terra. Nós sabemos que todo desvio gera uma consequência e foi extamente isto que aconteceu com Adão. Quando o diabo os enganou e eles cederam e caíram, apenas eles mesmos perderam o que possuiam. Entenda algo: O diabo não enganou a Deus, e Deus não caiu na tentação do diabo. Não foi a autoridade de Deus que foi perdida e sim a autoridade outorgada ao homem. Deus continuou sendo Deus e reinando em seu Reino de Justiça.

      Se o homem abriu mão da sua escritura de governo e autoridade, ele próprio deveria resolver isto. Porém nós sabemos que ninguém por seu próprio esforço conseguiria tal proeza, e mais uma vez o grande e infinito amor e graça de Deus, se manifestam na pessoa de Jesus que precisa vir como homem para cumprir as leis que o próprio Deus havia estabelecido, fazendo com que na humanidade de CRISTO, como segundo Adão, Ele conquistasse o que o homem havia perdido. Em Sua divindade vem o Espírito de adoção e em Sua humanidade o triunfo sobre satanás, que já estava derrotado.

      Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. Colossenses 2:14

      Ao olharmos por este prisma é possível enxergar que a Salvação não é o alvo e sim o começo de um tempo eterno onde uma grande porta se abre para novas dimensões no Reino do Pai. Jesus nos salvou para que volátássemos a ter a vida que tínhamos antes, para que fôssemos como Ele nos criou e para que andássemos em Sua presença plenamente. Se Ele mais uma vez investiu sua vida em nós, atravéz do Seu filho Jesus, é porque Ele ainda tem planos e sonhos para nós ... Sonhos de paz e de esperança.

      A Salvação é o primeiro passo de uma vida eterna com Deus.

--



No amor de Jesus Cristo,



Paz,

Paulo Jonatas da Silva 

Ministério Guiados Pelo Espírito  


Porque todos que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. (Rm. 8:14)

Nenhum comentário:

Postar um comentário